Poema de agora: Catando Ontens – Luiz Jorge Ferreira

Catando Ontens

Amo o que belamente se desencompleta
Por isso me curvo e raspo do assoalho vestígios do passado que por ali deixei cair
Encontro a sede que me pede um gole de água
…lhe dou saliva clara dentro de uma consoante
Mais adiante vejo um resto de olhar já sonolento…olhou tanto tempo…meu Deus, tanto tempo, que para enxergar se cega.

Estranho que essa seja a minha casa e tanto e muito eu lhe desconheça…
E essas palavras dependuradas nas gavetas sejam filhas de palavras escritas…escondidas de alguma forma estranha…
Quando eu as extraia das entranhas com unhas longas e ferozes como garras.

Tem tempo que perambulo a cata do passado, penso encontra-lo para um abraço amigo, para dividir o trigo escondido na alma desse pão.
Faz tempo que eu o chamo e ele não responde…ou fiquei surdo ao eco dos meus gritos…
Mas agora que raspo o assoalho retirando lembranças e recordações…
Vejo em minha mãos vestígios de rostos e sorrisos…
E como preciso guardar comigo esses detalhes…


Arranco a pele e os embrulhos…
Quando olho meu reflexo no espelho da sala…
Vejo tudo o que procuro aqui no meu interior, calados, cabisbaixos, com ar triste, com certeza, ocupando o espaço de minha alma.
Que ofereci ao pão, e ele cuspiu.

Luiz Jorge Ferreira

  • Rapaz, não há dúvida do inusitado em ti no trato com as palavras e fatos . Mergulho em um sonho de pedra.

  • Palavras ditas por um Gigante da Literatura de hoje que se faz nesse Brasil tão carente de intelectos!
    Obrigado

  • “Tem tempo que perambulo a cata do passado, penso encontra-lo para um abraço amigo, para dividir o trigo escondido na alma desse pão”
    São por essas coisas q vale à pena sofrer, estar, buscar, viver. Agradeço a vc, amigo! Por trazer algo tão lindo p nossos corações q aprendem tanto contigo.

  • Obrigado
    Vocês dividem comigo e eu com vocês esse tempo nesse tempo… estou lisonjeado pela companhia.

  • Não estou seguro em afirmar o quanto você se mostra um nobre Poeta ou um ilustre boleiro do nosso grupo do Nacional.
    Sou seu fã e amigo desde os idos anos 80 e isso muito me honra e envaidece.

  • Seus poemas são tão belos e inteligente que não tenho palavras no meu pobre vocabulário, para dizer aquilo que gostaria de dizer, mas confirmo a grandiosidade que eles representam.
    Arnobio Araújo Viana.

  • Maravilha de saber que fui prestigiado pelo Universo , para ser contemplado com está obra de um sábio e iluminado ser humano. Luiz Jorge

  • Fico eternamente grata por ser agraciada por Deus, por permitir tê-lo como amigo. Mais um lindo poema. Parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.