Poema de agora: Extra – Marcelo Abreu

Extra

Ouço o noticiário:
O lúgubre da manchete,
Do colapso funerário.
Do lucro da farmácia,
Que se foda o operário.
Do descaso com a saúde,
Do infarto do ordenado.
Da metástase corrosiva.
Da indigência do pirralho.
Do lugar que ainda não veio,
O socorro desejado.
Da promessa mentirosa,
Do messias endemoniado.
Do amor e seu escasso,
Da carência do bastardo.
Na súplica de um povo,
Que não aguenta ser roubado.

Marcelo Abreu

*Contribuição de Patrícia Andrade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *