Doadores com tipos sanguíneos raros são convocados a repor estoque do Hemoap


O Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) está convocando doadores para garantir o nível seguro de bolsas de sangue, principalmente dos tipos sanguíneos considerados raros, como A-, A+ e O-, sendo que este último, além de ser raro, ainda é o doador universal e utilizado em casos de emergência antes que seja determinado o tipo sanguíneo do paciente.

Segundo o diretor-presidente do Hemoap, José Sávio Santos, a média diária de doação está em torno de 90 voluntários, quando o ideal seria de 120. “A fidelização de doadores é uma dificuldade nacional, mas temos muito a questão dos doadores pontuais, que são aqueles que fazem a doação para uma demanda específica, como a cirurgia de um familiar ou pessoa conhecida, e o nosso objetivo maior é fidelizar esses doadores de um modo geral, independente do tipo sanguíneo, estimular essa pessoa a vir ao hemocentro e se tornar um doador regular”, explicou Santos.

Outro fator que influencia na queda das bolsas de sangue é o índice de reprovação de candidatos a doadores. O balanço de 2017 mostrou que das 19.488 mil pessoas que foram ao centro doar, apenas 13.533 mil conseguiram realizar o procedimento, contra 13.800 mil em 2016.

Os principais motivos para a reprovação de doadores são: ter ingerido bebida alcóolica no dia anterior à doação, doador que vai em jejum, estar tomando alguma medicação, estar com algum problema de saúde recente, ter extraído um dente ou ter passado por algum procedimento cirúrgico recentemente.

A estudante universitária Diana Penha fez sua primeira doação e disse que pretende se tornar uma doadora regular. “Já havia feito uma promessa de ser doadora depois que a minha mãe passou por uma cirurgia e precisou de oito bolsas de sangue, mas vi que estavam precisando de sangue porque o nível estava baixo e resolvi me voluntariar para doar. Pretendo incentivar meus irmãos e outras pessoas a virem também, porque a gente nunca sabe quando vai precisar”, finalizou.

Como ser doador de sangue

Para se tornar um doador voluntário, a pessoa precisa estar saudável, com mais de 50 kg, ter entre 16 e 69 anos – menores de 18 somente com autorização dos responsáveis e maiores de 60 se já forem doadores assíduos. O doador precisa estar descansado e alimentado. Antes de doar, a pessoa passa pela triagem clínica, onde é feito um questionário sobre a saúde e a vida da pessoa para tentar identificar todo o fator que a deixa inapta temporariamente.

Todo o sangue doado passa por um processo de segurança da qualidade do material, através de seis tipos de exames: HIV, Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas e HTLV.

Fonte: Diário do Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *