Combate à corrupção: MP-AP realiza Operação Sangria e cumpre 23 mandados de busca e apreensão

Na manhã desta segunda-feira (24), o Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do seu Grupo de Atuação Especial para Repressão ao Crime Organizado (GAECO), com apoio do Núcleo de Inteligência do Ministério Público do Amapá (NIMP/MP-AP), realizou a Operação Sangria nas cidades de Macapá, Calçoene e Vitória do Jari. Com a ação, o MP-AP tem o propósito de desarticular uma organização criminosa que atua nos municípios de Calçoene e Vitória do Jari, na prática criminosa de fraude e direcionamento de licitações, lavagem de dinheiro, peculato e formação de quadrilha. A ação cumpriu 23 mandados de busca e apreensão. Destes, sete na capital amapaense e os demais nas cidades citadas.

A Sangria é fruto de investigações iniciadas pela titular da Promotoria de Justiça do município de Calçoene, promotora de Justiça Christie Girão. As ações da Operação foram coordenadas pelo procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves, e pelo subprocurador -geral de Justiça, Nicolau Crispino. As apreensões contaram com o apoio de vários promotores de Justiça na capital e no interior.

Ao todo, 40 pessoas estão sendo investigadas, dentre elas secretários municipais, servidores do município, empresários e o atual prefeito de Calçoene. A prática ilícita foi identificada em várias áreas do Executivo municipal, como saúde e educação, entre outras pastas. O montante desviado do erário pode chegar a R$ 10 milhões, mas este valor ainda não foi confirmado.

Realizamos a Operação com a autorização do Judiciário, que nos permitiu o ingresso em algumas residências, acesso às chefias de secretarias e empresários que participavam dessa organização. Estamos no início das investigações, mas algumas provas confirmam os crimes. Ainda serão periciados os materiais apreendidos hoje. Agradeço o apoio dos membros e servidores do MP-AP que participaram da ação, do nosso Gabinete Militar, da PRF, de dois grupamentos da Polícia Civil, NIMP e do GAECO”, pontuou o procurador de Justiça Nicolau Crispino.

O titular da Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal no Estado do Amapá (SRPRF/AP), Klebson Sampaio do Nascimento, participou da coletiva de imprensa com os membros do MP-AP e agradeceu a confiança do Ministério Público na PRF, ressaltando que a instituição que ele dirige está à disposição para qualquer ação de combate à corrupção.

Durante a ação, o MP-AP apreendeu muitos documentos e equipamentos eletrônicos, que passarão por análise de profissionais especializados da instituição.

O atual prefeito especificamente de Calçoene está sendo investigado e no caso de Vitória do Jari a ação ocorreu por conta de um desdobramento, mas ainda não temos uma conclusão do envolvimento da alta autoridade municipal daquela cidade. A prática da organização é a mesma de outras que já investigamos, com um grupo de licitação que favorece as fraudes; alguns empresários que são beneficiados pelos procedimentos licitatórios fraudados e os agentes públicos que aceitam propina para ajudar nesse esquema ilícito. As fraudes nos procedimentos licitatórios e podem chegar aos R$ 10 milhões subtraídos, mas, não estamos afirmando que foram 10 milhões desviados, somente que o montante pode chegar a essa soma”, explicou o promotor de Justiça e coordenador do GAECO, Afonso Guimarães.

SERVIÇO:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *