Nota da Secretaria de Estado da Cultura do Amapá

A Secretaria de Estado da Cultura do Amapá (Secult/AP) vem à público prestar esclarecimentos sobre o Edital nº 001/2020, referente ao Convênio nº 887106/2019 – “ Projeto Circula Amapá”. A pasta divulgou, na última segunda-feira (27), a lista de habilitados e inabilitados da chamada pública, abrindo prazo para a apresentação de recursos a respeito do resultado preliminar divulgado. No total foram analisadas 253 propostas de diversos segmentos culturais, sendo 119 consideradas aptas pela comissão avaliadora formada por técnicos da pasta e profissionais da cultura convocados.

Por essa razão, a Secult/AP resolveu tornar pública a prorrogação da entrega de recursos, que deverão ser submetidos para a análise pela Comissão, bem como a consequente homologação do Resultado Final dos habilitados no Edital. O encaminhando do formulário, que está disponível no site da Secretaria (www.secult.ap.gov.br), deve ser realizado para o e-mail [email protected]

Para tal, o cronograma será:

– O prazo para recursos iniciou na última terça-feira (28) e encerrará nesta sexta-feira, dia 31 de julho de 2020.
– A divulgação dos projetos selecionados após Recurso ocorrerá no dia 5 de agosto de 2020.
– A entrega de documentos (somente premiados) ocorrerá do dia 6 ao dia 7 de agosto de 2020.
– Homologação final do edital será realizado no dia 11 de agosto de 2020.

A Secult reafirma o seu compromisso com a lisura e transparência de todos os processos relacionados e à atual gestão, que têm buscado contribuir um melhor atendimento nos princípios da legalidade para com os segmentos e fica à disposição para quaisquer esclarecimentos no que for necessário.

No que lhe concerne, a Secretaria se compromete em cumprir todos os trâmites necessários para que, tão logo, os trabalhadores da cultura possam ser atendidos pelo edital Circula Amapá.

Evandro Milhomen
Secretário de Estado da Cultura

Secult/AP encerra mês de julho com 18 atrações virtuais do projeto Ao Vivo Lá Em Casa

Com mais de 40 horas de programação virtual, o projeto Ao Vivo Lá Em Casa, da Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP), encerra sua primeira etapa de exibições artísticas online. Fechando o mês de julho, serão 18 atrações: artesanato, teatro, música, audiovisual, capoeira, artes visuais, dança e cultura popular. Os artistas apresentam-se de quarta (29) à sexta-feira (31), pelas redes sociais da pasta de cultura do Estado, sempre iniciando às 18h.

Desde o dia 10 de julho, mais de 70 produções de artistas locais já foram transmitidas virtualmente para os amapaenses, de forma totalmente acessível, garantindo a interação do trabalhador da cultura com o seu público. Com a iniciativa, o Governo do Amapá (GEA), por meio da Secult/AP, enaltece a classe artística do Estado, possibilitando também que pessoas de outras regiões ou países conhecessem um pouco da nossa cultura tucuju.

Foi oferecida uma programação diversificada, com shows musicais, recitais poéticos, espetáculos, performances, exposições, exibições, contação de histórias, demonstrações técnicas, entre outras. Nessa última semana do mês de férias, por exemplo, vai ter a banda Tia Biló e o cantor e compositor Amado Amâncio, além de quadra junina, experimento cênico e oficina de artesanato com grafismo maracá, cunani e palikur, e muito mais.

“Os artistas locais precisaram se adaptar para poder continuar trabalhando nesse período de pandemia; coube então a nós da Secretaria criar os mecanismos para que a produção cultural não fosse totalmente afetada. Acredito que o projeto Ao Vivo Lá Em Casa foi uma excelente experiência para produtores culturais e o público amapaense que, mesmo dentro de suas casas, puderam apreciar a riqueza dos segmentos culturais presentes em nosso Estado”, enfatizou o titular da Secult/AP, Evandro Milhomen.

Programação:

29 de julho (quarta-feira)

18h – Jansen Rafael (Artesanato); 18h20 – Rafael Lacerda (Teatro); 18h40 – Heber Lemos (Música); 19h – Brenner Pinheiro (Música); 19h20 – Ezequias Monteiro (Música); 19h40 – Cleverton Nélio (Música).

30 de julho (quinta-feira)

18h – José Inácio (Audiovisual); 18h30 – Luiz Alberto (Capoeira); 19h – Mariele Maciel (Música); 19h30 – Artur Loran (Música); 20h – Amado Amâncio (Música).

31 de julho (sexta-feira)

18h – Ademir Barbosa (Artes Visuais); 18h20 – Luana Mira (Dança); 18h40 – Letícia Rosa (Cultura Popular); 19h – Kleber Luiz (Música); 19h20 – Júlia Medeiros (Música); 19h50 – Banda Tia Biló (Música); 20h20 – Dj Netinho Popular (Música).

Secult/AP divulga resultado preliminar do edital “Circula Amapá”

A Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP) divulgou, na última segunda-feira (27), a lista de habilitados e inabilitados da chamada pública “Circula Amapá”. No total foram analisadas 253 propostas de diversos segmentos culturais, sendo 119 consideradas aptas pela comissão avaliadora formada por técnicos da pasta e profissionais da cultura convocados. Com a publicação, os proponentes indeferidos na seleção terão até o dia 29 de julho para interpor recurso, encaminhando formulário disponível no site da Secult (www.secult.ap.gov.br), para o e-mail [email protected]

Após a fase de recursos, a Secretaria realocará as vagas restantes para os demais segmentos pontuados na análise preliminar, totalizando 137 propostas habilitadas pelo edital. O resultado final dos projetos selecionados está previsto para sair no dia 30 de julho.

Os avaliadores analisaram as propostas considerando critérios técnicos e artísticos, além da coerência no uso dos recursos disponíveis; qualificação do proponente e ficha técnica; interação artística com a diversidade cultural do Amapá; e a contrapartida oferecida para a população e/ou artistas locais. Deste modo, o edital alcançou projetos artístico-culturais dos segmentos de cultura popular (marabaixo, grupos juninos e capoeira), teatro, circo, dança, artes visuais, artesanato, audiovisual, literatura e música.

A iniciativa tem como principal objetivo premiar projetos da cadeia produtiva da cultura e das artes em todo Estado. Os recursos para execução são provenientes de emenda federal articulada pelo senador do Amapá, Davi Alcolumbre, com o intuito de valorizar e fortalecer a cultura amapaense, incentivando a produção local com políticas ampliadas para os projetos que favorecem a circulação de bens, produtos e serviços artísticos e culturais em âmbito local, estadual, nacional e internacional.

De acordo com o titular da Secult, Evandro Milhomen, a iniciativa promoverá a cultura amapaense de forma integral, com os diversos segmentos contemplados com recursos que lhes garantirão movimentar a produção local, oferecendo ao público do Estado acessibilidade aos meios culturais.

“Temos trabalhado muito. Nosso objetivo é, dentro de nossas possibilidades, fomentar a cultura mesmo em tempos de Covid-19. Entendemos que isso é fundamental para ampliarmos as possibilidades de valorização e fortalecimento cultural do Amapá em todas as suas vertentes, bem como gerar renda para a classe artística”, pontuou o secretário Evandro Milhomen.

Confira a lista completa AQUI:

https://editor.amapa.gov.br/arquivos_portais/publicacoes/SECULT_d54689e4188c86fff93e4130b0693e97.pdf

Ao Vivo Lá Em Casa: mais seis atrações locais se apresentam nesta sexta-feira (24) nas redes sociais da Secult/AP

Nesta sexta-feira (24), com teatro, capoeira e shows musicais, a Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP) segue para mais um dia de apresentações virtuais do projeto Ao Vivo Lá Em Casa. A programação de estende até o domingo (26), com atrações de artistas locais selecionados pela chamada pública. Com um repertório gratuito e variado, as transmissões ocorrerão pelas redes sociais da pasta de cultura do Estado, iniciando às 18h.

Desde o dia 10 de julho, o Governo do Estado do Amapá (GEA), por meio da Secult/AP, vem abrilhantando as semanas com shows musicais, recitais poéticos, espetáculos, performances, exposições, exibições, contação de histórias, demonstrações técnicas, entre outras. Inteiramente virtual e acessível à toda a população amapaense, o projeto também dá visibilidade às produções dos artistas locais pela internet, possibilitando que pessoas de outras regiões ou países conheçam um pouco da nossa cultura tucuju.

Nessa semana, a programação iniciou na quarta-feira (22) com apresentações de teatro com Vanderlei Pereira e Adalton Guedes; dança com Matheus Pereira; e música de Wendel da Conceição, Kleber Luiz e Lívia Carla. Na noite de ontem (23), seis atrações estiveram on-line: Mateus Lemos e Peterson Andrade (dança); Márcia Samea (artes visuais); Aroldo Pedrosa (literatura musical); Janete Silva e DJ 008 (música).

Programação Final de Semana

24 de julho (sexta-feira)

18h – Juliane Bastos (Teatro) / 18h20 – Luciana Avelar (Capoeira) / 18h40 – Crisomar Nascimento (Música) / 19h – Almir Tavares (Música) / 19h20 – Augusto Máximo (Música) / 19h40 – Adail Jr. (Música).

25 de julho (sábado)

18h – Daniel de Rocha (Teatro) / 18h20 – Jorge Altura (Artes Visuais) / 18h40 – Tiago Machado (Hip-Hop) / 19h – Rosa Amaral (Música) / 19h20 – Neudo Produções (Música) / 19h40 – Bebeto Nandes (Música).

26 de julho (domingo)

18h – Iran de Souza (Literatura) / 18h20 – Marcos Boss (Dança) / 18h40 – Aricélio Chagas (Capoeira) / 19h10 – Alex de Jesus (Música) / 19h40 – Tonny Miranda (Música) / 20h00 – Paulo Carvalho (Música).

Programação virtual da Secult: Ao Vivo Lá Em Casa segue nesta quinta-feira, 23

Nesta quinta-feira (23), o projeto Ao Vivo Lá Em Casa, da Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP), continua com atrações de música, dança, literatura musical e artes visuais. A programação de estende até o domingo (26), com apresentações de artistas locais selecionados pela chamada pública. Com um repertório gratuito e variado, contemplando também os segmentos de capoeira, hip-hop e teatro, as transmissões ocorrerão pelas redes sociais da pasta de cultura do Estado, iniciando todos os dias às 18h.

Desde o dia 10 de julho, o Governo do Estado do Amapá (GEA), por meio da Secult/AP, vem abrilhantando as semanas com shows musicais, recitais poéticos, espetáculos, performances, exposições, exibições, contação de histórias, demonstrações técnicas, entre outras. Inteiramente virtual e acessível à toda a população amapaense, o projeto também dá visibilidade às produções dos artistas locais pela internet, possibilitando que pessoas de outras regiões ou países conheçam um pouco da nossa cultura tucuju.

Ontem (23), ocorreram as apresentações de teatro com Vanderlei Pereira e Adalton Guedes; dança com Matheus Pereira; e música de Wendel da Conceição, Kleber Luiz e Lívia Carla.

Programação:

23 de julho (quinta-feira)

18h – Márcia Samea (Artes Visuais) / 18h20 – Aroldo Pedrosa (Literatura Musical) / 18h40 – Mateus Lemos (Dança) / 19h – Peterson Andrade (Dança) / 19h20 – Janete Silva (Música) / 19h40 – DJ 008 (Música).

24 de julho (sexta-feira)

18h – Juliane Bastos (Teatro) / 18h20 – Luciana Avelar (Capoeira) / 18h40 – Crisomar Nascimento (Música) / 19h – Almir Tavares (Música) / 19h20 – Augusto Máximo (Música) / 19h40 – Adail Jr. (Música).

25 de julho (sábado)

18h – Daniel de Rocha (Teatro) / 18h20 – Jorge Altura (Artes Visuais) / 18h40 – Tiago Machado (Hip-Hop) / 19h – Rosa Amaral (Música) / 19h20 – Neudo Produções (Música) / 19h40 – Bebeto Nandes (Música).

26 de julho (domingo)

18h – Iran de Souza (Literatura) / 18h20 – Marcos Boss (Dança) / 18h40 – Aricélio Chagas (Capoeira) / 19h10 – Alex de Jesus (Música) / 19h40 – Tonny Miranda (Música) / 20h00 – Paulo Carvalho (Música).

Programação virtual da Secult: “Ao Vivo Lá Em Casa” apresenta 30 atrações locais de quarta (22) a domingo (26)

Nesta quarta-feira (22), o projeto Ao Vivo Lá Em Casa, da Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP), inicia mais uma semana de programação virtual com seis atrações de teatro, dança e música. Até o domingo (26), serão mais 24 apresentações de artistas locais selecionados pela chamada pública. Com um repertório gratuito e variado, contemplando também os segmentos de artes visuais, literatura, capoeira e hip-hop, as transmissões ocorrerão pelas redes sociais da pasta de cultura do Estado, iniciando todos os dias às 18h.

Desde o dia 10 de julho, o Governo do Estado do Amapá (GEA), por meio da Secult/AP, vem abrilhantando as semanas com shows musicais, recitais poéticos, espetáculos, performances, exposições, exibições, contação de histórias, demonstrações técnicas, entre outras. Inteiramente virtual e acessível à toda a população amapaense, o projeto também dá visibilidade às produções dos artistas locais pela internet, possibilitando que pessoas de outras regiões ou países conheçam um pouco da nossa cultura tucuju.

O espetáculo “Nós Entre Nós”, proposta do artista Adalton Guedes, será um dos trabalhos que abrirão a programação desses próximos cinco dias. Além do proponente, o elenco é composto por Caique Sampaio, Ingrid Ranna, Ingrid Ranieri e Juliana Monteiro. A dramaturgia, direção, cenografia, concepção de caracterização e sonoplastia é de Jhou Santos. Genuinamente amapaense, o experimento cênico é vencedor do III Festival Curta Teatro, edição 2018, onde recebeu os prêmios de melhor caracterização, concepção sonora e ator coadjuvante.

Programação Completa:

22 de julho (quarta-feira)

18h – Vanderlei Pereira (Teatro) / 18h20 – Adalton Guedes (Teatro) / 18h40 – Matheus Pereira (Dança) / 19h – Wendel da Conceição (Música) / 19h20 – Kleber Luiz (Música) / 19h40 – Lívia Carla (Música).

23 de julho (quinta-feira)

18h – Márcia Samea (Artes Visuais) / 18h20 – Aroldo Pedrosa (Literatura Musical) / 18h40 – Mateus Lemos (Dança) / 19h – Peterson Andrade (Dança) / 19h20 – Janete Silva (Música) / 19h40 – DJ 008 (Música).

24 de julho (sexta-feira)

18h – Juliane Bastos (Teatro) / 18h20 – Luciana Avelar (Capoeira) / 18h40 – Crisomar Nascimento (Música) / 19h – Almir Tavares (Música) / 19h20 – Augusto Máximo (Música) / 19h40 – Adail Jr. (Música).

25 de julho (sábado)

18h – Daniel de Rocha (Teatro) / 18h20 – Jorge Altura (Artes Visuais) / 18h40 – Tiago Machado (Hip-Hop) / 19h – Rosa Amaral (Música) / 19h20 – Neudo Produções (Música) / 19h40 – Bebeto Nandes (Música).

26 de julho (domingo)

18h – Iran de Souza (Literatura) / 18h20 – Marcos Boss (Dança) / 18h40 – Aricélio Chagas (Capoeira) / 19h10 – Alex de Jesus (Música) / 19h40 – Tonny Miranda (Música) / 20h00 – Paulo Carvalho (Música).

Livro sobre processo de dança contemporânea no Brasil tem participação de amapaense

Foto: Aline Monteiro

O ator e bailarino, Maurício Maciel, foi o único amapaense convidado a participar do livro O Olhar Na Dança da pesquisadora e bailarina brasiliense, Juana Miranda. A obra reuniu 30 profissionais da dança de todo o Brasil. Um trabalho de imersão no processo de criação, em especial, o do coreógrafo e seu processo criativo, registrando a diversidade e as facetas da dança contemporânea nacional.

A publicação inclui ainda um DVD com vídeos, de seis a oito minutos cada, nos quais o público poderá assistir aos próprios coreógrafos relatando suas experiências. O projeto é um intercâmbio entre a produção da arte em todas as regiões do Brasil. Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

Foto: Pedro Stkls

Para Maurício que atua na área da dança no Amapá há 14 anos e é integrante da Cia Ói Nóiz Aki, poder contribuir para a pesquisa da Juana é de grande significado. “Poder falar sobre o meu processo de construção na dança, de todo meu trabalho, falar de dança na Região Norte, em específico a feita no meu estado, é mostrar a pluralidade de corpos dançantes que existe nesse país de tantos brasis. Representar o Amapá estando ao lado de grandes nomes da dança no Brasil, nomes estes que são referências e inspirações para minha trajetória artística, é reconhecer que o Amapá também tem suas potências na dança, e que estamos inseridos hoje dentro do circuito cultural brasileiro através da minha dança”, destaca Maurício.

Sobre Maurício

Foto divulgação

Maurício Maciel é ator, diretor teatral, bailarino, coreógrafo e arte educador. Iniciou sua carreira em 2004 com a montagem do espetáculo Os Meninos da Cidade com direção de Celso Dias. Atuou nas montagens de Cerejas Amargas, Ensaio ou Saio, Via Sacra das Águas, Encanto da Ciranda, e coreógrafo do espetáculo Água Onde Tudo Se Refaz pela Cia. Supernova Teatro Experimental. Dirigiu Leituras Dramatizadas dos textos Barrela de Plínio Marcos, Avental Todo Sujo de Ovo de Marcos Barbosa ambos no Projeto Dramaturgia: Leituras em Cena do SESC-AP. Esteve no elenco como bailarino do Tatamirô Grupo de Poesia nos espetáculos Eu Vou Fazer Algo Com A Linguagem e Espaço Escuta Poética: Tecno Artaud, e com o Grupo Litero-Musical Poetas Azuis nos Shows Abra O Bico, A Poesia É Pop, Recital dos Verões e Quando O Amor Florir .

Pelo Ói Nóiz Akí participou das montagens de Cânticos de Antares e Gaudêncio Seguro – O que Morreu de Velho! Ministrou oficina de teatro e dança no projeto ÓI NÓIZ AKÍ – Descoberta e Formação de Novos Valores, executado com recursos do CRIANÇA ESPERANÇA 2013 em parceria com a UNESCO e a Rede Globo e no projeto Cultura Viva no CEU DAS ARTES, realizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Macapá – PMM através da Fundação Municipal de Cultura de Macapá – FUMCULT. Atualmente é acadêmico de Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal do Amapá e Conselheiro de Pauta do Teatro das Bacabeiras pelo seu 2° mandato.

Vendas

Instagram: @nucleodepesquisadacena
E-mail: [email protected]
Valor: R$ 35
Informações: Instagram: @nucleodepesquisadacena
O livro é livre para todos os públicos.

Texto: Thiago Soeiro – Jornalista

Edital “Circula Amapá” da Secult: inscrições para artistas e produtores culturais encerram HOJE

A Secretaria de Estado da Cultura do Amapá (Secult/AP) informa que as inscrições para o Edital “Circula Amapá” encerram hoje (15). O prazo, que seria encerrado no dia 30 de junho, foi estendido por três vezes, com a finalidade de oportunizar os trabalhadores dos segmentos culturais que não conseguiram se inscrever no período estipulado anteriormente. As propostas podem ser encaminhadas por meio do formulário eletrônico, que se encontra no portal ‘ www.secult.portal.ap.gov.br ’, ou pelo e-mail [email protected]

O Edital “Circula Amapá” visa premiar 137 iniciativas da cadeia produtiva da cultura e das artes em todo Estado. A expectativa da Secult é receber propostas que propiciem experiências artísticas à população amapaense. A proposta prevê contemplar projetos artístico-culturais dos segmentos de Teatro, Dança, Circo, Música popular, erudita e instrumental, Audiovisual, Livro, leitura, literatura, Artes plásticas, artes visuais, Artesanato, Culturas populares, tradicionais e identitárias.

A chamada pública foi lançada no dia 18 de março pela Secult, por meio de emenda federal articulada pelo senador do Amapá, Davi Alcolumbre, com o intuito de valorizar e fortalecer a cultura amapaense, incentivando a produção local com políticas ampliadas para os projetos que favorecem a circulação de bens, produtos e serviços artísticos e culturais em âmbito local, estadual, nacional e internacional. Os prazos foram prorrogados por duas vezes, em atenção às circunstâncias atuais, provenientes da pandemia da Covid-19.

Segundo o secretário da Secult/AP, Evandro Milhomen, a ideia do edital é ampliar o acesso à cultura, uma política que a pasta sempre colocou como prioridade e, agora se torna ainda mais fundamental com a crise de saúde pública. “Com esse incentivo aos segmentos culturais do Estado, ganham os profissionais da cultura, mas principalmente a população do Amapá. Nesse momento triste que o mundo está vivendo, a cultura irá restaurar as esperanças e mostrará um novo caminho para todos nós, porque a humanidade se alimenta da esperança e do processo criativo que de se reinventar, que a cultura e a arte trazem”, ressaltou.

Marabaixo, manifestação artística da cultura popular do Amapá — Foto: Aydano Fonseca/Tambores e Bandeiras

Deste modo, o edital contemplará os múltiplos campos da cultura no Estado, abrangendo os segmentos popular, tradicional e identitária; teatro; arte circense; dança; artes visuais e/ou plásticas; artesanato; audiovisual; livro, leitura, literatura e biblioteca; e música. Poderão participar Microempreendedores Individuais (MEI) e pessoas jurídicas de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, que comprovem tempo de atuação de acordo com sua área pleiteada.

O projeto atenderá diversos profissionais do setor artístico, como, por exemplo, artistas, produtores, grupos, companhias, associações e demais agentes da cadeia produtiva da cultura. As premiações variam entre cinco e dez mil reais, de acordo com critérios estabelecidos no edital, totalizando um investimento na cultura de R$ 938 mil. Com essa medida, a pasta quer reconhecer o trabalho desenvolvido pelos empreendedores da cultura do Estado.

Atendendo o segmento da cultura popular, tradicional e identitária, o edital contemplará grupos de marabaixo e/ ou batuque, grupos ou comunidades tradicionais, entidades juninas tradicionais ou estilizadas e grupos de capoeira. Já na vertente da leitura, literatura e biblioteca, podem participar escritores (poetas, contistas, cronistas), contadores de histórias, mediadores de leitura e demais agentes.

Os interessados devem realizar o cadastro no Sistema Estadual de Informações e Indicadores Culturais – SEIIC, sendo pré-requisito para participar do edital . A Secult/AP disponibiliza em seu site vídeos, explicando aos interessados sobre o funcionamento do Edital e como proceder no ato da inscrição.

Foto: Divulgação Secom/GEA

Além disso, os técnicos da Secretaria também estarão à disposição dos artistas e produtores culturais para sanar quaisquer dúvidas sobre o certame, por meio de ligações e WhatsApp no número – (96) 98808-0736. O acesso também pode ser via o e-mail da Secult/AP: [email protected]

Hoje tem Bárbara Vento e Pat Andrade em Live solidária para a Campanha SOS POVOS DA FLORESTA

A Campanha SOS POVOS DA FLORESTA segue firme pelas redes sociais, arrecadando alimentos, material de higiene e dinheiro para auxiliar no combate à Covid-19 e no atendimento de indígenas, ribeirinhos, agricultores, pescadores e demais segmentos que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Este mês de julho, teremos todos os dias uma LIVE de arrecadação. Hoje, dia 13 de julho, é a vez da atriz Bárbara Vento e da poeta Pat Andrade. Ambas estarão dividindo a tela, falando de suas experiências pessoais com a arte, declamando poemas e trazendo alegria para quem estiver assistindo.

Sobre Bárbara Vento

Barbara Vento é formada em Artes Cênicas pela Escola Estadual de Teatro Martins Pena (RJ) e em direção cinematográfica pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro (RJ). Barbara é atriz, diretora, musicista e arte educadora. No teatro, com o grupo Tá na Rua, atuou nos espetáculos Mambembe Canta Mambembe, no Teatro Vila Lobos em 2004, e O Castiçal, no Teatro Carlos Gomes (RJ), em 2003. Na TV Globo, participou no elenco das minisséries Hoje é Dia de Maria, (2005), Amazônia, de Galvez a Chico Mendes (2007), Filhos da Pátria (2016), viveu a personagem Dita da novela Éramos Seis (2020).

No cinema, dirigiu o documentário o Exu Rei (2017), lançado no Encontro Zózimo Bulbul de Cinema Negro – Brasil, África e Caribe no Cine Odeon (RJ). Desde 2011 trabalhando com educação infantil e musicalização. Em 2017 criou o projeto Carimbaby com músicas nortistas e contação de histórias para crianças e com esse mesmo trabalho, em 2019, participou da Feira Literária Internacional de Paraty no Rio de Janeiro.

Sobre Pat Andrade

Pat Andrade é uma poeta amazônida. Atualmente, vive em Macapá. É acadêmica do curso de Letras da UEAP. Há mais de 13 anos, vende seus poemas em publicações que ela mesma produz. Já são mais de 25 livrinhos artesanais e três livros virtuais. A autora é colaboradora do Site De Rocha!; tem poemas publicados na coletânea Jaçanã – Poética Sobre as Águas e seu trabalho é estudado por acadêmicos do curso de Letras da Unifap e em algumas escolas da rede pública estadual de ensino.

Pat se considera uma militante da Literatura: visita escolas, universidades e participa de eventos literários e culturais, os mais diversos. Vai assim, semeando a palavra, colhendo brisa e plantando tempestades.

Serviço:

Data: 13 de julho de 2020
Hora: 20h
Pelos perfis:

Bárbara Vento
https://web.facebook.com/search/top/?q=barbara%20vento&epa=SEARCH_BOX

Patrícia Andrade
https://web.facebook.com/profile.php?id=100004380754227

Programação de hoje: Ao Vivo Lá Em Casa segue com shows musicais, dança, teatro, cultura popular e muito mais neste domingo (12)

Marabaixo, manifestação artística da cultura popular do Amapá — Foto: Aydano Fonseca/Tambores e Bandeiras

A Secretaria de Cultura do Amapá (Secult) dá seguimento neste hoje (12), a partir das 18h, com a programação cultural online gratuita do projeto “Ao Vivo Lá Em Casa”. A exemplo de sexta e sábado passados, vai rolar com shows musicais, dança, teatro, cultura popular e muito mais, com transmissão inteiramente virtual pelo Facebook e Instagram da Secult e, igualmente, pelas redes sociais dos artistas participantes.

Sobre o Ao Vivo Lá Em Casa

O projeto ocorrerá até o mês de agosto, com mais de 90 atrações propostas pelos agentes da cadeia produtiva da cultura do Estado. Os produtos artísticos serão transmitidos ao vivo e também por reproduções gravadas, respeitando todas as recomendações para o isolamento social na quarentena.

Foto: Divulgação Secom/GEA

“O plano é uma iniciativa do Governo do Amapá para atender artistas locais que tiveram suas fontes de renda afetadas devido à pandemia do novo coronavírus, mas também é uma maneira de democratizar o acesso a conteúdos culturais e gerar oportunidades para artistas e técnicos”, destacou o secretário estadual de Cultura, Evandro Milhomem.

Programação de hoje: 12 de julho (domingo):


*Acompanhe os dias e horários de todas as apresentações: https://drive.google.com/file/d/1J4YXd6FRhZJclfleQHH8rzHRTsSRjUYZ/view

Primeiro final de semana do projeto Ao Vivo Lá Em Casa terá shows musicais, teatro, cultura popular e muito mais

Neste segundo final de semana de julho, uma extensa programação cultural estará disponível gratuitamente pela internet. O projeto “Ao Vivo Lá Em Casa”, da Secretaria de Cultura do Amapá (Secult), traz 19 atrações produzidas por artistas amapaenses, com transmissão inteiramente virtual pelo Facebook e Instagram da pasta e, igualmente, pelas redes sociais dos artistas participantes. Iniciando nesta sexta-feira (10), com música, teatro de fantoches, hip-hop, cultura popular e capoeira, a programação vai até o domingo (12), sempre no horário das 18h às 22h, com uma variedade de performances artísticas.

A programação inicia em grande estilo, com os shows musicais de Naldo Maranhão, Smith Gomez, Ppeu Ramos, Júlia Medeiros, Trio Bomkisó, Ralf Santos, Mateus Pedrosa e Ronery e Delmir, além das apresentações dos outros segmentos artísticos. O projeto ocorrerá até o mês de agosto, com mais de 90 atrações propostas pelos agentes da cadeia produtiva da cultura do Estado. Os produtos artísticos serão transmitidos ao vivo e também por reproduções gravadas, respeitando todas as recomendações para o isolamento social na quarentena.

“O plano é uma iniciativa do Governo do Amapá para atender artistas locais que tiveram suas fontes de renda afetadas devido à pandemia do novo coronavírus, mas também é uma maneira de democratizar o acesso a conteúdos culturais e gerar oportunidades para artistas e técnicos”, destacou o secretário estadual de Cultura, Evandro Milhomem.

Programação plural

Completando as doze horas de apresentações desse final de semana, no segmento de cultura popular, o grupo Berço do Marabaixo da Favela apresentará a dança tradicional amapaense, com relatos de mestres da nossa cultura. Também vai haver muita alegria com o “Arraiar lá em casa”, uma demonstração das festividades juninas para interagir e animar as famílias. Com o teatro de fantoches “Diga não ao preconceito”, o espetáculo teatral “Se deixar ela canta” e a apresentação de coreografias de zumba e hip-hop, a programação fica ainda mais envolvente.

O público também poderá assistir debates e instruções técnicas voltadas ao setor cultural. Haverá discussões on-line sobre as diretrizes da Lei de Emergência da Cultura; tutorial sobre luz, imagem e captação de som para o audiovisual; exibição comentada e demonstração técnica da exposição Retrô-Expectativa. Dentro do segmento da capoeira, o instrutor Alfinete falará sobre a história da puxada de rede e Suene Rairen discutirá sobre a música, toques, ritmos dos instrumentos e palmas, para o estilo de jogos.

Acompanhe os dias e horários das apresentações: https://drive.google.com/file/d/1J4YXd6FRhZJclfleQHH8rzHRTsSRjUYZ/view

 

 

Programação on-line: com diversas atrações culturais, SECULT/AP inicia primeiro final de semana de apresentações do projeto “Ao Vivo Lá Em Casa”

Nesta quarta-feira (8), a Secretaria de Cultura do Amapá (Secult/AP) divulgou a grade de programação do primeiro final de semana do edital “Ao Vivo Lá Em Casa”, iniciativa que contempla diversas apresentações virtuais de artistas amapaenses. Nos próximos dias, serão 91 atrações transmitidas pelo (Facebook e Instagram) e plataformas streaming da Secult e dos profissionais da cultura do Estado. As primeiras apresentações ocorrem de sexta (10) a domingo (12), das 18h às 22h, com show do cantor Naldo Maranhão, Berço do Marabaixo da Favela e muito mais.

A programação definida pela Secult para esse primeiro final de semana, conta com 19 atrações, sendo de Lives e reproduções musicais, teatro de fantoches, capoeira, artes visuais, espetáculos teatrais, dança e festejos juninos, além de demonstrações técnicas sobre iluminação e captação de som, coreografias de hip-hop, discussão sobre a Lei de Emergência Cultural e história da dança capoeira.

Seguindo os critérios de isolamento social – recomendação dos órgãos de saúde para evitar a propagação do novo coronavírus – o projeto levará virtualmente para dentro das residências uma variedade de atrações culturais de artistas amapaenses. A seleção dos profissionais foi feita por meio de chamada pública, onde os proponentes comprovaram atuação continuada na área, o que atendeu técnicos e profissionais da cultura de diversos segmentos.

Por meio dessa iniciativa, a Secult oportuniza a geração de renda aos artistas locais nesse período de crise sanitária, profissionais que foram afetados pela impossibilidade de executarem suas atividades habituais. Ao mesmo tempo, a medida abre uma possibilidade de divulgação global das produções amapaenses, que podem quebrar as barreiras territoriais a partir da internet, chegando a outros estados e países.

É natural dos artistas reunir pessoas com a sua arte, que vem agregar e fortalecer vínculos. Infelizmente as circunstâncias impossibilitaram esses profissionais de estarem próximos de seus públicos, ganhando sua renda; então, como Secretaria de Cultura, precisamos atuar para que essas pessoas tenham a oportunidade de trabalho garantido. O Ao Vivo Lá em Casa vem para quebrar as distâncias e promover em esfera global nossos artistas, trazendo alegria para a população que está isolada cuidando de sua saúde”, declarou o secretário da pasta, Evandro Milhomen.

As atrações ocorrerão nos finais de semana. Acompanhe AQUI a programação completa e agende para não perder nenhuma. PROGRAMAÇÃO DESTE FINAL DE SEMANA.

Companhia de Teatro faz levantamento sobre as mais diversas histórias de amor

A CIA Supernova está realizando uma pesquisa para o seu banco de dados que irá contribuir para futuras produções teatrais

Esse levantamento foi denominado de “ Amor Vive! “ com o objetivo de fazer com que as pessoas contém suas experiências amorosas. Essas memórias não se limitam apenas as afetivas, elas podem ser físicas, sonoras, visuais, fatos inusitados e outros.

Este projeto nasceu em 2012, durante uma viagem ao arquipélago do Bailique, onde integrantes da companhia puderam ouvir as mais diversas histórias, mas a da dona Maria lhes chamou a atenção. Ela contou sua trajetória com o marido, conhecido com Pinduca. Naquele dia nasceu a primeira semente do projeto que hoje pretende ouvir as mais diferentes histórias.

Quem quiser participar do projeto basta preencher um questionário no link

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScdvj5hB9IeZbrH6x6N__6hOVKy4mFDpEzomJ3PbZWo_BVRng/viewform?usp=sf_link

A companhia supernova pretende com essas informações realiza futuras produções. “ Essas histórias irão servir de inspiração para a criação de um novo espetáculo que será realizado pela Cia com data prevista para o início do ano 2021. E para que isso aconteça, estamos realizando uma extensa pesquisa de campo para então começar a escrita do roteiro”, explicou a diretora da companhia, Marina Beckman.

Adryany Magalhães
Assessoria de comunicação da CIA Supernova

Programa “Conhecendo o Artista”: hoje Kássia Modesto entrevista o ator e produtor cultural Jhou Santos

Conhecendo o Artista, é uma Live Programa que acontece todas as quintas e sábados no Instagram da atriz e poeta Kassia Modesto, tem sido noites divertidas e poéticas com entrevistas e jogos e muita interação do público virtual, que participa comentando, perguntando e propondo dinâmicas para o artista convidado. O programa já recebeu literatura, dança, teatro, tv, cinema, música, contação de história, performance e transformismo. E hoje recebe Jhou Santos, um jovem produtor cultural independente Tucuju, pra falar sobre suas andanças nas artes.

Jhou é um jovem artista amapaense que atua há 14 anos no cenário artístico e cultural. Formando em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) onde também foi bolsista do PROCULT (Programa de Cultura da UNIFAP). Formado em Pedagogia pelo Instituto de Ensino Superior do Amapá (IESAP). Possui especialização em: Gestão e Docência no Ensino Básico pela FATECH.

Nos últimos anos integrou a coordenação de importantes eventos para as Artes Cênicas no Amapá, tais como: Idealização e coordenação Geral do primeiro Festival de Solos Cênicos de Circo e Teatro IN SOLOS TUCUJUS (2019). Integrou a coordenação da I e da II Semana Amapaense de Teatro – Coletivo de artistas, produtores e técnicos em teatro do estado do Amapá-CAPTTA (2018/2019). Participou da organização do IV Seminário de Artes Cênicas do Amapá realizado pelo Colegiado do Curso de Lic. Em Teatro da UNIFAP (2018).

Foi um dos selecionados pelo Prêmio Agente Jovem de Cultura 2012 do Ministério da Cultura, pela Bolsa FUNARTE para formação em Artes Circenses 2013 (Escola Nacional de Circo – Rio de Janeiro) e Programa Mais Cultura nas Escolas 2014 (MINC e MEC).

Escreveu e dirigiu em 2018, o experimento cênico “Nós Entre Nós” da Cia de Artes Tucuju, onde receberam os Prêmios de: Melhor experimento Cênico, Melhor Caracterização, Melhor concepção sonora e Melhor Ator Coadjuvante no Festival Curta Teatro Amapá. No mesmo festival na edição de 2019 conquistou o Prêmio de Melhor Ator com o experimento “A História do antigamente”.

Atualmente em cartaz interpretando o personagem “Bufa”com o solo cênico: JORNADA BUFA onde recebe a direção de Wellington Dias com quem divide a dramaturgia do espetáculo.

Hoje, as 21h o Programa Conhecendo o Artista no insta @srta.modesto nós aguardamos você, para essa linda troca.

Apresentadora: Kássia Modesto
Roteiro: Marcelo Luz
Produção: Wanderson Viana
Arte: Rafael Maciel
Artista Convidado: Jhou Santos