Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: neste sábado (11), rola apresentação do espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”, no Sesc Araxá

Neste sábado (11), a partir das 20h, rolará a apresentação do espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”, encenado pela Cia Casa do Circo no Sesc Araxá. A atração integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, inciado ontem (3) e irá até o dia 17 de agosto.

O espetáculo é um solo com reflexão brutal sobre a mulher contemporânea e sua figura de resistência diária, diante de seus conflitos internos e de uma cultura machista, a qual tem que impor a todo o momento uma política que valide seu corpo e o seu discurso enquanto ser significante na sociedade, apresentado pela Associação Artística Cultural Casa Circo.

Sobre os Artistas

A Associação Artística Cultural Casa Circo é uma companhia que dialoga com Circo, Dança e Teatro, além de ser um espaço de instrução em arte circense, fundada em 2015. A Companhia utiliza esta expressão para subsidiar suas montagens. A Casa Circo é formada por artistas que já possuem uma vasta trajetória na arte do Circo, da Dança e do Teatro. Eles apresentaram A Mulher do Fim do Mundo por vários estados da Amazônia nesta temporada do Circuito Sesc Amazônia das Artes.

Amazônia das Artes

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

“É com muita gratidão que a Cia Casa Circo convida seus parceiros e amigos de vida e de arte para celebrar o fechamento de um ciclo que rendeu a Cia muito aprendizado, muitos aplausos e muito amadurecimento artístico. O Circuito Sesc Amazônia das Artes um projeto mais fundamental para que o amazonida possa refletir e se reconhecer através de uma obra de arte e é com muito carinho que fechamos este ciclo artístico de compartilhamento de vida e de arte com artistas e plateias de outros estados da nossa imensa Amazônia”, convidou a assessoria da Cia Casa do Circo.

Serviço:

Espetáculo A Mulher do Fim do Mundo
Cia Casa do Circo ( AP)
11 / 08 (hoje)
20h
Classificação: 16 anos.
Salão de Eventos Sesc Araxá
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Cia Casa do Circo

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: o espetáculo teatral “Atenas Mutuca Boy Body”, é apresentado no Sesc Araxá, nesta quinta-feira (9)

Nesta quinta-feira (9), a partir das 20h, rolará a apresentação do espetáculo teatral “Atenas Mutuca Boy Body”, no Sesc Araxá. A atração integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, inciado ontem (3) e irá até o dia 17 de agosto.

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Amazônia das Artes

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

Serviço:

09/08 – Quinta-feira
Espetáculo teatral “Atenas Mutuca Boy Body”
Classificação 16 anos
20h – Salão de Eventos Sesc Araxá
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: espetáculo teatral “Oração de um pé de chinelo” é apresentado no Sesc Araxá, nesta terça-feira (7)

Nesta terça-feira (7), a partir das 20h, rola apresentação do espetáculo musical “Manauara em Extinção”, no Sesc Araxá. A atração integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, inciado ontem (3) e irá até o dia 17 de agosto.

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Amazônia das Artes

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

Serviço:

07/08 – Terça- feira
Espetáculo teatral “Oração de um pé de chinelo”
Classificação 16 anos
20h – Salão de Eventos Sesc Araxá
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Circuito Sesc Amazônia das Artes 2018: hoje rola espetáculo de dança “Olhai por nós” no Sesc Araxá

Neste sábado (4), a partir das 20h, rola o espetáculo de dança “Olhai por nós”, no Sesc Araxá. A apresentaçaõ integra o cronograma do Sesc Amazônia das Artes edição 2018, inciado ontem (3) e irá até o dia 17 de agosto.

A vasta programação cultural, realizada pelo Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, acolhe o circuito que integra 17 produções culturais de teatro, música, dança, circo, cinema, exposição, oficinas, artes audiovisuais, intercâmbio cultural, com o objetivo de promover e divulgar as produções culturais da região amazônica.

Amazônia das Artes

Pensada como uma estratégia, baseada nas políticas culturais do Sesc, para fomentar a produção artística amazônica e ser mecanismo para a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região, o projeto difunde trabalhos nas linguagens artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura, audiovisual e música. Além das apresentações, os artistas se encontram para compartilhar experiências e técnicas ou para participar das inúmeras oficinas ministradas pelos artistas em circulação para ampliar o contato com o público de onde estiverem. Em 10 anos foram realizadas mais de 1.500 apresentações com 700 artistas dos estados Acre, Amazonas, Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Maranhão, Amapá, Tocantins e Piauí.

Serviço:

04/08 – Sábado
Espetáculo de Dança “Olhai por Nós” – TO (Classificação 10 anos)
Companhia Lamiria / Tocantins
20h – Salão de Eventos Sesc Araxá
classificação: 10 anos
Entrada Franca

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Espetáculos teatrais para todos os públicos estarão em cartaz neste fim de semana no Garden In Cena

 

Está chegando o fim de semana e você ainda não sabe o que vai fazer? Calma! Que tal curtir arte do teatro?

Nesta sexta-feira, 13, as 17h30 e as 20h30 estará em cartaz no GardenInCena, Teatro do Amapá Garden Shopping, o espetáculo “Que Cabaré é Esse?”, que essa semana foi um grande sucesso de público no Teatro das Bacabeiras. O espetáculo é uma comédia, para faixa etária a partir de 16 anos e conta a história de uma senhora que com a ajuda da neta, tenta impedir o casamento da sua filha. A peça é de autoria do ator e comediante Alcemir Araújo, muito conhecido pelo personagem “Chico”, do espetáculo O Bar Caboclo”. A entrada tem custo de R$30,00 inteira e R$15,00 meia.

No sábado, 14, também no teatro do Amapá Garden Shopping terá a apresentação da peça infantil: “Mansão Mal Assombrada”. É um espetáculo para toda a família, que tem em seu elenco os atores amapaenses Hermes Trindade, Augusto Cavalcante, Jo Sales e Alcemir Araujo, além do Augusto Cavalcante na sonoplastia.

A “Mansão Mal Assombrada” conta a história a história do Chico e Menezin, dois grandes personagens tucujus, que se perdem e vão parar na casa do Conde Drácula, onde muitas aventuras irão acontecer.

Com classificação livre para todas idades, o espetáculo “ A Mansão Mal Assombrada” será apresentada neste sábado (14), às 17h. valor da entrada é de R$ 20 reais, inteira e R$ 10 reais a meia.

Aline Brito

Peça teatral reúne grupos do AP e de SP para falar sobre o modo de vida na Amazônia

Peça teatral Ludar da Chuva será encenada em Macapá nos dia 28 e 29 de junho (Foto: Divulgação)

Por Rita Torrinha

Os cenários como a Fortaleza de São José, Ilha de Santana, bairro do Araxá, áreas de pontes alagadas de Macapá, entre outros, formam o pano de fundo da peça teatral “Lugar da Chuva”, que será encenada no Sesc Araxá, na quinta-feira (28) e na sexta-feira (29).

O roteiro e produção são de grupos de São Paulo e do Amapá. Em cena, dois amapaenses que viveram a maior parte da vida fora do estado, interpretam “viajantes-moradores” que mostram as experiências vividas e observadas na Amazônia amapaense, misturando realidade, ficção e sonhos.

O trabalho conta com projeções de vídeo, com imagens captadas durante uma residência em que o grupo paulistano participou no Amapá. Lugar da Chuva, segundo o diretor Otávio Oscar, mostra um estado onde as águas dos rios e das chuvas dão o ritmo à vida dos moradores.

Roteiro conta histórias do Amapá, misturando realidade, ficção e sonhos (Foto: Divulgação)

“A peça é inspirada na poética da videoarte, buscando reinventar as sensações e imaginações que os diferentes ambientes e paisagens provocam. Também apostamos nas dinâmicas sensoriais, com materiais, texturas, cores, cheiros, sabores, roupas, artesanatos e saberes manuais que permeiam o ecossistema, as tradições e a urbanidade amazônica”, explicou.

Os coletivos Frêmito Teatro, de Macapá e, Agrupamento Cynétiko, de São Paulo, também propõe uma forma diferenciada de pagamento para quem quiser prestigiar a peça. O ingresso não tem valor definido, o público paga o quanto quiser.

A direção de arte tem a assinatura da paulistana Daniele Desierrê, que também esteve na cidade e coletou materiais como folhas, tecidos, peças de roupa de atacadões, fibras naturais, temperos, perfumes, óleos, pigmentos e outros. São esses achados que compõem o cenário da peça.

Cenários do Amapá tecem as histórias contadas pelos viajantes (Foto: Divulgação)

“A ideia é ir além de contar uma história. É provocar uma espécie de “imersão sensorial”, pra que a gente possa “evocar” Macapá onde quer que a peça seja apresentada. Pra quem não conhece a cidade, a peça vai parecer com uma viagem. E pra quem é nativo, essas sensações vão parecer como um “déjà vu” ou algo assim”, finalizou Otávio.

Serviço:

Peça teatral “Lugar da Chuva”
Data: 28 e 29 de junho
Horário: 20h
Local: salão de eventos dos Sesc Araxá (na Rua Jovino Dinoá, 4311, bairro Beirol)
Entrada: pague quanto puder
Duração: 70 minutos
Lotação: 60 espectadores
Classificação etária: 12 anos
Informações: (96) 98108-8608

Fonte: G1 Amapá

Diversão e Arte: III Festival Curta Teatro encerra nesta sexta-feira (15)

A Cia teatral “Ói Nóiz Akí” em parceria com o Coletivo de Artistas, Produtores e Técnicos em Teatro do Estado do Amapá (CAPTTA) encerra nesta sexta-feira (15), a partir das 19h, no Cineteatro João Goulart, localizado no Ceu das Artes, ao III Festival Curta Teatro. A programação iniciou na última segunda-feira (11) e hoje apresenta três espetáculos:
Chica, fulô de mandacarú (Cia. Casa Circo); Frontispício (Cia. Trecos InMundos) e Lírio (Flávio Gonçalves).

Ao todo, o Festival promoveu cinco dias de apresentações gratuitas, com vistas a popularizar as artes cênicas entre as classes populares. A mostra possui patrocínio do Banco da Amazônia (BASA) e todas as atividades possuem entrada franca, porém, com ingressos limitados.
O projeto obteve ajuda do BASA por meio do edital 2018 de Seleção Pública de Patrocínio do Banco da Amazônia, e conta com o apoio institucional da Fundação Municipal de Cultura do Amapá (Fumcult).

Além da Cia “Ói Nóiz Akí”, a Cia Cangapé, Cia de Arte Tucuju, Cia Casa Circo, Cia Teatro de Boteco, Cia Trecos InMundos, Coletivo Domo Egressus e a Cia Supernova participam das apresentações artísticas.

Confira a programação de hoje:

19h = Chica, fulô de mandacarú (Cia. Casa Circo).

19h e 30m = Frontispício (Cia. Trecos InMundos)

20h = Lírio (Flávio Gonçalves)

Serviço:

III Festival Curta Teatro
Data: 15/06/2018
Hora: 19h
Local: Cineteatro João Goulart, no CEU DAS ARTES, bairro Infraero II, na Zona Norte de Macapá.
Entrada: franca.

Elton Tavares, com informações da Cia teatral “Ói Nóiz Akí”

III FESTIVAL CURTA TEATRO

A Cia. Ói Nóiz Akí em parceria com o Coletivo de Artístas, produtores e Técnicos em Teatro do Estado do Amapá – CAPTTA, com o patrocínio do Banco da Amazônia – BASA, através do Edital de Seleção Pública de Patrocínio do Banco da Amazônia – 2018, realiza a Mostra Extension do III FESTIVAL CURTA TEATRO.

Serão 05 (cinco) dias de apresentações gratuitas, com vistas a popularizar às artes cênicas entre as classes populares. A mostra acontece no Cineteatro João Goulart, situado no CEU DAS ARTES, Bairro Infraero II, e contará com 05 (cinco) espetáculos, 10 (dez) processos/ experimentos cênicos, além de atividades formativas. Todas as atividades são gratuitas, porém, com ingressos limitados.

Confira a programação, agende-se e CURTA TEATRO: 

1o DIA – SEGUNDA FEIRA (11/06/2018)

19h = Como Nascem as Bolhas (Cia. de Arte Tucujú)
19h e 30m = Relatos (Dir. Marcos Sales)
20h = Se Deixar, Ela Canta! (Cia. Cangapé)

2o DIA – TERÇA FEIRA (12/06/2018)

19h = Vinho Tinto de Sangue (Cia. Cangapé)
19h e 30m = Sobre (Viver) (Cia. de Arte Tucujú)
20h = A Mulher do Fim do Mundo (Cia. Casa Circo)

3o DIA – QUARTA FEIRA (13/06/2018)

19h = Cárcere (Cia. Trecos InMundos)
19h e 30m = Nós entre Nós (Cia. de Arte Tucujú)
20h = Shirra (Cia. Teatro de Boteco)

4o DIA – QUINTA FEIRA (14/06/2018)

19h = A História se Escreve em Vermelho (Coletivo Domo Egressus)
19h e 30m = Jornada Bufa (Cortejo Produções Artísticas)
20h = Novo Amapá (Cia. Supernova)

5o DIA – SEXTA FEIRA (15/06/2018)

19h = Chica, fulô de mandacarú (Cia. Casa Circo)
19h e 30m = Frontispício (Cia. Trecos InMundos)
20h = Lírio (Solo de Flávio Gonçalves)

Mais informações e agendamento de turmas podem ser feitos/ obtidos através do telefone: 0xx(96) 98114-9655 TIM/ WatsApp.

Sesc Dramaturgias abre inscrições para oficina de treinamento de atores

O Sistema Fecomércio por meio do Sesc Amapá está com inscrições gratuitas e abertas para a oficina “O quadro de Antagônicos como instrumento de treinamento para o ator”, que acontece de 11 a 15 de junho na unidade Sesc Araxá, das 18h às 22h.

O Quadro de Antagônicos é um instrumento de treinamento criado pelo pesquisador teatral Marcelo Flecha para a construção de dramaturgia a partir do ator. A pesquisa desse instrumento vem se desenvolvendo durante os últimos vinte anos e a oficina busca aplicar o Quadro de Antagônicos no processo de construção de uma personagem e de uma cena – construídos através da experimentação física como mecanismo de desenvolvimento de dramaturgia a partir do ator.

A oficina é voltada para atores e alunos de teatro de cursos técnico ou superior, artistas de teatro, encenadores e pesquisadores com interesse na confecção de dramaturgia a partir do ator e as inscrições estão sendo realizadas exclusivamente presencialmente no setor de cultura no Sesc Araxá.

Sobre o oficineiro

Marcelo Flecha oriundo de São Luiz (MA) é diretor, dramaturgo, pesquisador teatral, cenógrafo, iluminador e escritor. Diretor Artístico da Pequena Companhia de Teatro, da qual é membro fundador. Dirigiu mais de trinta espetáculos, dentre eles, todo o repertório da Pequena Companhia de Teatro. Detentor de cinco prêmios de melhor direção, seus espetáculos foram contemplados pelos principais projetos de circulação do país, como o Palco Giratório/SESC, o Viagem Teatral/SESI, o Programa Petrobras Distribuidora de Cultura e o SESC Amazônia das Artes.

Assessoria de comunicação do Sesc/AP

Espetáculo Mulheres de Alua

O Sistema Fecomércio por intermédio do Sesc Amapá promove no período de 28 a 30 de maio, na unidade Sesc Araxá, a primeira edição do Circuito Palco Giratório 2018, com a oficina “O Ator Criador de Cena” e com o espetáculo teatral “Mulheres de Aluá” da Cia. “O Imaginário” de Rondônia” (RO).

O projeto Palco Giratório visa a difundir as artes cênicas brasileiras, democratizar o acesso à cultura, possibilitando a troca de experiências e intercâmbios entre artistas e plateia. Assim, traz a Macapá, gratuitamente, nos dias 28 e 29, a realização da oficina “O Ator Criador de Cena”, no horário das 18h às 22h, na unidade Sesc Araxá. A oficina se propõe a trabalhar habilidades de experiências práticas, abordando os aspectos do processo de trabalho, o fazer teatral, educação, sensibilidade, apreciação e relatos de experiências vivenciadas nos processos de trabalho.

As inscrições se encontram abertas e já podem ser feitas na sala de cultura do Sesc Araxá. A oficina é voltada para atores e estudantes de teatro sob classificação de 16 anos. Já no dia 30 de maio, a primeira etapa do projeto em 2018 encerra com a apresentação do espetáculo teatral “Mulheres de Aluá”.

O espetáculo retrata mulheres de diferentes épocas que foram condenadas em um período em que o pensamento do homem determinava a condição de cada uma delas. A apresentação inicia às 20h, na sala de eventos do Sesc Araxá, com entrada gratuita, e voltada ao público a partir 16 anos.

Companhia O Imaginário (RO):

O Imaginário foi fundado com o objetivo de pesquisar e investigar as diversas linguagens artísticas. Criado e dirigido pelo Ator e Diretor Chicão Santos, que trouxe para o panorama amazônico um jeito inovador e transgressor de pensar o fazer teatral. Em seus trabalhos sempre busca discutir a relação do público, teatro e cidade. Já no seu espaço o “TAPIRI”, investe na qualificação artística e nas trocas em busca de uma biopolítica para a Amazônia.

Serviço

Sesc Araxá
Rua Jovino Dinoa, 4311 – Beirol – Macapá/AP.
Coordenadoria de Cultura
Fone: (96) 3241-2220 (Ramal – 239)
Coordenadoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96) 3241-4440 (Ramal – 235)

Assessoria de comunicação

Companhia baiana apresenta espetáculos solos no Teatro das Bacabeiras

A Companhia Território Sirius Teatro, volta ao palco do Teatro das Bacabeiras na próxima sexta-feira, 13 e sábado, 14, para apresentação dos espetáculos solos Joelma e Sebastião. As apresentações acontecem sempre as 19h30. Ingressos ao valor de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Classificação indicativa 14 anos.

A Território Sirius foi criada no ano 2000, no estado da Bahia, já viajou todo o Brasil, e também algumas cidades da Europa, gerando processos autônomos e coletivos de produção e pesquisa acerca de modos de cena para o desenvolvimento de novas linguagens e estéticas. Os trabalhos apresentados neste próximo final de semana são baseados em histórias reais.

Joelma

Esta encenação traz ao publico a historia de Joelma, uma das primeiras transexuais da Bahia e consequentemente do Brasil. Ao longo De vida, ela transitou por distintos lugares (Ipiaú, Salvador, São Paulo) passando por diversos acontecimentos, conflitos e resoluções. Na encenação o público poderá ver seus diálogos, histórias, personagens, questionamentos e informações que redimensionam o caráter mítico, religioso, filosófico e conceitual da obra cinematográfica, estabelecendo outra criação que engloba o cinema – vídeo (a projeção) como um dos elementos constituintes da cena teatral.

Sebastião

Um Nordestino, chamado Sebastião, vê-se envolvido em uma trama de perseguição depois que participa do saque de um avião que caiu com R$ 5,6 milhões. Devoto de Padre Cícero, viciado em jogos e totalmente endividado, ele por obra do acaso, recebe um tesouro “dos céus” que acaba sendo o motivo de sua tragédia. Esta encenação constitui-se de uma teatralização de dados e fatos verídicos, que aconteceram quando uma aeronave se espatifou nas terras de Maracangalha (na Bahia), e, ao invés de felicidade, trouxe desespero para os moradores locais.

Serviço:

Joelma
Sexta-feira, 13
Teatro das Bacabeiras
19h30
R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia)
Classificação 14 anos

Sebastião
Sábado, 14
Teatro das Bacabeiras
19h30
R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia)
Classificação 14 anos

Thiago Soeiro
Contato:
(096) 99155 – 6451 (whats app)
(096) 98140-4994

Prazo de inscrições para o 3º Festival Curta Teatro do AP é prorrogado para 15 de abril

Curta ‘Como Carniça Urubus…ou Decomposição Cênica’, da Cia. de Artes Tucujú, já participou do Festival Curta Teatro, no Amapá (Foto: Festival Curta Teatro/Divulgação)

Por Carlos Alberto Jr

Os artistas e companhias de teatro do Amapá terão até o dia 15 de abril para se inscrever no 3º Festival Curta Teatro. A competição cênica que premiará os melhores espetáculos curtos inéditos no estado, inicialmente tiveram as inscrições encerradas no dia 31 de março.

Pelo terceiro ano consecutivo, a Cia. Ói Nóiz Akí realiza o concurso que premia o melhor espetáculo com R$ 3 mil em dinheiro e o Troféu Creuza Bordalo.

Companhias, coletivos, produtores e artistas independentes vão concorrer em categoria única e livre. Os melhores no processo cênico, direção, concepção sonora, caracterização, dramaturgia, ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante também levam o troféu mais certificado.

Podem participar da mostra competitiva produções autorais inéditas de curta duração, entre 10 e 15 minutos, de qualquer linguagem cênica. As inscrições custam R$ 50 por produção e poderão ser feitas na sede do Conselho Estadual de Cultura ou pelo e-mail [email protected]

Além da mostra competitiva, o festival em 2018 também terá a apresentação do espetáculo “Meu Nome É Enéas”, uma peça solo de Márcio Fecher (PE), além de debates, seminários, mesas redondas e oficinas livres. A programação acontecerá de 26 a 29 de abril, no Teatro das Bacabeiras, em Macapá.

Outras informações sobre a mostra competitiva e a ficha de inscrição podem ser encontradas no regulamento do 3º Festival Curta Teatro.

Serviço:

3º Festival Curta Teatro
Dias: de 26 a 28 de abril
Local: Teatro das Bacabeiras
Inscrições: até 15 de abril
Local de inscrições: Conselho Estadual de Cultura do Amapá (Avenida Cora de Carvalho, nº 1842, bairro Santa Rita), em horário comercial

Fonte: G1 Amapá

Escola Little Mozarts abre as atividades da primeira temporada lírica com cantata no Teatro das Bacabeiras

Por Jorge Cesar

Aberta a 1ª Temporada Lírica “Little Mozarts in Concert” com a Cantata Pascual Encenada – “Do Olivete ao Calvário” de J. H. Mander, produção totalmente independente e inédita no Estado do Amapá. O evento ocorre no Teatro das Bacabeiras nos dias 3 e 4 deste mês, às 19h30. Os ingressos estão à venda na escola de música Little Mozarts, situada na avenida Ernestino Borges, 1138, bairro do Laguinho.

Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 35,00 (inteira) e R$ 18,00 (meia). Também podem ser adquiridos no dia do evento na bilheteria do Teatro das Bacabeiras. A duração do espetáculo é de 2h30, com mais de 100 pessoas envolvidas entre corais, orquestra, figurantes, alunos e apreciadores da arte erudita.

Os arranjos orquestrais, adaptação textual, choaching vocal (profissionais da voz), regência e direção artística por conta do professor Mazias de Oliveira, portador de doutorado da South Texas lyric (USA). A preparação da Orquestra Ágape ficou com o maestro amapaense Samuel Sampaio e a preparação para coral com a musicoterapeuta Alessandra Lobato, também do Amapá. Os solistas locais são: Alessandra Lobato e Meire de Oliveira (Maria Madalena), Manoel Filho (Pilatos) e o solista nacional Wilson Ferraz de Almeida (Jesus).

Os ensaios gerais estão sendo realizados todos os dias, às 19h na sala de ensaio da Orquestra Ágape que fica localizada no 3º andar da Igreja Assembleia de Deus a Pioneira, situada na rua Tiradentes, Centro. Já os ensaios com os solistas, também acontecem todos os dias, às 17h, na Escola Little Mozarts.

Estão previstas apresentações, em continuidade da 1ª Temporada Lírica 2018 da Little Mozarts: duas óperas, récitas de cameratas, apresentação de corais, recitais performáticos de piano e voz, bem como, cursos e master class com instrumentistas e cantores renomados do Brasil e do exterior.

Serviço:

Cantata “Do Olivete ao Cálvario” de J.H.Maunder
Data: 03 e 04 de Abril
Local: Teatro das Bacabeiras
Horário: 19h30hs
Ingressos a R$ 35,00 (inteira) e R$ 18,00 (meia)

Fonte: A Gazeta

Encenação ‘Uma Cruz para Jesus’ completa 39 anos no AP com espetáculo a céu aberto

“Uma Cruz para Jesus” será encenada no anfiteatro da Fortaleza São José, em Macapá (Foto: Arquivo G1)

Por Rita Torrinha

Com o total de 105 pessoas no elenco e 13 na coordenação, a encenação “Uma Cruz para Jesus” completa 39 edições este ano no Amapá. A peça, que é tradicionalmente representada à céu aberto, está confirmada para ocorrer em dois dias, na quinta-feira (29) e na sexta-feira (30).

A apresentação será no anfiteatro da Fortaleza São José, no Centro de Macapá, em alusão à Semana Santa. A entrada é gratuita.

Uma das novidades inseridas no texto, segundo o diretor Amadeu Lobato, será no quadro inicial, que vai retratar uma cena do capítulo 12 do Apocalipse.

“Em anos anteriores começávamos a contar a história pela criação do mundo e o surgimento de Adão e Eva. Agora, reformulamos essa cena e vamos retratar Jesus que nasce no meio da batalha entre anjos e demônios. Depois segue o roteiro normal, com o aparecimento de João, que é uma cena forte, o batismo de Jesus, milagre, etc”, resumiu Lobato.

Mais de 100 atores fazem parte do elenco da peça (Foto: Dyepeson Martis/Arquivo G1)

Será uma hora e 15 minutos de performance. Lobato conta que o projeto é realizado sem apoio ou fomentação de parceiros e poder público. Ele pede ajuda, pois os custos são altos e todos os atores e pessoas envolvidas são voluntários.

“Fazemos a peça sem apoio algum, mas para a gente é uma obrigação realizá-la. Quem quiser ajudar essa iniciativa pode entrar em contato comigo. A promoção cultural é necessária e precisa ser incentivada. Se ninguém ajudar, tudo bem, vamos proporcionar à população amapaense um grande espetáculo”, reforça.

Serviço:

Encenação “Uma Cruz para Jesus”
Dias: 29 e 30 de março (quinta-feira e sexta-feira)
Hora: 20h
Local: Anfiteatro da Fortaleza São José, no Centro de Macapá
Entrada gratuita

Fonte: G1 Amapá