Meu amigo Deus


Que me desculpem meus amigos ateus (alguns convictos e outros nem tanto), como sempre digo, não sou religioso, mas acredito em Deus. Não sigo nenhum dogma estabelecido, mas acredito que uma força rege tudo isso. 

Deus ou seja lá qual for o nome dele (God; Dieu; Gott; Adat; Godt; Alah; Dova; Dios; Toos; Shin; Hakk; Amon ou simplesmente “papai do céu”) é meu brother!  Ah, não sou temente a Deus, pois Ele é só energia boa. 

Só Deus sabe o que seria de mim sem a ajuda Dele. Marisa Monte disse que “quem tem Deus como império, no mundo não está sozinho“. Verdade, Dylan falou “Deus conhece os segredos do seu coração”. Grande Bob!

É, minha aliança é com Deus e só com ele. Boto fé no senhor e Ele sempre me auxilia, guia e protege. Mesmo quando sigo por caminhos tortos ou obscuros.

Até quando cantamos com o Sex Pistols “Deus salve a rainha“, Janis Joplin “Oh Deus, você não quer comprar uma Mercedes Benz para mim?” Ou Zeca Baleiro:”Toca Deus um som maneiro”, entre outros, Deus contemporiza. O que vale mesmo é o papo do Gilberto Gil, “Se eu quiser falar com Deus, tenho que ficar a sós, apagar a luz, calar a voz e encontrar a paz”. É por aí. 

Portanto, agradeça a Deus sempre por ter um amor, emprego, família, amigos ou apenas (se é que é simples) por ter saúde e estar vivo. Só Deus sabe o quanto eu confio Nele. 

O escritor Rubem Alves, no livro de crônicas intitulado “Pimentas”, disse: “a gente fala as palavras sem pensar em seu sentido. ‘Benção vem de bendição’. Que vem de ‘dizer o bem ou bem dizer’. De bem dizer nasce ‘Benzer’. Quem bem diz é feiticeiro ou mágico. Vive no mundo do encantamento, onde as palavras são poderosas. Lá, basta dizer a palavra para que ela aconteça”. Então, que Deus continue nos abençoando!

Elton Tavares

Viva São José!


Hoje (19), comemoramos o dia de São José, padroeiro de Macapá, o santo que nunca cansou de ficar de pé na Pedra do Guindaste, de frente para o Amazonas, sempre “vigiando” a nossa capital, contra maldades exteriores.

Amo Macapá. Nasci e me criei aqui. Por isso, peço a São Jusa que interceda contra a criminalidade e trânsito pirado, tudo em escala muito alta para uma capital tão pequena, entre outras mazelas que assolam essa terra.

São José não protege só a nós, amapaenses, mas todos que para cá vem viver e contribuir para a melhoria de nossa terra. Pena que, como santo, ele não pune os que só sugam, saqueiam e ainda desdenham da nossa linda Macapá. 

Enfim, não sou muito religioso, mas respeito a crença de todos. Como diz o poetinha Osmar Junior: “Ô São José da Beira Mar, protegei meu Macapá…”.

Viva o santo carpinteiro, valei-me meu São José!

Elton Tavares

256 anos de Macapá: Missa especial é celebrada na edificação mais antiga da cidade


A programação de aniversário de 256 anos da cidade de Macapá, realizada pela Confraria Tucuju, inicia com a Missa em Ação de Graças na antiga Catedral de São José, celebrada pelo padre Aldenor Benjamim. Pioneiros, autoridades e população em geral assistem à celebração especial que dá início aos festejos, e relembra o início da colonização, quando a Igreja, que foi a primeira edificação, iniciada seis anos da fundação oficial da Vila de São José de Macapá, era o principal prédio e ponto de encontro dos moradores.

Toda a missa remete à cidade de Macapá. A presidente da Confraria, Telma Duarte, explica que é importante usar símbolos históricos para que a memória viva da cidade esteja no ato, as gerações antigas se enxerguem, e as novas compreendam. A diferença é percebida desde a entrada. Toda a igreja é decorada com flores regionais  e a missa começa com a homenagem aos pioneiros, que entram carregando a imagem do padroeiro São José, as bandeiras do Estado e do município de Macapá, e a cruz.

A cantora Brenda Melo e o tenor Mauro Luiz, foram os convidados para entoarem os cânticos religiosos e músicas populares, acompanhados da banda base. Entre os ritos, um tradicional e belo é o ofertório, marcado pela Procissão das Oferendas. Os pioneiros oferecem pão e vinho, que simbolizam o corpo e o sangue; o cacho de bacaba, que é uma referência ao nome que originou Macapá, e ao trabalho do homem do campo; e flores, como símbolo de amor, carinho e gratidão.

A missa acontece no dia 4, às 8:00. Logo após tem a solenidade de hasteamento das bandeiras, no pátio da Biblioteca Pública; o encontro das bandeiras de marabaixo, e o parabéns, corte e distribuição do bolo. No segundo momento da festa acontece o almoço dos pioneiros e distribuição de feijoada para a população, shows musicais e encerramento com fogos pirotécnicos. A programação dura o dia inteiro e encerra às 20h.

Assessoria de Comunicação
Confraria Tucuju         

Obrigado, Anjo da Guarda!


Deus, ou seja lá qual for o nome Dele, como toda figura muito ocupada, deve ter assessores para cuidar das coisas. A equipe do Todo Poderoso, na minha ótica pirada, possui um coordenador chamado de Jesus, seus secretários, denominados Santos e trabalhadores de menor porte, que são os anjos. Aí resolvi agradecer ao meu anjo da aguarda, ou sei lá o nome do espírito amigo que me safa das confusões que me meto e todas as fogueiras que já pulei. 

Então, aí vai: Querido anjo da guarda, sei que já fui uma praga, que ainda dou um pouco de trabalho, não como antes, mas ainda assim o bastante para o senhor trampar pra caramba. Obrigado pelos tiros que não me acertaram naquela noite, por todas as garrafas e cadeiras que passaram voando pertinho, pela caminhonete não capotada, pelas doenças curadas e pelas intrigas dribladas. 

Não quero, de forma alguma, brincar com a religião, este é somente um jeito despojado de agradecer por transpor barreiras com muita sorte e ajuda de Deus. Por isso, entre outras milhares de coisas, obrigado, Anjo da Guarda. 

Valeu! 

Elton Tavares

Festival mistura ritos de religiões africanas no fim de ano em Macapá

Por Abinoan Santiago, do G1 Amapá

A cultura afro-brasileira vai invadir o anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá, na segunda-feira (30). Adeptos do candomblé, umbanda e mina de nagô vão poder acompanhar o tradicional rito das religiões na terceira edição do Festival Águas Amazônicas na Rota de Yemonjá (Faaroyemon), evento que antecede o Réveillon na capital. Os ritos vão iniciar as 19h e a meia-noite acontecerá a tradicional oferenda às margens do rio Amazonas, no Trapiche Eliezer Levy.

De acordo com os organizadores, o evento já está consolidado por quebrar o preconceito com as religiões de matriz africanas.

“Um dos focos do festival é agregar e confraternizar as religiões com adeptos e simpatizantes”, disse um dos coordenadores do festival, pai José de Osossi.

A festividade deve receber duas mil pessoas durante a confraternização de 2013, número maior que o do ano anterior, quando 1,5 mil pessoas participaram da festa, segundo calculam os organizadores.  Três quintetos de músicos serão os responsáveis por dar ritmo ao festival, que tem como lema a preservação ao meio ambiente.

Durante o ritual, as pessoas receberão a benção de 11 sacerdotes de religiões africanas. A novidade para este ano é a participação do padre Paulo Roberto, representando o catolicismo para destacar a união entre as crenças.

O tradicional banho de cheiro, um dos momentos mais aguardados do festival, está confirmado para 2013. Ele será à base de ervas e perfumes.

“Vamos fazer o banho de cheiro para as pessoas que desejam entrar o ano de 2014 com bastante energia positiva e muita sorte”, garantiu pai Rogério de Odé, membro da comissão de organização do Festival Águas Amazônicas da Rota de Yemonjá.

Oferendas

O festival é conhecido por mesclar a fé da cultura africana com a preservação ao meio ambiente. Como as oferendas à Yemonjá serão depositadas em uma barca no rio Amazonas, os organizadores do evento orientam o uso de materiais biodegradáveis.

As comidas, por exemplo, devem ser embaladas em pratos de isopor ou em folhas naturais.  Os presentes que serão transportados em cestas de vime, devem ser levados em cestas confeccionadas com palha.

Recipientes de plástico e metal devem ser substituídos pelos de madeira. Ao invés de bonecas de plástico, deverão ser utilizadas as de pano.

Os frascos de perfume e de champanhe terão seus conteúdos derramados nas águas do rio Amazonas, e os vidros guardados para serem depositados em sacos de lixo espalhados pela orla.

Esse Papa só dá papo bacana!


A verdadeira paz não é um equilíbrio de forças opostas. A paz é compromisso cotidiano, é artesanal, que se conquista contando com o dom de Deus. Eu convido aqueles que não acreditam a desejar a paz. Se juntem a nós com seu desejo. Permitam que todos fiquemos unidos pela paz” – Papa Francisco.

Literatura espírita é comercializada em praça do Centro de Macapá

Por John Pacheco, do Do G1 Amapá

A leitora Marta Cecília Ramos, de 37 anos, acompanha há mais de 20 anos as obras literárias espíritas de ícones como Chico Xavier, Divaldo Franco e Zíbia Gasparetto. Só do autor francês Allan Kardec, ela tem mais de 15 obras. Marta, assim como outros apreciadores do gênero literário, está aproveitando a 22ª edição da Feira do Livro Espírita, que acontece até 15 de dezembro na praça Veiga Cabral, no Centro de Macapá.

A feira comercializa livros com até 20% de desconto, e a partir de R$ 5. Os temas são variados como literatura infantil, psicologia, autoajuda e conhecimento familiar, mas todos ligados ao espiritismo. Segundo o vendedor Bruno Monteiro, a feira não é só destinada ao público da doutrina, mas sim a todos aqueles que buscam a paz interior.

“Por ser em uma praça no Centro, o público que mais frequenta não é o espírita, são aqueles que buscam um conhecimento aprofundado, porque o espiritismo desperta essa curiosidade em muitas pessoas, sobre o que está acima das nossas filosofias”, argumentou o vendedor, lembrando que além dos livros, a feira também tem CDs e DVDs relacionados ao tema.

Marta levou 3 livros para casa. “Estes exemplares me trazem a renovação e a noção de comportamento. Entendemos sobre as coisas que acontecem rotineiramente com a gente e nem sabemos o porquê, ou a causa”, explicou.

A feira organizada pela Federação Espírita do Amapá (Feap) iniciou em 8 de dezembro e encerra no dia 15, no horário de 9h às 19h na praça Veiga Cabral, no Centro de Macapá.

XXII Feira do Livro Espírita do Amapá


A Federação Espírita do Amapá – FEAP – realizará a XXII edição da Feira do Livro Espírita. O evento tem como objetivo ampliar a divulgação da Doutrina Espírita à sociedade amapaense através de mais de 400 títulos de livros, com aproximadamente dois mil exemplares a disposição do público visitante da Feira, além de CD’s e DVD’s.

A Feira estará oferecendo de 5% a 20% de desconto nos livros. Obras básicas sobre a Doutrina Espírita poderão ser encontradas a partir de R$ 5 ,00. São publicações do médium Divaldo Pereira Franco, Raul Teixeira, Chico Xavier, e de autores como Richard Simonetti, Alírio de Cerqueira Filho, Alberto Almeida, entre outros. Livros filosóficos, científicos, religiosos, infantis, além de clássicos que fundamentam a Doutrina, com a predominância de obras de Allan Kardec, Chico Xavier, Raul Teixeira e Divaldo Franco.

De 8 a 15 de Dezembro
Praça Veiga Cabral – Centro

Círio de Nazaré é declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade


A procissão do Círio de Nazaré do Brasil e a Dieta Mediterrânea foram declarados nesta quarta-feira (4), patrimônio imaterial da Humanidade pela Unesco, junto a outros 12 elementos como a pesca do camarão utilizado cavalos da Bélgica e o “zhusuan” chinês.

O Comitê intergovernamental para a salvaguarda do patrimônio imaterial da Unesco, reunido em Baku nesta quarta-feira, decidiu a inscrição de 14 manifestações culturais na lista de patrimônio imaterial protegido da Unesco, que reconhece essas tradições e saberes que refletem a diversidade cultural das comunidades que os praticam.

O Círio de Nazaré ocorre no estado do Pará, mais precisamente na cidade de Belém, quando milhares de pessoas participam de uma procissão de Nossa Senhora de Nazaré.

Esta celebração ocorre no segundo domingo de outubro e consiste em uma das maiores procissões religiosas do mundo, que leva a imagem da virgem Maria em madeira desde a catedral da Sé até a praça do Santuário de Nazaré.

Segundo a Unesco, este elemento do patrimônio cultural imaterial “põe em relevo” os valores de hospitalidade, boa vizinhança, diálogo intercultural e criatividade, e além disso desempenha um “papel essencial de fator de coesão social” nos espaços culturais, festejos e celebrações.

* Podiam ter falado que o Círio também rola em Macapá, mas está valendo. 

Aos meus amigos evangélicos (Por Ricardo Pereira)

Queridos, perdão, mas antes que me tirem de suas orações e de seus corações, gostaria de lembrá-los de que não sou gay (por opção), não sou anti-evangélico (jamais), e embora tenha tido um pai preto (sim, preto mesmo, como ele fazia questão de dizer), tenho a pele clara por parte de minha mãe e ainda: não sou contra qualquer pastor ou outro sacerdote participar ativamente de nossa vida pública e política.


Iniciei dessa maneira para esclarecer que, quando me posiciono a favor da saída de Marco Feliciano da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, não o faço porque ele é pastor ou não professa minha fé ou porque faço parte das ‘minorias atingidas’, não. Faço-o porque esse indivíduo demonstra claramente não estar preparado para assumir um posto com tanta responsabilidade. O que se diz contra ele não são ‘falácias’ não, menos ainda ‘perseguição ao povo de Deus’ (TODOS nós somos filhos de Deus! Estão confundindo religião com religiosidade!)!

As declarações estão na mídia e não foram forjadas como as supostas declarações do deputado Jean Willis (que está processando o pastor). Até os partidários dele (também cristãos e/ou pastores) sabem disso e o estão aconselhando a sair.

Fosse ele padre, bispo, papa, macumbeiro, jedi ou power ranger, eu agiria do mesmo jeito, repudiando tal representação. Basta ter esse comportamento fundamentalista e essa falta de compromisso com a opinião alheia! Também me posicionei contra Collor, Sarney, Renan Calheiros e outros parasitas!

Muita coisa que está escrita na Bíblia (sim, eu a leio!) não pode ser levada ao pé da letra nos dias de hoje, por favor! Caso contrário, alguns outros absurdos ainda estariam acontecendo.

A Bíblia é um livro lindo e representa a palavra do Senhor, no qual acredito. Estão transformando-a em um livro de PODER. Eu rejeito o PODER, me desculpem queridos amigos!

Para mim, vale a famosa frase: “Não existe abuso de poder, o poder por si só já é um abuso!”

Perdão, novamente, e Deus abençoe a todos!

Ricardo Pereira, professor e músico da banda Manoblues

Estou assombrado. E é sério!


Acredito que alguns espíritos não seguem seu caminho, seja onde for e vagam entre nós. Eu já disse aqui antes,  estou assombrado. Até aí, tudo bem. O problema é que tem noite que os espíritos não me deixam dormir. Aí dirão: isso é papo furado!

Bom, esse lance paranormal é mesmo um tanto duvidoso para quem não sofreu na pele. Tem gente que enxerga fantasmas, outros pressentem e ainda existem os que escutam. A coisa acontece de acordo com a sensibilidade mediúnica de cada um.  

O fantasma em questão assombra o meu quarto. É uma alma infeliz que está procurando algo que ainda não sei. Mas espero que ele entenda que eu NÃO sou mau. E se lhe fiz algo de ruim em outra vida, peço perdão!

Eu já vi e escutei. Não vozes como Joana D’Arc, mas barulhos. Diversos ruídos em toda a parte. Chego a arrepiar quando ele (s) se aproxima. O problema agora são coisas que vejo em sonhos e não me deixam dormir direito. Foi o que ocorreu noite passada. 

Enfim, estou fazendo a minha parte na tentativa de melhorar. Como toda segunda-feira, hoje vou pra Federação Espírita buscar melhor entendimento e paz. Como não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe, só peço que a espiritualidade amiga me oriente hoje e sempre. 

Elton Tavares