Maradona:” O Mais Sujo de Todos os Deuses ” – Crônica de Marcelo Guido.

Crônica de Marcelo Guido

Talvez cansados da mesmice , ou querendo criar a indignação sobre o como é possível, ou querendo colocar mais magia neste já tão controverso esporte bretão, os Deuses do Futebol permitiram que um descesse a terra.

Era Maradona, de baixa estatura , brigando com a balança e uma canhota infernal.

Fazia das quatro linhas o seu feudo, onde era senhor e com maestria de quem sabia sempre o que estava fazendo conduzia a bola como poucos, ofensivo o fundo das redes era seu objetivo.

Dribles curtos, passes milimétricos, visão apurada a dez tinha um novo dono.

Surgiu de vermelho, encarnado no Argentino Juniors, ganhou notoriedade no Boca , passou pelo Barcelona e virou lenda no Napoli.

Em 86 o mundo se curvou a ele, com a mão de Deus a melhor resposta sobre as Malvinas, e no mesmo jogo uma pintura onde deixou para trás meio time dos pais do futebol, esse é o Gênio.

Como humano, sucumbiu aos prazeres mundanos, nunca foi exemplo, mas permaneceu adorado por seu povo.

Povo que o mesmo sempre representou em campo e fora dele, as raízes da vida antes miserável permaneciam no homem e intercalada os momentos, Maradona caia como humano mais levantava como um ser Mitológico.

Sua vida poderia ser escrita por Gabo, perante todo realismo fantástico que o mesmo fez, ou uma letra de uma boa cumbia, onde a tristeza e felicidade se encontram em versos melodias.

Ainda vieram o Sevilha, News Old Boys para lhe dar a 10 e entrarem para o panteão honroso de pavilhões defendidos pelo próprio Deus.

Gostaríamos de imaginar que sem os problemas extracampo como seria esse jogador, talvez o maior de todos, talvez mais títulos, mas não seria Maradona. Os erros também faziam parte dele.

Em 94 o golpe final, pela primeira vez preparado , com foco no título a landrolona não o permitiu.

Mas ao retornar ao seu amado Boca deu as últimas alegrias como jogador ao seu público, este que nunca o abandonou, que a 1 ano chorou com a partida repentina.

Maradona foi um exemplo de jogador, um exemplo humano, a verdadeira constatação que o bem e o mal são fases gêmeas da mesma moeda.

Por que amamos Maradona, deixo isso para o grande Eduardo Galeano que certa vez o resumiu assim: “Maradona se tornou uma espécie de Deus sujo, o mais humano dos deuses. Isso talvez explique a veneração universal que conquistou, mais do que qualquer outro jogador. Um Deus sujo que se parece conosco: mulherengo, falador, bêbado, ganancioso, irresponsável, mentiroso, fanfarrão ”.

Enfim, ele encantou Reis, respondeu a guerras, peitou a FIFA, traiu a máfia, ganhou o mundo e pagou um preço alto.

Genial e insolente, a cara do povo e pelo povo se vez lenda , pelas estórias que sempre serão contadas, Maradona, ” El Pibe” sempre estará nos campos inesquecíveis da história do futebol.

Há um ano ele é eterno.

*Marcelo Guido é jornalista, pai do Bento e da Lanna, além de maridão da Bia.

  • Crônica sincera e apaixonada , pero no mucho, de quem conhece e sabe escrever. Parabéns, Marcelo.
    Viva Diego. Viva Pelé!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.