Comunidade católica inaugura novo prédio da Igreja Santa Edwiges

Por Eliazar Bezerra

Dia 16 de outubro, a igreja católica celebra a festa em homenagem a Santa Edwiges, considerada protetora dos pobres endividados e das famílias. Em Macapá, a data será marcada pela festividade solene de inauguração do novo prédio da igreja da Santa Edwiges, fundada em 2002. Localizado na rua Porto Velho, 688, Bairro Infraero II, Zona Norte Macapá. A solenidade contará da Santa Missa a partir das 19H, e apresentação de peça teatral por membros da comunidade.

Histórico criação da Igreja Santa Edwiges em Macapá

Os primeiros moradores do bairro Infraero II, fundado em 1997, formaram uma comunidade católica que recebeu o nome de N. Sra. de Livramento. Depois mudado pelo padre Arcângelo Vanin, para Santa Maria Rainha da Paz, onde a comunidade participava das celebrações. Devido as dificuldades de locomoção na comunidade, padre Arcângelo e as lideranças comunitárias decidiram que a s missas seriam celebradas nas residências dos comunitários até a construção de uma capela. Assim, em julho 2000 , com dinheiro arrecadado na comunidade, foi realizado a compra do terreno. Os mutirões executados nas comunidades e promoção de eventos continuaram. Em julho 2002, foi celebrada missa na entrega do prédio batizado com o nome Capela de Santa Edwiges.

A partir de Outubro de 2012, Santa Edwiges, passou de capela para Igreja. Hoje, são realizada atividades, nos grupos de jovens, catequeses, pastoral do dizimo, pastoral do batismo, pastoral familiar. E nos projetos sociais: teatro, grupos de dança. Devido o aumento do numero de fiéis na comunidade, a igreja precisou de um espaço maior para as atividades pastorais. Cogitou-se a possibilidade da compra de uma área maior, não foi possível. Então, se decidiu edificar na igreja existente outro prédio maior. Em dezembro de 2016 começou os trabalho de edificação da novo prédio. Obra construída no contorno da igreja antiga, não havendo paralisação das atividades religiosas. Os investimentos na construção foram recursos oriundo de rifas, eventos juninos, domingueiras alegres; campanhas realizadas nas comunidades.

Segundo, Maria de Fátima Oliveira,55, coordenadora na Igreja, “Há muito tempo acompanhado as atividades religiosas na comunidade, desde que era capela. Para nós, assim como para muitos membros passar em frente à igreja e ver como era e, como está é gratificante , tanto pela sua belíssima história e quanto pelas contribuições de amor e fé dos membros da comunidade. Hoje, me sinto feliz pelo empenho dos membros, que tanto contribuem para que tenhamos uma igreja maior, que atende os anseios da comunidade católica”.

Jose Edir Leite de Mendonça, 66, relata “Eu residia no município de Pracuúba (AP), vim morar aqui na comunidade, e percebi que em frente a minha casa havia uma igreja. E aconteceu a primeira aproximação, ao colocar a venda propriedade de Pracuúba. Fui até a c apela e fiz uma promessa a santa Edwiges, fui atendido, em uma semana surgiu comprador, em trinta dias realizei a venda. Assim, procurei a coordenação para pagar a promessa, que era doação de 12 bancos. Só que já haviam adquiridos os bancos. Entreguei o valor para ser usado na obra que estava em andamento. Passei a participar das atividades realizadas na igreja. Novamente ao pedi ajuda da santa . Ao fazer viagem Macapá/Oiapoque, não atentei para sinalizações, que gerar ia altas multas, e fui atendido, não houve multas. Então, senti protegido da santa, me engajei nos trabalhos da igreja. Em agosto deste ano, fui convidado e aceitei coordenar os trabalhos fase conclusiva da construção da igreja. Gracas a Deus, após muitas lutas, e apoio incondicional da comunidade, estamos felizes finalizando e entregando o novo prédio da nova igreja santa Edwiges”.

Eliazar Bezerra
Jornalista
9 91899161

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *