Poesia de agora: POEMA TORTO – Pat Andrade

POEMA TORTO

às vezes o poema
brota áspero
e a rima vem torta

o verso não espera
a hora certa

quando a dor
vai embora
resta apenas
a pena triste e gasta

resta a folha rabiscada
o sentimento vazio

tudo jogado fora

Pat Andrade

  • Avatar

    Importante a divulgação e a essência de cada escritor e mais importante o efeito que a poesia nos trás. BJSSSSS linda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *