Amapaense João Amorim expressa melancolia do carnaval pandêmico no clipe de “Deusa”, seu terceiro single

Assim como tantos artistas mundo afora, o amapaense João Amorim (35) teve sua carreira duramente impactada pela pandemia da Covid-19. Expoente da cena musical que já deu ao Brasil nomes como Patrícia Bastos (indicada ao Grammy latino em 2017), o cantor e compositor tucuju se preparava para embarcar numa turnê por nove estados da Amazônia.

Ele planejava as filmagens do clipe de “Deusa”, seu terceiro single que fará parte do disco Festa Temporã, quando viu todos os seus planos e projetos profissionais interrompidos por tempo indeterminado. Além da angústia infligida pela pandemia e pelo isolamento, João vivenciou junto com milhares de amapaenses o apagão que deixou o estado sem luz e abastecimento de água por mais de um mês. “No apagão eu tive que esquecer que eu era artista. Eu era o pai de duas crianças de cinco anos que tinha que correr atrás de água e comida para manter a nossa casa”, conta ele.

O lançamento da Lei Aldir Blanc, no ano passado, possibilitou a retomada do trabalho para artistas em todo o país. No caso de João, foi a oportunidade para retomar o sonho de lançar “Deusa”, que chega ao Youtube na última quarta-feira de cinzas (17). A escolha da data não foi por acaso. O clipe, assim como a música composta em parceria com Danilo José, traduz a nostalgia de um carnaval no mundo sem pandemia.

A caprichada produção foi rodada no galpão da escola Maracatu da Favela, entre as alegorias do desfile de 2020, que serão destruídas nos próximos meses para dar lugar aos adereços do próximo carnaval. A atriz e bailarina Mariana Andrade interpreta a “Deusa” que inspira a canção.

VISUAL ARROJADO

A qualidade técnica e o visual arrojado trazem a marca do audiovisual amapaense, que já desponta entre as novas cenas emergentes do cinema brasileiro contemporâneo. Principal nome do cinema local, Célio Cavalcante Filho assina a direção geral e a direção de fotografia do clipe. “Criar esse mundo com a sua própria luz e realidade alternativa desse ano de não carnaval só foi possível graças a parceria com várias produtoras e profissionais incríveis da nossa cidade. A partir do momento em que se dispõe a se criar um mundo fictício, nesse caso, de um realismo fantástico, você tem que ter subsídios de linguagem que segurem a imersão do espectador, envolvido com a música e as imagens desse mundo louco da cabeça desse homem enfeitiçado, apaixonado, obcecado por essa Deusa”, explica o diretor.

Célio também é diretor de “Amanda”, primeiro longa-metragem comercial feito no Amapá, que tem previsão de lançamento para 2022. “Sinto até vontade de chorar quando penso nessa retomada. É uma coisa que eu tinha sonhado para o ano passado. Ficamos um ano na geladeira. Agora estamos saindo da geladeira com muito talento dessa equipe, com muita força, com muita alegria, todo mundo feliz em participar”, celebra João.

SERVIÇO:

Lançamento do clipe “Deusa”, de João Amorim
Disponível no Youtube a partir de 17 de fevereiro
Mais informações: [email protected] | (96) 98139-4322
www.joaoamorimartista.com.br

Foto: Dyego Bucchiery

SOBRE JOÃO AMORIM

João Amorim, cantor e compositor amapaense, desenvolve uma carreira autoral desde 2013, quando lançou seu primeiro álbum, “Nômade”. Sua música mais difundida é o single “Passa, Tchonga!” (João Amorim/ Paulinho Bastos), de 2018. Em 2020 lançou Festa Temporã, single composto com dois grandes nomes da música amazônica, Zé Miguel e Manoel Cordeiro. A canção dará título a um álbum de composições e arranjos regionais urbanos, que o músico lançará em 2021. Há cinco anos João realiza todos os domingos o projeto Roda de Bandaia, com repertório 100% tucuju, com muito Marabaixo, Bandaia e Zouk. Já subiu no pódio de festivais regionais e nacionais com suas músicas autorais, entre eles o FLIC, em Santa Catarina, onde alcançou o segundo lugar nacional com a música “Índia Waiãpi”. “Deusa” dá continuidade à sua missão de divulgar os ritmos latino-amazônicos por todo o planeta.

Foto: Dyego Bucchiery

SOBRE O DIRETOR

Célio Cavalcante Filho é diretor e roteirista amapaense, com formação em direção pelo The Mel Hoppenheim School of Cinema, Faculty of Fine Arts, Concordia University (2002), e assistente de direção, na McGill University (2003). Dirigiu e roteirizou a série “Brasileiros S/A” (Cinebrasil.TV), e a série “Mad Scientists – Cientistas que ninguém quis ouvir” (EBC), ambos contemplados pelas Chamadas Públicas do BRDE/FSA. Co-dirigiu o curta-metragem “Juliana Contra o Jambeiro do Diabo Pelo Coração de João Batista”, exibido no Festival de Cannes (2012), e “Ribeirinhos no Asfalto”, vencedor do Festival de Gramado nas categorias Melhor Atriz e Melhor Direção de Arte. Está em preparação de “Amanda”, sua estreia no longa-metragem.

Foto: Dyego Bucchiery

FICHA TÉCNICA
Argumento: João Amorim
Interpretando a Deusa: Mariana Andrade
Direção e Direção de Fotografia: Célio Cavalcante Filho
Operador de Câmera: Nildo Costa Preto
Assistente de Câmera: Naldo Sousa Costa
Eletricista: Marivaldo Rocha
Maquinista: Damião Muniz
Assistente de Elétrica e Maquinaria: João Victor Muniz
Direção de Arte: Jami Gurjão e Moka Negreiros
Assistente de Arte: André Pinheiro
Maquiagem e Figurino: Lobotomy
Produção de Set: Vevel Silva
Direção de Produção: Rosana Oda
Assistente de Produção de Arte: Leandro Nascimento
Montagem e Color: Célio Cavalcante Filho
Finalização e Efeitos: Richard Monteiro
Still e Making Of: Dyego Bucchiery
Motorista: Cesar Farias
Seguranças: Eliezer Tavares e Gerson Brandão
Pirofagia: Abismomento, Guilherme Del Castillo e Lobotomy
Coreografia Pole Dance: Dani Amaral

Composição: João Amorim e Danilo José
Voz: João Amorim
Baixo e Bateria: Hian Moreira
Piano e Teclados: Robson Costa
Violão: Fabinho Costa
Trombone: Geová Boner
Trompete: Jonathan Soares
Masterização: Alécio Costa
Produção: João Amorim e Hian Moreira
Gravado no Hian Moreira Home Studio

Produção Executiva: Miroma Produções
Produção: Duas Telas Produções
Produtora e Projetista Cultural: Susanne Farias
Diretor de Arte: Renato Carvalho
Produtor e Diretor Cultural: Josimar Barros

Foto: Dyego Bucchiery

AGRADECIMENTOS
André Uchoa
Beatriz Soutelo
Damião Muniz
Eduardo Spíndola
Elson de Oliveira da Gama
Jackson Brito de Oliveira
Jones Barsou e Ana Caroline (Casa Circo)
Nagib Richene
Paulo Madeira
Toninho Duarte

Foto: Dyego Bucchiery

PARCERIAS
AMAZÔNIA FILMES
AMORA FILMES
ANDARALUNA
FilaDELfia
IMPACTO COMUNICAÇÃO
NAGIB COMUNICAÇÃO
SET FILMES

A música “Deusa” foi produzida e será distribuída em todas as plataformas digitais com o patrocínio do Prêmio Edital 004 Fumcult/PMM Lei Aldir Blanc. O videoclipe musical de “Deusa” foi produzido com o patrocínio do Edital de Fomento Lei Aldir Blanc 003/Secult.

João Amorim
[email protected]
www.joaoamorimartista.com.br
(96) 98139-4322

Rafhael Barbosa
(82) 9904-7770
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *