Adeus, poeta Mauro Guilherme. Até a próxima vez, amigo! – @mauroguilherme_

Mauro Guilherme – Foto: arquivo pessoal do escritor.

Assim como a maioria dos membros do Ministério Público do Amapá (MP-AP), instituição que muito me honra trabalhar, conheci o promotor Mauro Guilherme em 2017, ano iniciei meu trabalho no MP. Nos apresentamos na recepção, acho que era uma sexta-feira. Ele disse: “tu és o cara do Blog De Rocha, leio as crônicas do Fernando Canto lá”. Respondi que sim e que fiquei feliz em saber que ele era um dos leitores do meu site.

Passado o tempo, entre os encontros de trabalho nas pautas que eu cobri como assessor de comunicação da instituição, Mauro, a exemplo de outros escritores locais, começou a me enviar poemas e contos de sua autoria, para publicar neste site. Sempre contribuições porretas, aliás.

Mauro Guilherme – Foto: Flávio Cavalcante

A gente conversava de vez em quando sobre a Literatura local e eu dizia a ele que um dia seria escritor, de fato, com livro publicado e tudo. Mauro, que era poeta, contista e cronista renomado (com 10 livros publicados), sempre incentivou, é verdade. Quando ele me convidou para participar de uma antologia, denominada “Cronistas na Linha do Equador”, fiquei feliz demais. O convite foi ideia dele, em conjunto com a poeta Alcinéa Cavalcante. A obra foi lançada em maio de 2020, no formato E-Book. Fiquei boçal por estar entre tantas feras do universo literário tucuju.

Mauro Guilherme – Foto: arquivo pessoal do escritor.

Em setembro, quando a pandemia deu uma trégua, lancei o meu livro impresso, em uma livraria de Macapá. Muitos amigos foram lá, mas Mauro não pode ir. Na semana seguinte o presenteei com um exemplar. Ele leu e disse que gostou. Como já disse, o amigo sempre foi um cara de elogios.

Ele, como era bom de caneta e imparável (como diz o amigo Fernando Canto), escritor/trabalhador da cultura, organizou mais três coletâneas literárias denominadas “61 Cronistas do Amapá” (a qual também integro o time de escritores), ‘Literatura Amapaense: Poemas Escolhidos’ e “Pandemia: conto, crônica e poesia”. Todas lançadas em setembro, outubro e dezembro de 2020, respectivamente e no formato E-Book.

Mauro Guilherme – Foto: arquivo pessoal do escritor.

Mauro foi um exemplo de empenho na disseminação da cultura e da literatura amapaense. Toda essa trabalheira aí de conversar com autores, organizar formatação dos livros, artes para capas e etc, só com muito amor pela arte literária. Mauro Guilherme era esse cara. De quebra, ainda tocava e cantava. O amigo não era fraco não.

A gente fica triste pela passagem de alguém tão paid’égua, mas ficamos aqui, gratos pelo conjunto da obra que foi o Mauro. Posso dizer que ele foi um dos meus chefes com quem consegui ser amigo. E melhor ainda, a iniciativa foi dele, pois era um baita cara porreta!

Mauro Guilherme e amigos poetas – Foto: Flávio Cavalcante

A poeta Jaci Rocha sintetizou esse sentimento hoje quando escreveu, com a imensa leveza e talento que tem, o seguinte:

A poesia do lado daqui, hoje chove. Pingos de palavras de bênçãos e gratidão. Porque sobe aos céus o poeta Mauro Guilherme . A poesia do lado de lá, hoje acende suas letras. E lá o recebe com todas as merecidas honras.

A cultura Amapaense agradece por todo verbo bonito que Mauro compartilhou aqui. Por seu entusiasmo, talento e alegria em partilhar.

Eu agradeço a bondade e acolhimento de Mauro para com a minha poesia. Mauro, conte para Deus suas histórias de pássaro. Que seja um bonito voo, amigo“. É isso mesmo!

Mauro Guilherme – Foto: Flávio Cavalcante

Nem sei o motivo de eu nunca ter feito uma foto junto do poeta/escritor, mas tudo bem, a gentebonisse que ele deixa de legado ficará para sempre na minha memória. Adeus, Mauro Guilherme. Até a próxima vez, amigo!

Nascer, viver, morrer, renascer de novo e progredir continuamente, tal é a lei” – Mauro Guilherme Couto – (1965 – 2021).

Elton Tavares

  • Avatar

    Ele era tudo isso, sim. Não deixará uma lacuna na cultura, mas um imensuravel abismo, que dificilmente será preenchido, devido ao seu talento eclético. Que pena, amigos.

  • Avatar

    Para o conforto de nossos corações prefiro dizer ingelamente que os imortais apenas mudam de plano e vão encantar na imensa academia celeste onde brilha mais uma estrela chamada Mauro Guilherme.

  • Avatar

    Não conheci pessoalmente, mais sei o quanto era inteligente, deixou sua marca, construiu uma família linda q conheço e admiro imensamente, pessoas muito queridas, se foi muito cedo, mais deixa muitas e boas lembranças, vá em paz !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *