Salima, uma exemplo de vida, agora brilha em outros campos

Não tem como deixar de escrever sobre Salima, por tudo o que representa neste momento para mim e para dezenas de amigos e vizinhos. A conheci ainda muito criança, no colo da Tica Lemos e mesmo com o coração operado ainda bebê, tinha sempre com lindo sorriso sapeca no rosto, mostrando que veio pra lutar, a começar por sua sobrevivência. Brincou com meus filhos, e filhos de outros amigos, enquanto nós , pais e mães, nos reuníamos para desforrar as quilometragens de trabalho em algum cantinho onde houvesse uma mesa e uma lugar pra filharada brincar. Vi Salima cresce no Laguinho, aproveitando o melhor que bairro oferece, do samba ao marabaixo, das pessoas às esquinas para um bom papo. Cheia de amigos, Salima desde criança sempre teve uma porção de histórias pra contar.

Depois, quando ainda era muito jovem, deixou as vantagens da juventude para se dedicar à Natália, e onde quer que estivesse estava com o carrinho, ou com a criança no colo Não há quem não goste da Salima e Natália, duas crianças que andavam sempre juntas pelo bairro, entre risos e uma cumplicidade explícita, que chamava atenção, por ser a mãe tão jovem e dedicada, e ter abdicado e passado por cima de tantas coisas para cuidar da filha. Era comum vê-las nos ensaios de escolas de samba e rodas de marabaixo, Natália vestida com saias ou uma flor no cabelo, dançando e sorrindo, enquanto Salima a observava. Mesmo abatida ou um pouco debilitada, ela levava a criança pra roda, e se satisfazia com sua alegria.

Fiz inúmeras fotos das duas, assim que me viam registrando as festas, já abriam o riso e faziam a pose naturalmente, e depois, aquele recado que não precisava dar: “posta essa foto e me marca”. Era a persistência para a vida o que o sorriso retratava, não se deixava abater, nenhuma lágrima, só esperança. Depois Salima foi para o facebook, e de lá acenava, dava boa noite, pedia atenção, dava carinho, e mostrava o quanto seu coração, operado na infância, guardava amor, gratidão, perdão e outros bons sentimentos que dão dignidade à uma pessoa. Por lá, continuei a acompanhar Sassá sorrindo para vida, lutando por ela, e declarar um amor que eu sei que é infinito por sua filha querida.

É assim que lembrarei sempre das duas, agora separadas por espaço entre dois mundos, mas unidas pela força invisível de almas que se completam. Tenho certeza, que de onde a estrela Salima estiver, seus olhos protetores estarão por perto de Natália, sempre cuidando, protegendo e acolhendo essa criança adorável que a mãe, que partiu tão cedo, deixou entre nós, para que nunca esqueçamos de sua batalha, sua força e esperança. Que a família, dona Graça, Tica, Pablo, tenha o consolo necessário neste momento, e que o amor entre Salima e Natália sobreviva para sempre, porque é exemplo de dedicação e amizade entre mãe e filha.

Mariléia Maciel

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*