Sine Amapá teve a maior queda de captações de empregos da região Norte até agosto, diz MTE

Sine fica na Rua General Rondon, em frente à praça Floriano Peixoto — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

Por Carlos Alberto Jr, G1 AP

De acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Sistema Nacional de Empregos no Amapá (Sine-AP) está intermediando menos empregos este ano. De janeiro a agosto de 2017 foram 309 trabalhadores empregados por meio do Sine. Em 2018, no mesmo período, 170 pessoas conseguiram emprego formal.

De acordo com Júnior Braga, gerente do Sine no Amapá, a pouca mediação é consequência da falta de qualificação profissional por parte dos candidatos e falta de experiência no mercado.

Júnior Braga, gerente do Sine no Amapá — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

“É curioso. Isso porque os jovens têm muitas qualificações profissionais, mas esbarram na falta de experiência. Já outro perfil de candidatos são os que têm experiência, mas não têm qualificações suficientes para obtereas vagas”, disse.

A fala de Braga se reflete em números, uma vez que a faixa etária entre o público que mais procura o serviço é de 18 a 23 anos. Porém, a média de idade entre os candidatos contratados é outra: de 28 a 50 anos.

Destinando vagas para auxiliar de serviços gerais até para gerente de empresas, o Sine registra maior procura e vagas captadas no setor da construção civil e para babás.

Por ser um intermediário, o Sine não acompanha os trabalhadores após a contratação, mas dá encaminhamento aos candidatos cadastrados, auxiliando-os a conquistar futuras vagas.

“Muitas vezes fazemos a flexibilização das vagas. Isso quer dizer que quando um candidato não está 100% apto para a vaga, mas está quase, dialogamos com o empregador para que, pelo menos, aconteça uma entrevista”, explicou Braga.

Outra forma de incentivar os candidatos cadastrados é oferecendo cursos gratuitos de capacitação profissional. O Sine registra que, em média, sobram de seis a sete vagas ao fim de cada dia.

Entre os estados da região Norte, o Amapá é o estado que teve maior queda na captação de vagas, com – 44%. Já Rondônia foi o único que teve crescimento em 2018, em comparação ao ano anterior.

Rondonia: + 34,1%
Pará: -7,6%
Amazonas: – 12,1%
Tocantins: – 13,%
Acre: – 34%
Roraima: – 30,8%
Amapá: – 44%

Procura ao Sine são baixas e poucas vagas são preenchidas diariamente — Foto: Carlos Alberto Jr/G1

A sede do Sine-AP funciona na Rua General Rondon, número 2350, em frente a Praça Floriano Peixoto, no Centro da capital. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas podem ser obtidas pelo número (96) 4009-9702.

Fonte: G1 Amapá


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *