Poema de agora: DILIGÊNCIA NOTURNA – Pat Andrade

DILIGÊNCIA NOTURNA

nas noites sem sono

tento tecer poemas
feitos de alvoradas
de mesas de bar
de palavras embriagadas
de madrugadas desfeitas

tento tecer poemas
de olhares distantes
de toques ausentes
de bocas sedentas
de amores imaginários

tento tecer poemas
de mãos quentes
de beijos doces
de leitos perfeitos
de finais felizes

tento tecer poemas

Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *