Meus parabéns ao MIS

                                                                              Por Elton Tavares

Documentário “Macapá: memórias de minha cidade”.
Eu sempre divulgo eventos culturais aqui, mas confesso que nem sempre consigo prestigiá-los. Ontem fui ao Sesc Centro, para a programação do Museu da Imagem e do Som do Amapá (MIS/AP) em comemoração aos 253 anos de Macapá. Foi fantástico!

Ontem foi firme! – Foto: Maksuel

Além de atrações como Zé Miguel, Roni Moraes, Chico Terra, Rebecca Braga, Valério Campos, Revesso e Jonas e a poesia do grupo Tamirô, o MIS exibiu o documentário “Macapá memórias de minha cidade”. O curta consiste em depoimentos de idosos, pioneiros da nossa capital, confesso que fiquei emocionado ao assistir aquilo. Foi muito lindo!

Eu e Brito – Foto: Graciliano.


Parabéns a toda a equipe envolvida no evento e no documentário, em especial ao cara que fez o Museu ser reconhecido pela sociedade amapaense, o meu amigo Alexandre Brito, gerente do MIS.

Programação do MIS para o aniversário de Macapá

Orla de Macapá – Foto: Juvenal Canto.
O Museu da Imagem e do Som tem o prazer de divulgar sua programação para a semana na qual Macapá completa 253 anos. As atrações programadas pelo MIS, em parceira com o SESC-AP, buscam evidenciar a diversidade histórica e cultural da capital do estado: música, artes plásticas, poesia, fotografia, vídeo e cinema estarão a disposição do público que poderá, sem dúvida nenhuma, aprender mais sobre a história da “estância das bacabas”.

Veja a programação em detalhes:

02.02 (quarta-feira)

Local: Sesc Centro

Hora: 19:00

– Música ao vivo: Chico Terra

– Lançamento do vídeo:

Macapá: memórias de minha cidade

Esse vídeo é parte de um projeto mais amplo que o MIS-AP vem desenvolvendo desde o ano passado que busca o registro e a disponibilização das memórias dos moradores antigos da cidade. A ênfase desse projeto é no patrimonial imaterial e na oralidade, reconhecidamente uma das nuances mais sui generis de um povo.

– Mostra e pintura em tela ao vivo com Miguel Arcanjo:

“Macapá antiga, a beleza tucuju retratada em tela”

Esse trabalho traz para a realidade do expectador, aquilo que deu início a cidade que hoje se denomina “Macapá”, utilizando a técnica monocromática “betume sobre lona de vinil”. O diferencial do trabalho de Miguel Arcanjo está no efeito “fotográfico” que suas telas transmitem por meio de um simples pigmento. Sua nuances formam um opcional de tonalidades que encantam em uma só observação.
– Lançamento de cartões postais de Macapá:

Lançamento de cartões postais com imagens realizadas pelo fotógrafo amapaense Alexandre Brito. As fotografias retratam o cotidiano e paisagens macapaenses.

-Música ao vivo: Valério Campos

– Declamações poéticas:

Tatamirô

Mary Paes

Patrícia Andrade

Zé Maria

-Música ao vivo: Bio Vilhena

– Estatuas Vivas:

O grupo Imagem & Cia. Fará uma participação com vitrines vivas retratando dois personagens históricos da cidade de Macapá: o Mestre Pavão e a Mãe Luzia.

05.02 (sábado)

Local: Museu da Imagem e do Som

Clube de Cinema

Hora: 18:30

– Palestra: História das salas de cinema de Macapá

Palestrante: Edgar Rodrigues

– Mostra de filmes realizados em Macapá

*O MIS-AP agradece publicamente a todos os artistas que aceitaram compor essa diversificada programação abrindo mão do seus respectivos cachês, bem como ao Sesc-AP, parceiro claramente comprometido com a promoção de nossas manifestações culturais.
Fonte: Alexandre Brito, diretor do MIS.

Audiovisual em pauta

O MIS – Museu da Imagem e do Som, através de sua gerência e coordenação, promoveu na manhã do último sábado, 22/01, reunião com o Senador Raldolfe Rodrigues, o Secretário de Cultura Zé Miguel e produtores audiovisuais independentes do Estado do Amapá. O encontro aconteceu no segundo Piso do Teatro das Bacabeiras, no auditório do MIS.

O objetivo da reunião, além de apresentar aos presentes a importância estratégica da implantação do NPD (Núcleo de Produção Digital) no Amapá, foi o de buscar apoio das autoridades ali presentes, que já é uma realidade em outros estados, venha a ser implantado também em nosso estado. “Com este núcleo, todos os nossos produtores independentes, poderão submeter seus projetos para aprovação, e em sendo aprovados, terão como produzi-los”, argumentou Alexandre Brito, gerente do MIS. “O NPD é uma carta de alforria para o produtor independente”, complementou Brito.

Os NPDs são núcleos de produção digital desenvolvidos pelo Olhar Brasil um programa da Secretaria do Audiovisual, programa este, que tem a missão de apoiar a produção audiovisual independente no país.

Esses núcleos são espaços com estrutura humana, física, tecnológica e metodológica aptos a promoverem diversas atividades de formação no setor audiovisual a exemplo de cursos, oficinas e palestras, facultando o acesso a conhecimento e aperfeiçoamento técnico. Este projeto já está em funcionamento em 14 estados brasileiros.

Randolfe Rodrigues e Zé Miguel, de acordo com as ações cabíveis a eles e dentro do que foi apresentado, comprometeram-se, diante do público presente à reunião, desempenharem atuação favorável à implantação do NPD no estado do Amapá o mais breve possível.

Fonte:Comunicação do Festival-Imagem Movimento (FIM)

Mary Paes: 8128 57 12

Clube de cinema realiza sessão nesse sábado, 22.01

Cena do filme “Cinema, aspirinas e urubus”.

Depois de voltar da comunidade de Campina Grande, a trupe do Clube de Cinema organiza mais uma sessão em Macapá. O filme da vez é Cinema , aspirinas e urubus, do diretor brasileiro Marcelo Gomes. A dinâmica de trabalho do Clube de Cinema estimula a formação de público para o audiovisual de maneira ampla e em especial para produção independente e nacional. Após a exibição, a curadoria do cineclube apresenta informações adicionais sobre o filme exibido no que diz respeito a aspectos técnicos, estéticos e históricos.

“O cineclube do MIS tem um papel importante na difusão de filmes que não chegam as salas de cinema do estado. Além de uma função de entretenimento, o Clube de Cinema está com foco, este ano, em aglutinar idéias e pessoas para iniciar um grande mutirão de realização de audiovisual entre os freqüentadores de nossas sessões. Percebemos, durante os debates que promovemos após as sessões, que existe um público considerável, com muitas idéias e com muita vontade de produzir, e não podemos desperdiçar essa energia”, explica Mary Paes uma das responsáveis pela sessão desse sábado.

Serviço:
Clube de Cinema (Auditório d MIS, segundo piso do Teatro das Bacabeiras).
Filme: Cinema, aspirinas e urubus.
Data: 22.01.11
Hora: 18:30.
Entrada: Franca.
Sinopse:
1942. No meio do sertão nordestino, dois homens se encontram: Johann (Peter Ketnath), um alemão que fugiu da guerra, e Ranulpho (João Miguel), um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região. Viajando de povoado em povoado, eles exibem filmes para pessoas que jamais haviam conhecido o cinema, a fim de vender um remédio “milagroso”. Nesta jornada, os dois aprendem a respeitar as diferenças e surge entre eles uma amizade incomum, mas que marcará suas vidas para sempre.

Ficha Técnica:
Diretor: Marcelo Gomes.
Elenco: Peter Ketnath, Hermila Guedes, José Leite, Zezita Matos, Osvaldo Mil, Fabiana Pirro.
Produção: Sara Silveira, Maria Ionescu, João Vieira Jr.
Roteiro: Marcelo Gomes, Paulo Caldas, Karim Aïnouz.
Fotografia: Mauro Pinheiro Jr.
Trilha Sonora: Tomás Alves de Souza.
Duração: 100 min.
Ano: 2005.
País: Brasil.
Gênero: Drama.
Cor: Colorido
Distribuidora: Não definida.
Classificação: 12 anos.

Amanhã tem mais Cine Paraíso!

O último domingo (9) foi importante para a história do audiovisual amapaense, neste dia ocorreu a reabertura do antigo Cine João XXIII, primeiro cinema da cidade de Macapá. Mais de 90 pessoas puderam desfrutar a bela arquitetura do espaço e o acesso gratuito a obras audiovisuais.

Tudo isso foi possível graças a ação federal Cine Mais Cultura e ao Coletivo Palafita que, em parceria com a Diocese de Macapá – Paróquia São José, estarão disponibilizando todas as sextas e domingos sessões gratuitas de cinema. Este projeto também é apoiado pela empresa Tropical Center – o shopping da construção.

O Cine Paraíso continua suas atividades amanhã, às 19h, com o filme “O cangaceiro” e “Limite”

O cangaceiro (1953/Brasil) – Lima Barreto

O bando de cangaceiros do capitão Gaudino semeia o terror pela caatinga nordestina. A professora Maria Clódia, raptada durante um assalto do grupo, se apaixona pelo pacífico Teodoro. O forte amor entre os dois gera grande conflito entre a turma.

Limite (1931/Brasil) – Mário Peixoto

O cinema mudo brasileiro atinge sua expressão máxima quando, em 1931, Mario Peixoto (então um jovem com pouco mais que vinte anos) lança sua obra-prima, o longa-metragem Limite, que acabaria sendo seu único filme concluído. Trata-se de uma vigorosa obra de vanguarda que apresenta ricas alternativas de narração, ritmo, fotografia e montagem. Uma verdadeira aula de cinema feito com conceitos radicalmente novos e apaixonados.

Desde a apresentação de suas imagens iniciais, Limite revela-se um filme incomum, em desacordo com os padrões adotados pelo cinema em seu molde burguês-comercial. Suas imagens vêm carregadas de estranheza e desajuste, resultado de uma depuração que busca do real aquilo que nem sempre é o que se convencionou como fotogênico e que, portanto, nem sempre corresponde às espectativas estéticas do grande público, acostumado, em parte, aos espetáculos que fazem apelo ao teatro filmado e ao folhetim previsível.

SERVIÇO:

O QUE? Cine Paraíso
QUANDO? 16 de janeiro
ONDE? Salão João XXIII, casa paroquial da Igreja São José, entrada pelo Formigueiro
QUANTO? Gratuito

Fonte: Coletivo Palafita.

Clube de Cinema inicia suas atividades de 2011

                                                            Por Alexandre Brito
Cinco vezes favela – agora por nós mesmos foi o filme escolhido pela coordenação do Clube de Cinema para iniciar suas atividades nesse ano de 2011. Criado no mês de maio do ano passado, o cineclube é um espaço fruto da parceria do Museu da imagem e do Som do Amapá (MIS-AP), Sesc-AP e Univercinema (UNIFAP) que busca atuar na difusão de produtos audiovisuais enfatizando sua importância na sociedade contemporânea, bem como suas diversas possibilidades de uso, seja no aspecto cultural, artístico, sociológico ou político.

O Clube de Cinema realiza sessões quinzenais nas quais os filmes exibidos são brevemente contextualizados pela equipe que coordena o cineclube como forma de estimular a visão crítica e o debate sobre o filme projetado entre o público que prestigia as mostras. A última sessão de 2010 contou com a presença do cineasta pernambucano Camilo Cavalcante que exibiu parte de sua filmografia e respondeu questões formuladas pelos presentes. “Esse é um dos papéis desempenhados por um cineclube: além de difundir os produtos audiovisuais, o movimento cineclubista busca também aproximar os realizadores independentes, como Camilo Cavalcante, de seu público”, explica Alexandre Brito, da equipe de coordenação do Clube de Cinema.

Nesse sábado, 08.01, o Clube de Cinema realizará sua primeira sessão de 2011, exibindo o filme Cinco vezes favela – agora por nós mesmos, “o filme foi escolhido porque trabalha com um formato interessante que estimula o debate. Ele é composto, na verdade, por cinco curtas que desenvolvem o mesmo tema, que é a favela. O filme é resultado de um conjunto de oficinas de cinema realizado junto a moradores jovens das favelas cariocas e os roteiros e a direção dos filmes, além de outras funções na equipe de realização, foram assumidas pelos próprios alunos dessas oficinas e o resultado ficou muito bom”, contextualiza Mary Paes, uma das responsáveis pela condução dessa primeira sessão de 2011.

A programação quinzenal do Clube de Cinema pode ser vista com antecedência no blog do Museu da Imagem e do Som
 (http://museudaimagemedosom.blogspot.com/assim como outras ações promovidas pelo MIS-AP e seus parceiros.
 

Serviço:
Clube de Cinema
Data: 08.01.2011
Local: Auditório do Museu da Imagem e do Som (segundo piso do teatro das Bacabeiras)
Hora: 18:30

Cine Paraíso estreia neste domingo!

Os amapaenses terão, a partir deste domingo (9) próximo, uma nova opção de lazer e entretenimento. Nesta data, ocorrerá a estreia do Cine Paraíso, novo projeto social do coletivo cultural de jovens artistas e agentes mídia livristas, conhecido como Coletivo Palafita. Todas as sextas e domingos, às 19 horas, estarão acontecendo sessões de cinema gratuitas no espaço do antigo Cine João XXIII, na casa paroquial da Igreja de São José, berço da cidade de Macapá (Largo dos Inocentes, bairro central).

Além dos trabalhos com música interdependente, como é o caso do Festival Grito Rock Amapá e Festival Quebramar, agora o Palafita inaugura uma nova empreitada: o cineclubismo.

Contemplados pela ação Cine Mais Cultura do Ministério da Cultura, sob orientação do Programa Mais Cultura, o projeto federal tem por objetivo a formação de plateias e o fomento do pensamento crítico tendo como principal base obras audiovisuais brasileiras.

Membro do Palafita e uma das responsáveis pelo projeto, Jenifer Nunes, comenta que “já existem grupos amapaenses desenvolvendo atividades cineclubistas com extrema competência, o plus que ofertamos ao público é realmente o espaço físico das exibições”.

Começando seu funcionamento a partir da década de 1960, o espaço do Salão João XXIII, antigo Cine João XXIII, foi o primeiro cinema da cidade. Sua arquitetura foi concebida segundo o modelo italiano, com estrutura de cine-teatro. No período em que ainda não havia o Teatro das Bacabeiras, também desempenhou a função de palco dos artistas amapaenses. É, portanto, histórico e simbólico para a cultura e memória do Amapá.

“Nosso esforço enquanto sociedade civil eclode numa perspectiva cidadã de democratização dos acessos à cultura. Priorizaremos em nossa programação obras audiovisuais locais, nortistas e brasileiras, mas os clássicos do cinema também terão espaço na curadoria”, reforça. Na sessão inaugural o público poderá assistir aos filmes “O contador de histórias” e “Simonal – Ninguém sabe o duro que eu dei”, ambas produções brasileiras.

“Queremos propor uma gestão colaborativa que dialogue não somente com outros cineclubes, mas com outras entidades, principalmente instituições educacionais. Iniciamos conversa com a UNIFAP, UEAP e MIS (Museu da Imagem e do Som), assim como o IPHAN. Afinal, trata-se de um patrimônio da sociedade que merece cuidados, políticas públicas adequadas e o (re)conhecimento da sociedade em geral. Com certeza será o início de parcerias que renderão fruição a todos”, finaliza.

Realização: este projeto é apresentado pelo Cine Mais Cultura, com realização do Coletivo Palafita em parceria com a Diocese de Macapá – Paróquia São José. É integrado ao Clube de Cinema Fora do Eixo e apoiado pela empresa Tropical Center – o shopping da construção.

Contato: Jenifer Nunes, (96) 8116-7203, [email protected]

SERVIÇO:
O QUE? Inauguração do Cine Paraíso.
QUANDO? Domingo, 09 de janeiro, às 19h.
ONDE? Casa paroquial da Igreja de São José, entrada pelo Largo dos Inocentes (Formigueiro) – Avenida Mendonça Furtado, Centro.
QUANTO? Gratuito.
— ——-
Comunicação – Coletivo Palafita
Ponto Fora do Eixo – Macapá (AP)

@coletivopalafita

Circuito Tela Verde será realizado na Fortaleza de São José

O Museu da Fortaleza de São José de Macapá realizará, no dia 16, das 19h às 22h, na muralha Oeste (fosso seco) do Forte, a “Mostra de Curta-Metragem”. Serão exibidos filmes do “Circuito Tela Verde”, organizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pelo Ministério da Cultura (Minc). A iniciativa será executada em parceria com a coordenação do 7º Festival Imagem e Movimento (FIM). A entrada é franca.

A muralha da Fortaleza se tornará um grande telão. O comando da iluminação da “sala de cinema” ao ar livre ficará sob a responsabilidade da noite, do céu e das estrelas e o gramado comportará o público. Para projetar os filmes será utilizado tecido branco, suspenso por corda de seda. O curta que vai inaugurar o projeto é o Navegantes do velho Chico, lançado este ano, de 15 minutos. Ao todo, serão exibidas 06 produções.

De acordo com a gerente do Museu Fortaleza de São José de Macapá, Obde Gadelha, o objetivo da mostra é dinamizar as ações do Cine Mairi, que funciona no Patrimônio Histórico desde o início de 2010. Além de divulgar e estimular atividades de educação ambiental por meio da linguagem audiovisual e despertar a sociedade para a participação nos processos de gestão ambiental locais. A equipe envolvida no evento conta com servidores da Fortaleza e associados do FIM.

“A programação é inovadora, com possibilidade de aumentar o número de exibições e realizar novas ações de utilização do projeto de cinema da Fortaleza. Não só no cinema convencional, mas em outros tipos de linguagem audiovisual utilizando diferentes formas, aliando as ações do Cine aos objetivos da preservação e manutenção do patrimônio histórico, pois, durante o Festival será realizado um diálogo sobre educação patrimonial”, explicou Obde Gadelha.

O FESTIVAL IMAGEM E MOVIMENTO

O FIM é um evento realizado pela sociedade civil organizada que busca a democratização do audiovisual, por meio da organização de mostras, cursos, palestras e oficinas. São entidades ligadas ao universo cultural, do audiovisual e amantes do circuito, engajados no movimento Pró-audiovisual no Amapá.

O CINE MAIRI

O Cine Mairi é um projeto selecionado, por meio da parceria entre a Secretaria de Audiovisual (SAV) do Minc, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Secretaria de Estado da Cultura do Amapá (Secult).

A Fortaleza de São José de Macapá foi escolhida para receber os equipamentos cinematográficos do Cine Mais Cultura, por ser um Patrimônio Histórico Cultural referência do Estado do Amapá e por ter preenchido os critérios e especificidades estabelecidos pela Secretaria.

Os equipamentos do programa Cine Mais Cultura visam integrar, ampliar e intensificar a utilização do audiovisual nas soluções para os desafios impostos na nova política social para o Brasil no eixo cultura.

Assim surgiu o Cine Mairi, que oportuniza a sociedade amapaense filmes brasileiros da Programadora Brasil e também outros não cadastrados na programadora. Mas 60% (sessenta por cento) são produções cadastradas.

Sua pré-estréia aconteceu no dia 12 de Março de 2010, com a exibição do documentário “Fortaleza, Nosso Forte, Nossa História”, com a presença de autoridades, jornalistas, documentaristas e representantes de outros cines contemplados pelo Minc.

A estréia ocorreu no dia 13 de março de 2010 com sessão especial da Programadora Brasil voltada para mulheres, por conta das comemorações da Semana da Mulher, com apresentação do filme Vida de Menina.

Desde a criação do Cine Mairi foram realizadas 32 sessões, exibidos 43 filmes, com um total de 970 expectadores, com média de 30.31% pessoas por sessão. “Dos gêneros exibidos até o momento 40,38% foram de ficção, 36,54% animação, 20,19%, documentários e 2,88% foram curtas experimentais”, informa Obde Gadelha.

CURTAS A SEREM EXIBIDOS NO DIA 16.12.2010

Horário: a partir das 19h:

– Navegantes do velho Chico – 2010 (15 minutos).

– Leônia: uma cidade visível – 2009 (14 minutos).

– A morta – 2010 (14 minutos).

– Urbano – 2010 – (4 minutos).

– Amor puro e simplesmente (4 minutos).

– Cordel – 2009 (3 minutos).

Serviço:
Obde Gadelha, gerente do Museu Fortaleza de São José de Macapá.
Contato: 91283372

Elton Tavares
Assessor de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação

Cartum em Cartaz

A exposição Cartum em Cartaz, Exposição da arte do cartum sobre a arte do cinema, do cartunista Ronaldo Rony, terá sua estreia na terça-feira (14), às 20h, no hall do Teatro das Bacabeiras. A exposição aborda o tema Cinema e faz parte do Festival Imagem-Movimento (FIM).

O cartunista Ronaldo Rony apresentará mais uma exposição de desenhos de humor.  O Festival Imagem-Movimento já está rolando, já que a programação conta com oficinas de audiovisual, palestras e mostras de cinema nos bairros da capital e no interior. A mostra contará com a participação especial do artista plástico Aog Rocha.
Meu comentário: Esta exposição promete ser um banho de arte e humor, já que conta com dois artistas conceituados e que tenho orgulho de dizer que são amigos meus. Confira a programação completa no endereço eletrônico:

Não perca mais este campeão de bilheteria!

A melhor reunião do Clube de Cinema será hoje

                                                                                     Por Alexandre Brito

Cineasta Camilo Cavalcante

A reunião do Clube de Cinema deste sábado promete ser a melhor já realizada. A programação será composta pela exibição da filmografia do cineasta pernambucano Camilo Cavalcante que está em Macapá ministrando curso de Realização audiovisual coletiva dentro da programação do VII Festival Imagem-Movimento.
É a primeira vez que o Clube de Cinema faz uma sessão com o diretordos filmes exibidos presente para comentar e debater com o público.Será uma interessante oportunidade para os realizadores e cinéfilos locais trocarem experiências e percepções sobre o audiovisual e suas diversas possibilidades.
Na oportunidade também estaremos comercializando um Box de DVD Duplo e com encarte com a filmografia de Camilo Cavalcante pelo módico valor de R$ 15,00.

Além disso, teremos a fala de Tuto Pessoa socializando, com os presentes, as principais discussões ocorridas na 28ª Jornada Nacional de Cineclubes, na qual ele participou como representante do Univercinema. Portanto será uma sessão com muitos atrativos.

Serviço:
15º Sessão do Clube de Cinema
Data: 11.12.2010
Hora: 18:30
Local: Auditório do Museu da Imagem e do Som (2º piso do Teatro das Bacabeiras)
Tema: Filmografia de Camilo Cavalcante.
– Com comentários do diretor após as exibições.
– Venda de DVD personalizado com a filmografia do Diretor.
– Entrada Franca.

Programação 7º FIM

                                                                                     Por Alexandre Brito

Estamos em meio a programação do VII FIM – Festival Imagem-Movimento. Essa programação começou percorendo cinco municípios do estado (Porto Grande, Serra do Navio, Mazagão Velho, Ferreira Gomes eTartarugauzinho) ontem, quinta 08, iniciamos o curso com o cineasta pernambucano Camilo Cavalcante. Programe-se e acompanhe as ações do FIM 2010 que tá bem diversificada, muito filme bom, palestras, exposição, seção de vinil e muita gente legal para conversar!

O Festival Imagem-Movimento destaca que as parcerias estabeleciadas são muito importantes para a ampliação e consolidação de suas ações. Por isso destacamos esses parceiros: Sesc-AP, MIS-AP, Univercinema, BDeC-AP, FotoNunes, Bia Tur.

Programação 7º FIM

07 a 12.12 (terça-domingo)

Oficina de audiovisual com Camilo Cavalcante

– Oficina 01: Realização audiovisual (auditório do MIS);

Horário: das 15h às 18h

11.12 (sábado)

Clube de Cinema com Camilo Cavalcante

Horário: 18h30min-21h

Responsáveis pelo Clube de Cinema: Carla Antunes, Alexandre Brito

11 e 12.12 (sábado e domingo)

FIM em Santana;

– Oficina de produção de curta metragem;

– Mostra Camilo Cavalcante;

Responsáveis pela atividade: Mari Paes, Maksuel Martins e Tuto Pessoa.

13, 14, 15, 16, 17, 18, 19.12 de 2010 (terça a domingo):

VII FIM;

13.12 (sexta)

Mostra da Escola de Cinema de Cuba (auditório do MIS)

Horário: 19-21h

14 (terça-feira):

Abertura do VII FIM 2010 19-23H;

– Cortejo da Imagem, 18h, (Concentração no Teletubes, chegada no Teatro das Bacabeiras);

– Abertura da exposição de cartuns com o tema “cinema”, 20H, (Hall do Teatro das Bacabeiras);

– Mostra Acervo FIM , 21H, (no auditório do MIS, Teatro das Bacabeiras);

15.12 (quarta):

Mostra Acervo FIM nos Bairros 15-18H;

– Pedrinhas;

15.12 (quarta)

Mostra FIM 2010 – 19-22H

Auditório MIS – 2º Piso Teatro das Bacabeiras

16.12 (quinta)

Mostra Acervo – 19-22H

Muralhas da Fortaleza

17 (sexta) 18H:

Palestra 18H-19H30MIN

Tema: Vídeo-arte, com Cristiana Nogueira (UNIFAP), no Auditório do MIS

Mostra FIM 2010 20-23H

Auditório MIS – 2º Piso Teatro das Bacabeiras

18-19 (sábado-domingo):

Palestra 02 – 19-20H30MIN

Tema: Deleuze e o Cinema, com Herbert Emanuel (UEAP), no Auditório da Fortaleza

Mostra Acervo FIM no Pacoval.

Virada Audiovisual, 22H

A Festa do FIM, Arena Paint Ball

O FIM acaba quando vem a luz!

-Exposição projetada das fotografias realizadas durante o festival.

7º Festival Imagem-Movimento

                                                                              Por Alexandre Brito

O 7º Festival Imagem-Movimento inicia dia 07.12 o curso de realização audiovisual com o cineasta pernambucano Camilo Cavalcante. Durante o curso o diretor irá ministrar conteúdos e técnicas chaves para a realização de produtos audiovisuais.
O estilo de Camilo é ácido e cortante, um cinema militante, mas que dialoga com o artístico. Cinema vivo, forte, agressivo. Será uma ótima oportunidade dos produtores independentes do estado participarem de um intercâmbio consistente e, sem dúvida, rico em trocas de experiências  e pontos de vista sobre o audiovisual na sociedade contemporânea.

O curso disponibilizará 25 vagas. As inscrições podem ser feitas no  Museu da Imagem e do Som (segundo piso do Teatro das Bacabeiras) de 9 às 12 e de 15 às 18:30 em formulário próprio. O inscrito também deve levar uma carta de intenções justificando porque quer fazer esse  curso. As inscrições são gratuitas. O horário do curso será de 15 às 18 no período de 07.12 a 12.12.
O Festival Imagem-Movimento conta com vários parceiros para execução e êxito de suas ações: Univercinema, MIS-AP, Sesc-AP, Bia Tur, ABDeC e Foto Nunes. A programação completa do festival com datas, locais e horário das atividades estão disponíveis em:

MIS recebe oficina de Releitura Fotográfica

O Museu da Imagem e do Som do Amapá receberá nos dias 18 e 19 de novembro a “Oficina de releituras de imagens”, realizada pelo Grupo Artístico Imagem e Cia. A oficina ocorrerá das 9 às 11:30, as inscrições podem ser feitas gratuitamente na sala do Museu da Imagem e do Som do Amapá em horário comercial. Se o inscrito optar por certificado o Grupo Artístico Imagem e Cia. estipulou a taxa de R$ 5,00 para custear a impressão do mesmo.

Fonte: http://museudaimagemedosom.blogspot.com/