MP-AP recebe representantes da AAPLAP e Deputada Roseli Matos

O procurador-geral de Justiça Márcio Augusto Alves reuniu na manhã desta segunda-feira, 23, com a deputada Roseli Matos e representantes da Associação de Amigos e Pessoas com Lúpus no Amapá (AAPLAP), para tratar sobre a campanha de alerta sobre o lúpus, uma doença de difícil diagnóstico e ainda crônica e sistêmica.

Durante a visita, Roseli Matos destacou a campanha que vem sendo realizada pela AAPLAP para a conscientização da doença e a busca por parcerias é uma das metas para disseminar as informações e o trabalho desenvolvido. “Agradeço ao procurador Márcio Alves por nos receber, e nosso objetivo, hoje, é trazer ao Ministério Público, por meio do procurador-geral, a importância de conhecer melhor o problema do lúpus no Estado do Amapá e o trabalho da Associação. Nós estamos sempre buscando parceiros que possam ajudar a AAPLAP no trabalho e conscientização da sociedade, para que cada cidadão possa olhar sensivelmente para a própria saúde e do outro também. Por isso esta parceria com o MP é essencial para contribuir com a qualidade de vida dos pacientes de lúpus em nosso Estado”.

“Nós conhecemos pouco sobre esta doença e acredito que muitos na sociedade também. É muito importante que nossa comunidade e as autoridades se atentem e se unam para ajudar neste esclarecimento. A falta de informação faz com que elas não olhem com sensibilidade para estes casos”, alertou o PGJ Márcio Alves.

A presidente da AAPLAP, Francielle Martins Morais, esteve durante a reunião e elencou alguns pontos positivos que a parceria entre a Associação e o MP-AP poderia resultar. “Buscamos por algo específico que possa servir como apoio para os que são afetados pelo Lúpus. Aqui, no Estado, não temos nenhum apoio no momento, nem por parte da Prefeitura, nem por parte de nenhum governante. A Associação está lutando pela qualidade de vida em prol desse tema que ficará fixo todos os anos”, reiterou.

Francielle destaca que a doença afeta a vida das pessoas que sofrem com lúpus de muitas maneiras, como ser afetado pela radiação solar, com a falta de medicamento, falta de acesso à informação e também com a falta de compreensão das demais pessoas sobre a doença. “Alguns pensam que a doença é contagiosa ou que é algum tipo de câncer. Por causa disso a sociedade amapaense precisa ter conhecimento, compreender a doença, para que ela respeite, acima de tudo, o paciente com lúpus”, finaliza Francielle.

De acordo com o PGJ Márcio Alves, durante o Luau da Samamúa do mês de dezembro, será realizado um momento de conscientização e atenção sobre o lúpus.

Sobre o Lúpus

O lúpus é uma doença autoimune, onde o sistema imunológico ataca os tecidos saudáveis. Não tendo cura, a única solução é o controle através de acompanhamento médico e medicamento.

Os sintomas podem variar de portador para portador, mas o mais frequentes são: febre, manchas na pele, vermelhidão no rosto e bochechas, fotossensibilidade, dores articulares, perda de apetite, ansiedade, depressão, doenças reumatológicas, renais, sanguíneas e respiratórias.

O grupo mais afetado pelo lúpus é o de mulheres na faixa etária de 10 à 40 anos, segundo informações cedidas pela AAPLAP.

Para mais informações procure a AAPLAP:
Telefone: (96) 99115-0877

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *