Poema de agora: RONDÓ DO DIA PACATO – Ori Fonseca

Ilustração: Fernando Lopes

RONDÓ DO DIA PACATO

Eu nunca pensei que amaria tanto
O tempo nu desprovido de espanto,
O dia pacato, o passo sem pressa,
A estrada livre onde nada tropeça,
A noite sem dor, sem medo, sem pranto.

Porque todo dia é um dia santo,
E todo momento é um tempo de encanto
Desde o bafejo em que a vida começa,
Eu nunca pensei que amaria tanto.

Eu olho o tempo, ele me olha e, no entanto,
Juramos paz, cada qual no seu canto,
Mentimos muito, mas ninguém confessa.
E a vida segue, caminha, atravessa
Quisera sem dor, sem medo, sem pranto…
Eu nunca pensei que amaria tanto.

Ori Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *