Crise Financeira afeta Revecom em Santana

Foto: Shock – voluntário instituto Mapinguari

O Instituto Mapinguari em parceria com a REVECOM realiza uma campanha de arrecadação de fundos em prol da manutenção, pagamento de funcionários, e para que o local continue atendendo os animais que são entregues para cuidado. Localizada no município de Santana, a reserva mantém mais de 300 animais silvestres, dos quais muitos são incapazes de retornar para a natureza.

Desde o começo da pandemia as visitas foram suspensas e a reserva deixou de arrecadar uma parte importante da renda de manutenção. E há cerca de 6 meses aguarda o pagamento da última parcela do Termo de Fomento firmado com a Prefeitura de Santana, que está em atraso.

A escassez de recursos resulta atualmente no atraso de 2 meses no pagamento dos 4 funcionários (que são essenciais para manter a reserva ativa), na falta de manutenção dos viveiros, impossibilidade de construção de novos viveiros para os animais que o Governo do Estado continua encaminhando para Revecom, e falta de segurança na reserva que perdeu seu sistema de monitoramento.

Foto: Shock – voluntário instituto Mapinguari

A REVECOM

A RPPN REVECOM se destaca como uma das Unidades de Conservação mais efetivas do estado do Amapá. Ao longo de seus 24 anos de criação, através do Programa de Educação Ambiental Cidadania e Espiritualidade (PEACE) a reserva já atendeu cerca de 50.000 pessoas. E pelo Programa Voluntário de Atendimento à Fauna Silvestre (PVAFS) mais de 2.000 animais – proveniente de apreensões, tráfico, entrega voluntária, entre outros – já foram tratados, devolvidos à natureza ou permanecem sob os cuidados da reserva.

A supervisão dos trabalhos é realizada pelo proprietário e gerente técnico da reserva, o médico pediatra aposentado Paulo Neme do Amorim, juntamente com sua esposa Marilene de Araújo do Amorim. Paulo é ambientalista, e devido ao grande amor, apoiado na ideia de desenvolver atividades em prol da comunidade, “do bem estar ao próximo”, e de preservação do meio ambiente, idealizou a implantação da RPPN.

Foto: Shock – voluntário instituto Mapinguari

Problema Financeiro

Devido a suspensão das visitas a reserva a Revecom deixou de arrecadar R$240.000,00, parte importante da renda de manutenção das atividades. Além disso, há 6 meses a Revecom aguarda o pagamento da última parcela (R$15 mil) do Termo de Fomento firmado com a Prefeitura de Santana em 2020. Este pagamento deveria ter sido realizado em dezembro de 2020, mas até a presente data – e apesar das inúmeras tentativas de diálogo com a prefeitura – o pagamento ainda não foi realizado e não há sequer uma previsão ou posicionamento da Prefeitura municipal de Santana sobre esta situação.

Há 24 anos a Revecom contribui com o Amapá – especialmente com o município de Santana – através dos serviços ecossistêmicos, em termos mais claros: purificação do ar; retirada de gases do efeito estufa da atmosfera; berçário para reprodução de diversas espécies de peixes no igarapé mangueirinha (que nasce dentro da reserva); fornece abrigo e alimento para diversas espécies de animais silvestres e até para aves migratórias; recebe, trata, recupera e devolve para natureza centenas de animais; além de sua grande contribuição na formação de cidadãos e cidadãs mais altruístas e sustentáveis.

Foto: Shock – voluntário instituto Mapinguari

Doações

As doações podem ser realizadas por qualquer pessoa através do PIX 01477979000156, CNPJ que está em nome de Amorim e Amorim Ltda mantenedora, também futuramente será criado um abaixo-assinado para mobilizar a prefeitura de Santana a realizar o pagamento da última parcela do Termo de Fomento.

Serviço:

Instituto Mapinguari
Gerge Duarte – Assessor de Comunicação
(96)98400-1136

Adriane Formigosa – vice presidente Instituto Mapinguari
(96)98115-4230

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.