Rede Social Corporativa e Identidade Funcional do MP-AP são disponibilizadas para dispositivos móveis

Membros e servidores do Ministério Público do Amapá (MP-AP) agora têm em mãos o acesso a documentos e serviços da intranet por meio do aplicativo para dispositivos móveis “MP Conectado Mobile”. Em reunião realizada na segunda-feira (5), a procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, acompanhada da subprocuradora-geral de Justiça para Assuntos Jurídicos, Clara Banha, e do secretário-geral do MP-AP, Alexandre Monteiro, aprovou a versão do layout da carteira de identidade funcional, a “e-funcional”, que será disponibilizada na rede social corporativa via aparelho celular.

O diretor do Departamento de Tecnologia da Informação, Rodinei Paixão, e os servidores do DTI, Marcell Ribeiro, Marcelo Pantoja e Fábio Ferreira, participaram da reunião de apresentação das funcionalidades do novo aplicativo móvel do MP, que possui recursos como feed de notícias, acesso a serviços como geração de contracheques, consulta pessoal de portarias e processos e da “e-funcional”.

A expedição e uso da Carteira Funcional Digital dos integrantes do MP do Amapá é regulamentada pelo Ato Normativo nº 14, de 2 de julho de 2020, que destaca, dentre outras considerações, “que o atual estágio tecnológico permite a incorporação de mecanismos de segurança que garantam a autenticidade, a integridade, a veracidade e a validade jurídica do documento, evitando-se a confecção de falsas identidades funcionais”.

Rodinei Paixão apresentou o modelo e explicou que a emissão é prática e rápida, a partir do preenchimento da requisição na intranet, o envio da solicitação é feito ao Departamento de Gestão de Pessoas, responsável pela liberação e expedição da Carteira funcional, tanto do modelo físico quanto do eletrônico, podendo pode ser acessada através do aplicativo MP Conectado que está disponível nas plataforma Android e IOS. “Criamos o aplicativo para que seja, além de um canal de informação, a maneira mais segura de disponibilizar a carteira funcional eletrônica”, informou o diretor do DTI.

Clara Banha observou se o modelo da carteira digital obedece a todas as normas do Ato e também em relação à segurança. Enquanto que Alexandre Monteiro se ateve às questões relacionadas aos encaminhamentos a serem dados pelo DGP.

“A equipe do DTI está de parabéns pelo trabalho desenvolvido, colocando nossa instituição mais uma vez na vanguarda, dispondo dos avanços tecnológicos para gerar praticidade e mobilidade aos membros e servidores, bem como de economia para a instituição, que terá um custo a menos com impressão dos documentos”, manifestou Ivana Cei.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *