Pelo quarto ano, festival no AP vai premiar o melhor espetáculo curto de teatro com R$ 3 mil

Experimento cênico ‘Nós entre Nós’ foi o vencedor do 3º Festival Curta Teatro — Foto: Captta/Divulgação

Por Carlos Alberto Jr

Já é tradição. Pelo quarto ano consecutivo vai acontecer no Amapá o Festival Curta Teatro, uma mostra competitiva que premia, com R$ 3 mil, o melhor espetáculo curto inédito de teatro, além de outras categorias que têm produções do estado. As inscrições, ao preço de R$ 50 por produção, estão abertas e seguem até 31 de março, na sede do Conselho Estadual de Cultura ou pelo e-mail [email protected]

As produções de companhias, coletivos, produtores e artistas independentes serão apresentadas no palco no Teatro das Bacabeiras, em Macapá, entre os dias 23 e 27 de abril. Mesmo com a proposta de ser uma programação para estimular o teatro local, artistas de todo o país também podem se inscrever na competição.

Em 2018, a “Cia de Artes Tucuju” venceu o concurso, com a peça “Nós Entre Nós”. Organizado pela Cia. Ói Nóiz Akí. O festival em 2019 também terá a apresentação de espetáculos convidados, de debates, seminários, mesas redondas e oficinas livres.

Curta teatral “Entre Seres”, da Cia. Trecos InMundos concorre no Festival Curta Teatro, no Amapá — Foto: Festival Curta Teatro/Divulgação

Podem participar da mostra competitiva produções autorais inéditas de curta duração, entre 10 e 15 minutos, de qualquer linguagem cênica.

O 4º Festival Curta Teatro também vai premiar os melhores em processo cênico, direção, concepção sonora, caracterização, dramaturgia, ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante. Os vencedores levam o Troféu Creuza Bordalo, mais certificado.

Outras informações sobre a mostra competitiva e a ficha de inscrição podem ser encontradas no regulamento do 4º Festival Curta Teatro.

Serviço:

4º Festival Curta Teatro
Dias: de 23 a 27 de abril
Inscrições: até 31 de março
Local de inscrições: Conselho Estadual de Cultura do Amapá (Avenida Cora de Carvalho, nº 1842, bairro Santa Rita), em horário comercial.

Fonte: G1 Amapá

O RISO DO CIRCO – O RISCO DO CICLO (Por Jhou Santos)

Por Jhou Santos

Muitas vezes somos vistos ou até mesmo considerados como “Rostos Confusos”…

Um sorriso desenhado no rosto não necessariamente quer dizer que estejamos felizes, bem como sua ausência em nossa face não deva significar a inexistência da própria felicidade.

É preciso esclarecer que estamos firmes em nossos sorrisos. Assim sendo eles: desenhados em nossos rostos, estampados através do brilho de nossos olhos ou até mesmo representados internamente em nossos estados de
espírito.

Não precisamos necessariamente sermos fortes só pelo enrijecimento de nossos músculos ou sequer pela falta de um sorriso em nossa face.
Nosso olhar aqui diz muito a respeito de nossa força. Porém, é necessário saber que isso não simboliza um rótulo ou algo extremamente fechado, há brechas para nossas fraquezas e não precisamos nos negar a isso.

Precisamos do caos na medida em que precisamos da sutileza!

Negamos demais a entender que ainda somos ‘‘muito’’ crianças perto desse “mundão” todo repleto de fatos e mistérios. E que talvez seja isso que realmente precisamos entender e fielmente nos aceitar enquanto crianças da vida.

É preciso que estejamos cientes de nossos medos, de nossas alegrias, de nossas aventuras e principalmente de nossa coragem. Isto nos tornará mais combustíveis e consequentemente mais alimentados.
Tempos bons e ruins permeiam nossas vidas o “tempo todo” e “no mundo todo” porque são necessários. E é preciso que saibamos disso porque muita das vezes nos deixamos enganar e acabamos não percebendo.

São ciclos! São círculos! São circos!

Tendo este entendimento estaremos nos fortalecendo cada vez mais e estaremos mais cientes desse (re)inventar para (re)existir e (re)viver!

É o constante entrelaçamento entre o ontem, o hoje e o amanhã que nos exige cada vez mais cultivar laços… Dividir experiências… Circularizar saberes… Partilhar e compartilhar momentos de criação…

Entender o ciclo é entender que esse círculo não necessariamente significa uma bolha! E se por um acaso vier a ser, estarmos atentos que precisaremos de nossa coragem para rompe-la. Então tornemo-nos inquietos com o que se torna vicioso e tendencioso.

Entender o CICLO é aceitar o RISCO! É entender o CIRCO e provocar o RISO! Pois somos fortes o suficiente para sorrirmos e chorarmos da felicidade ou da infelicidade de se viver!

Mais do que nunca é preciso arriscar, riscar e rabiscar novos rascunhos e desenhos de momentos, experiências e sorrisos. Estando sempre ciente de que como nesta imagem, necessitamos de inspirações para nossa arte e para nossa vida…

Mais uma vez e provavelmente sempre, é o momento de estarmos mais próximos. É o momento de nos encontrarmos e reencontrarmos mais.

Mais uma vez estamos em um momento delicado servindo de prova para um tempo que talvez não seja tão momentâneo assim. É preciso estarmos cientes que somos artistas da arte e da vida dos encontros. Infelizmente é um momento de morrer bem como felizmente é um momento de se viver, pois, dependendo da situação precisamos de muito ou precisamos de pouco.

Me parece óbvio, porém, bem objetivo, de que conseguimos fazer muito com muito, com pouco ou com muito pouco. Este, é o tempo do pouco na medida em que muitos caminhos diminuem e muitas portas são fechadas, mas também é o momento de juntarmos o pouco que temos e o pouco ou muito que somos para nos multiplicar! Para nos tornarmos do tamanho que almejamos ser e para que tenhamos a força que queremos ter! Para assim então, construirmos atalhos, caminhos, portas e janelas para este nosso tempo, para este nosso mundo.

Se parece fácil na medida em que se parece difícil. Porém, é possível fazer circo debaixo de uma lona bem como é possível fazer circo debaixo de uma árvore. Sendo assim, possível de se fazer com uma grande estrutura bem como praticável de se fazer em meio a escassez também.

Mas do que nunca este é um momento de movimento, de não parar, de não ceder, de não deixar para trás as nossas conquistas e os nossos direitos. Momento de não nos distanciarmos de nossa arte e de não nos acomodarmos com o nosso fazer!

Por mais que algumas vezes pareçam que estejamos distantes, e mesmo que estejamos, devemos mostrar que a distância e os momentos em questão podem tornar-se um estratégico motivo para a aproximação e para o fortalecimento. É preciso nos encontrarmos novamente com nossa essência, pois, mais do que nunca precisamos desse rosto de rostos e desse corpo de corpos!

É preciso arriscar, riscar e rabiscar novos rascunhos e desenhos de momentos, de experiências e de sorrisos. Estando sempre cientes de que como nesta imagem, necessitamos de inspirações para nossa arte e para nossa vida…

* Jhou Santos é ator, produtor cultural, diretor de teatro e coordenador da Cortejo – Produções Artísticas

Hoje: AGIR Produções Artísticas leva ao bairro Congós o Sarau “De Janeiro a Dezembro”

Em um ano acontece muita coisa. Muitas datas comemorativas. Eventos importantes do nosso patrimônio cultural. Em um ano vivemos muitas aventuras e emoções. São doze meses que passam rápido, especialmente em “De Janeiro a Dezembro”, sarau criado pelo AGIR Produções Artísticas, onde é possível vivenciar um ano repleto de poesias e histórias. Criado em 2018 por Allan Gomes e Ingrid Ranna, o trabalho literário homenageia importantes datas do calendário brasileiro usando textos de Paulo Master, Clarice Falcão, Giuseppe Ghiaroni, Juarês Alencar Pereira, Júlia Nicolau, lendas indígenas e textos autorais próprios. São doze momentos peculiares, que mesclam a declamação com o uso de uma diversidade de elementos cênicos simbólicos, como flores, confetes, máscaras, tecidos, projetor de desenho, entre outros. Neste evento todos são bem-vindos e podem ficar a vontade para mostrar seu talento.

Serviço:

Dia: 20/01/2019
Horário: 18:30
Ingresso: 2 reais
Local: Av. Francisco Torquato de Araújo (Décima do Congós), nº 1151
Centro de Atividades Socias na Perferia – CASP
Contato: 99101-7831

https://www.instagram.com/agir.producoes.artisticas/
Facebook: @Agirproducoesartisticas

Assessoria de comunicação da AGIR Produções Artísticas

Espetáculo Novo Amapá volta aos palcos do Teatro das Bacabeiras neste sábado,12.


A Companhia Supernova apresenta o espetáculo Novo Amapá. O mesmo será apresentado no Teatro das Bacabeiras neste sábado, 12, as 20h. O ingresso custará R$ 10,00 ( estudante paga meia). Estará disponível no dia da peça na bilheteria.

A peça é o olhar artístico sobre o maior naufrágio fluvial da história brasileira. O acidente ocorreu no dia 6 de janeiro de 1981 no Rio Cajarí (proximidades da fronteira entre o Estado do Amapá e Pará) quando o barco Novo Amapá naufragou deixando cerca de 600 vítimas.

A montagem é inspirada no texto “Triste Janeiro”, do ator e dramaturgo Joca Monteiro, que através de poemas faz homenagens aos envolvidos no acidente.

Além da teatralidade, o espetáculo inclui performances e instalações visuais, a multilinguagem chama a atenção ao passo que o enredo de emociona o público, mesmo sem se utilizar de cenas fortes, sinistras ou trágicas. O contexto histórico funesto é transformado numa encenação poética e lírica permitindo assim um espetáculo muito mais suave aos olhos do público.

O espetáculo

No espetáculo, além da poesia, o trabalho tem influências do teatro físico, conta ainda com inserção de vídeos e foi construída por meio de diversos processos de experimentações artísticas coletivas. O público é levado a viajar nos sonhos e encantos da infância, onde o “puc puc puc” dos barquinhos dão ao homem o prazer da libertação e as águas tornam-se a porta para descobertas e anseios de “palmo a palmo” conquistar mundo.

Na luta por este sonho, o homem se torna coisa, carga, engrenagem de um sistema mecânico que o explora de todas as formas e nos acontecimentos mais corriqueiros. Apesar de condicionado à exploração, o homem não perde a sua essência humana, sofre os amores e as perdas, mas não submerge a esperança por dias melhores.

Serviço:

Espetáculo “Novo Amapá”
Local: Teatro das Bacabeiras
Dia: 12 de Janeiro
Horário: 20h
Classificação: Livre

*Adryany Magalhães/ Assessoria de Comunicação Cia SuperNova *
Contato: 99144-5442

O Auto da Paixão 2019 – Direção Geral será assinada pelo jovem artista Jhou Santos

Depois das apresentações de final de ano com seu auto de natal, a Cia de Teatro Cristão Art’s Sacra Amapá começa as articulações e a produção de seu espetáculo alusivo ao período quaresmal. Trata-se da quinta versão d’o Auto da Paixão que para este ano conta com o retorno de Jhou Santos que assinará a direção geral.

O jovem ator e diretor foi o primeiro artista a dirigir o projeto no ano de 2015 na estreia do Auto da Paixão e da Cia Arts sacra Amapá no cenário cultural amapaense.

Retornar ao projeto é muito simbólico, tudo está passando tão rápido, as lutas , as conquistas, já são 5 anos do Auto da Paixão e o que prometemos é um belo e grandioso espetáculo de artes integradas, assim como fizemos na primeira edição, creio que quem assistiu gostou, vai ter teatro, musica, dança, circo e ainda terá espaço para a cultura popular. Gosto de trabalhar com bastante espetacularidade, efeitos, inovações e principalmente emoção!”, pontuou Jhou Santos.

A produção geral é assinada por Marcio Ayres, presidente da companhia e coordenador do projeto. Algumas parcerias de anos anteriores continuarão, por tanto a direção musical ainda ficará por conta de Franciney Santos e a direção de coreografias sob responsabilidade de Katiane Souza do Ministério de Dança Flores de Maria.

Temos orgulho desses 5 anos de trabalho pois o evento mantém sua tradição de projeto coletivo onde envolve diversos segmentos da cultura amapaense, faremos um grandioso e belo espetáculo este ano para comemorar essa data “, destacou Márcio.

A grande apresentação do espetáculo acontecerá na sexta feira santa 19 de abril ás 20h no Anfiteatro da praça Chico Noé. O projeto abre chamada para interessados em somar no elenco enquanto atores e atrizes, técnicos, parceiros, apoiadores e patrocinadores.

Mais informações: (96) 99112-9879 ou pela fanpage O Auto da Paixão

Espetáculo Novo Amapá volta aos palcos em duas datas

A Companhia Supernova apresenta o espetáculo Novo Amapá. A novidade este ano é que o espetáculo será apresentado em Macapá e Santana. Dia 6 de Janeiro em Santana no espaço Cultural Língua Solta e 12 de Janeiro em Macapá no Teatro das Bacabeiras.

Em Santana não será estipulado valor de ingresso. Cada espectador paga o valor que puder. Essa é uma forma de estimular a cultura do teatro no município. Em Macapá o ingresso custará R$ 10,00 e estará disponível no dia da peça na bilheteria.

A peça é o olhar artístico sobre o maior naufrágio fluvial da história brasileira. O acidente ocorreu no dia 6 de janeiro de 1981 no Rio Cajarí (proximidades da fronteira entre o Estado do Amapá e Pará) quando o barco Novo Amapá naufragou deixando cerca de 600 vítimas.

A montagem é inspirada no texto “Triste Janeiro”, do ator e dramaturgo Joca Monteiro, que através de poemas faz homenagens aos envolvidos no acidente.

Além da teatralidade, o espetáculo inclui performances e instalações visuais, a multilinguagem chama a atenção ao passo que o enredo de emociona o público, mesmo sem se utilizar de cenas fortes, sinistras ou trágicas. O contexto histórico funesto é transformado numa encenação poética e lírica permitindo assim um espetáculo muito mais suave aos olhos do público.

O espetáculo

No espetáculo, além da poesia, o trabalho tem influências do teatro físico, conta ainda com inserção de vídeos e foi construída por meio de diversos processos de experimentações artísticas coletivas. O público é levado a viajar nos sonhos e encantos da infância, onde o “puc puc puc” dos barquinhos dão ao homem o prazer da libertação e as águas tornam-se a porta para descobertas e anseios de “palmo a palmo” conquistar mundo.

Na luta por este sonho, o homem se torna coisa, carga, engrenagem de um sistema mecânico que o explora de todas as formas e nos acontecimentos mais corriqueiros. Apesar de condicionado à exploração, o homem não perde a sua essência humana, sofre os amores e as perdas, mas não submerge a esperança por dias melhores.

Serviço:

Espetáculo “Novo Amapá”
Local: Espaço Cultural Língua Solta ( Santana)
Dia: 6 de Janeiro
Horário: 20h
Classificação: Livre

*Adryany Magalhães/ Assessoria de Comunicação Cia SuperNova *
Contato: 99144-5442

Espetáculo teatral apresenta o nascimento do menino Jesus de forma divertida

Teatro das Bacabeiras, em Macapá — Foto: Fabiana Figueiredo/G1

Por Ugor Feio

Espetáculo “Noite de Natal” será apresentado no Teatro das Bacabeiras no sábado (29), a partir das 19h30, no centro de Macapá. A peça é dirigida por Amadeu Lobato, conhecido pela obra teatral Uma Cruz Para Jesus, realizada há cerca de 40 anos na Fortaleza de São José, sempre na Semana Santa.

Desta vez, o diretor apresenta uma peça com muitos momentos de comédia, que foge da ideia clássica das histórias natalinas sobre o nascimento do menino Jesus. A apresentação marca a conclusão do curso de teatro ministrada por Amadeu e conta com cerca de 20 atores.

Com enredo que aborda desde o teatro de sombras até a guerra de samurais, o espetáculo trata de diversos assuntos. Os ingressos, que custam R$ 10 antecipadamente e R$ 20 na hora, podem ser adquiridos diretamente com os alunos, às quartas e sextas-feiras, das 14h às 17h no teatro.

Serviço

“Noite de Natal”
Data: 29 de dezembro
Local: Teatro das Bacabeiras ( Rua Cândido Mendes, nº 1087, no Centro)
Horário: 19h30
Ingresso: R$ 10 (antecipado) R$ 20 (na hora)
Informações: (96) 98129-3349

Fonte: G1 Amapá

Espetáculo teatral Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado, no Teatro das Bacabeiras

Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado será apresentado nos dias 21 e 22 de dezembro, em Macapá — Foto: Sanosuke Hélder/Divulgação

O Beco Teatral, em parceria com o Projeto Literar Amapá, orgulhosamente, convida o público amapaense para a reapresentação do espetáculo Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado; uma montagem feita por fãs da oitava historia do bruxo mais famoso do mundo.

Ficha Técnica:

Direção: Elielson Júnior, Iury Laudrup
Assistente de Direção: Daniela Aires
Texto: Elielson Júnior, Iury Laudrup
Elenco: Danilo Silva, Fernanda Façanha, Iury Laudrup, Márcio Gama, Marcus Visasi, Rafael Bastos, Roberta Amorim, Tusie Sandra
Preparadora de Elenco: Marina Brito
Figurino: Ateliê Tereza
Design Gráfico e Ilustrações: Elielson Júnior
Criação e Produção: Beco Teatral

Serviço: 

Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado
Data: 21 e 22 de dezembro de 2018
Horário: 20h
Local: Teatro das Bacabeiras (R. Cândido Mendes, 1087 – Centro)
Entrada: R$15,00 (Meia) + 1Kg de alimento não perecível (que deve ser entregue nos dias do espetáculo)
Duração: 90 minutos
Classificação etária: Livre
Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812

Fonte: Fanpage da peça.

Projeto propõe atividades lúdicas para incentivo à leitura nas escolas do campo

A comunidade de São Joaquim do Pacuí recebeu na última semana uma programação cultural voltada para o incentivo à leitura e poesia com o Sarau de Sonoridade e Expressividade na Leitura Poética, realizado nos dias 12 e 13 deste mês. O evento é resultado de parceria entre Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), que apresentaram o projeto que contará com um cronograma já para o próximo ano, tornando as visitas às comunidades rurais de Macapá mais frequentes.

A intenção é que as crianças do campo tenham acesso às atividades lúdicas que envolvem a leitura para que a prática seja incentivada aos estudantes do campo. A equipe da Divisão de Recursos Didáticos da Semed, junto com a da Fumcult, levou aos alunos contação de histórias, teatro de bonecos, pintura de rosto, oficina de balões, cinema e música.

“Nossa finalidade é levar às comunidades rurais um trabalho que já desenvolvemos aqui na capital, que é essa ludicidade da leitura e produção textual. Neste primeiro momento, estamos apresentando isso para os alunos, mas queremos tornar essas viagens regulares como parte do nosso calendário e chegar a todas as comunidades, levando não apenas as nossas metodologias, mas também capacitando os próprios representantes das escolas para que possam disseminar a arte e cultura dentro dos espaços escolares da zona rural”, explicou Samara Sampaio, chefe da Divisão de Recursos Didáticos.

As atividades contaram com apresentações do Tio Nescal, Mariza Pinheiro, Boneka Leleka (Selma Naiara), Angelita, com a contação de histórias; Beto Oscar com música ao vivo; Guiga Melo, com o teatro de bonecos; Paulo Rocha, Aldenir e Cláudio, que trouxeram rodas de conversa.

Assessoria de Comunicação/Semed

Peça teatral Jornada Bufa será apresentada no Céu das Artes


A CORTEJO Produções Artísticas e FRÊMITO Teatro, apresentam no 14 de dezembro de 2018, a partir das 19h, no Céu das Artes, a peça teatral JORNADA BUFA. A entrada será gratuita.

SINOPSE

Bufa é um catador de lixo que vive na companhia de resíduos e do lixo do cotidiano alheio. Tratado pela sociedade como homem e bicho, diariamente se equilibra em uma sobrevivência árdua, prazerosa e missionária. O que era pra ser um dia comum na vida desse andarilho torna-se uma experiência intrigante e transcendental. Bufa cai em um buraco de rua que o leva muito além do fundo de qualquer realidade possível. Ele é transportado para o fundo de sua própria consciência, para o âmago do planeta Terra, um lugar onde ele pode observar todas as pessoas para além de suas aparências, por dentro e por fora.

FICHA TÉCNICA

Interpretação: Jhou Santos
Direção: Wellington Dias
Dramaturgia: Coletiva
Realização: CORTEJO Produções Artísticas e FRÊMITO Teatro

SERVIÇO:

Dia: 14 de dezembro de 2018
Horário: 19h
Local: CEU DAS ARTES (Av. Carlos Lins Cortes, S/N – Infraero)
Entrada Franca
Informações: (96) 9100-6230/ (96) 98107-1972

Espetáculo levará a história tradicional do Natal ao público infantil

O grupo Quimera Cia. de Teatro, apresenta a incrível história “O Nascimento do Menino-Deus Contado Por Dona Baratinha”, neste sábado, 15, as 16h, na quadra da Igreja Jesus de Nazaré. A proposta é de levar a história tradicional do Natal a um público infantil.

Para a montagem do Auto, o grupo Quimera Cia. de Teatro vai contar com os principais personagens da história de Natal que são: o Menino-Deus, Maria e José – os pais de Jesus -, e os três Reis Magos, mais ainda a Dona Baratinha que é a personagem narradora do Auto de Natal.

De acordo com a diretora Rosa Rente a narrativa vai ser de uma linguagem bem leve e doce para as crianças, e a interpretação dos atores bem alegre e interativa com a plateia. “Os atores vão estar caracterizados dos personagens que fazem a história milenar. As canções que vão fazer a trilha sonora do Auto, são todas muito populares e que acreditamos que irão envolver emocionalmente as crianças e até mesmo os adultos – pais das crianças – que estarão na plateia”, ressalta Rosa.

Quimera Cia. de Teatro

A CIA de teatro surgiu em 2009, lançando o monólogo Sem Dizer Adeus, e vem ao longo desses nove anos, desenvolvendo espetáculos para públicos distintos formado por adultos e crianças.

O espetáculo “Uma Aventura no Sítio do Pica-pau Amarelo” e “Em Busca do Ser Mágico”, foram apresentados nas escolas públicas e saraus literários para o público adulto. O grupo já realizou autos de Natal no município de Pedra Branca do Amapari, e para as festividades de Natal e Ano Novo para Macapá, está com essa mais nova produção.

Ficha Técnica:

Direção: Rosa Rente
Elenco: Rosa Rente, Andressa Aragão, Josiel Ferreira, Keila Aguiar e Glauber Caetano
Figurino: Jô Rente
Sonoplastia: Josilene Nunes.

Contato: Diretora Rosa Rente 99196 9204
Assessora de Imprensa: Pérola Pedrosa 99127 9591

Hoje rola o Auto de Natal: “O Boi e o Burro a Caminho de Belém”

O Movimento Cultural Desclassificaveis apresenta o Auto de Natal: “O Boi e o Burro a Caminho de Belém” ( Livre adaptação) do texto da dramaturga carioca Maria Clara Machado.

Serviço:

QUANDO: 08 /12/2018.
ONDE:Centro Comunitário Maria na Comunidade, localizado na Avenida Ceará, Nº 111, no bairro do  Pacoval (zona norte de Macapá).
HORÁRIO: 19h
Direção: Paulo Alfaia
Coordenação: Caique Sampaio, Giselle Braz,
Jubson Blada ,Solange Smit.

Lugar da Chuva é apresentado neste sábado e domingo no Espaço Garden In Cena

Neste sábado e domingo, dias 3 e 4, às 19h, o Espaço Garden In Cena apresenta o espetáculo “Lugar da Chuva”, que conta uma viagem afetiva e poética pela Amazônia amapaense, fruto de uma residência artística na cidade de Macapá e seus arredores.

A dramaturgia cartográfica, que organiza o texto por ilhas, navega por diversos locais na foz do Rio Amazonas, reinventando cenicamente as sensações e reflexões que atravessam os corpos durante o seu percurso entre a cidade e a floresta, entre o mato e concreto, entre o rio e a rua.

O valor do ingresso fica a critério do público, oferecendo qualquer quantia e serão distribuído com 30 minutos antes da peça. O espetáculo será ainda representado no próximo final de semana, sempre às 19h.

FICHA TÉCNICA

Realização: Frêmito Teatro (AP) e Agrupamento Cynétiko (SP)
Com: Raphael Brito e Wellington Dias
Concepção e Direção: Otávio Oscar
Dramaturgismo: Ave Terrena Alves
Direção de Arte: Daniele Desierrê
Videoarte: Luciana Ramin
Produção Executiva: Wellington Dias e Raphael Brito
Técnicos: Beatriz Nonato, Diego Malva e Emerson Rodrigues

No Espaço Garden In Cena | Amapá Garden Shopping
Dias:
Sábado dia 3 | Domingo dia 4
Sexta dia 9 | Sábado dia 10
Sempre às 19h
Pague quanto Puder

SERVIÇO:

Espetáculo teatral Lugar da Chuva
Duração: 70 minutos
Distribuição de ingressos 30min antes de cada apresentação
Classificação etária: 12 anos
Telefone de contato: 96 98107-1972
Email: [email protected]

Oficina de técnicas circenses abre inscrições gratuitas em Macapá

O Sistema Fecomércio, por intermédio do Sesc Amapá abre inscrições gratuitas para oficina de “Técnicas Circenses”, que acontece de 23 a 26 de outubro ministrada pela Cia Cangapé (AP).

A oficina será pautada na prática do autor cômico e do corpo como suporte para criação do palhaço, bem como instrumento de equilibrismo e malabares. Serão provocados exercícios que favoreçam a coordenação motora, flexibilidade e expressão corporal voltados para comicidade, jogos de improviso, brincadeiras e danças populares.

O evento é voltado a todos que tiverem interesse, mesmo que não atuem na área teatral, para os atuam na área, é um agregador nas práticas de atuação e jogo cênico. As inscrições estão sendo realizadas presencialmente e exclusivamente no setor de cultura no Sesc Araxá. As aulas serão realizadas de 15h às 18h na sede da Cia Cangapé, localizada na Rua 4, no Bairro Araxá.

Companhia Cangapé

Fundada em 2005, no bairro Araxá, na periferia de Macapá, atende crianças, adolescentes e jovens em situação de exclusão social, por meio de oficinas de arte e cultura – ferramentas essenciais de transformação social.

Contribui para a promoção do desenvolvimento e da inclusão social de crianças, adolescentes e jovens por meio da oferta de oficinas de iniciação de circo e teatro, da criação de um cine clube e de um espaço de leitura com extensão do ambiente escolar. Receberam o Prêmio “FUNARTE” Petrobrás Cultural e Saúde 2010 e Prêmio “FUNARTE Petrobrás Carequinha” de estimulo ao circo, pelo projeto “Corda Bamba”.

Serviço

Sesc Araxá
Rua Jovino Dinoa, 4311 – Beirol – Macapá/AP.
Coordenadoria de Cultura
Fone: (96) 3241-4440 (Ramal – 239)