Homenagem ao Quino – Por Marcelo Guido

Por Marcelo Guido

Quino o insuperável ser do traço.

Se vai Quino, um amado argentino, sua criação nos fez pensar e refletir.

Mafalda, era uma bela menina, traços lindos de uma criança. Tão belos que encantava crianças e adultos, a mais de cinquenta anos.

A menina doce, que com ar angelical questionava como poucos, os problemas políticos, científicos e até de gênero, quando ninguém quase falava nisso.

Influenciando, uma série de artistas, pensadores, políticos e pessoas comuns , como esse que lhe escreve.

Se vai a vida, fica a história.

Agradeço por seus traços, por seus escritos e pelo que muito que aprendi com a adorada Mafalda, uma menina de quase 8 anos que odeia sopa.

Sem ser repetitivo, ou com uma pieguice salutar te digo, você sai da vida, mas já se encontrava na história.

O homem permanece vivo em sua obra.

Obrigado por tudo, Quino. 1932 – 2020.

*Marcelo Guido é jornalista.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *