Poema de hoje: Remorso (Ivan Daniel Amanajás)


Remorso 

Abro os olhos
Estou imóvel
Levanto e me vejo
Ainda imóvel
Não sinto o tocar
É quase um flutuar
Tudo está sutil
Nada me é grosseiro
Ninguém percebe
Estou ali
Imóvel
E aqui
Inquieto
Tento entender
Aquela luz a me dizer
E mesmo sem querer
Vou ao seu encontro
E de encontro
Encontro resposta
O coração desgosta
Só fiz o que gosto
Esqueci que não posso
No peito agora inflama
Remorso.

Ivan Daniel Amanajás

NOVO ESPETÁCULO DOS POETAS AZUIS

Minha vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor.” (Mario Quintana)


E es que surge o novo espetáculo dos POETAS AZUIS (Pedro Stkls e Thiago Soeiro) que por admiração, conspiração e lealdade chama-se “RETALHOS PARA BORDADOS POÉTICOS” – Espetáculo-Poético-Teatral que reúne poesias de Mario Quintana, Cecília Meireles, Caio Fernando Abreu, Manoel de Barros, Ferreira Gular, Claudia Gordon e Aline Monteiro. O novo trabalho consiste no emendo, no remendo, na costura, na loucura, no dizer poético que só o poema é capaz de ser e fazer. Há por entre o desenrolar do enrendo uma fragilidade que se joga dentro das bobagens da vida e encontra um menino com um rio cheio de imaginação. E o mundo? Que é “Outro Mundo”, que é um mundo que termina para começar outro e que era o mesmo. Na confusão de tantas alegrias e solidões maravilhosas que só um poeta azul é capaz de dizer, no fim do primeiro bordado surge o último pôr do sol para um primeiro e esperado verso. “Retalhos para bordados poéticos” é o experimentalismo da costura mais sincera e intensa entre a poesia e a fala.

Serviços:

Dia: 13 de Dezembro
Hora: 19H
Local: Museu Sacaca (Fim de Tarde no Museu)

Dia: 14 de Dezembro
Hora: 18H
Local: CDC Azevedo Picanço (Festival Quebramar) 

Poema de hoje: Hallelujah (Ivan Daniel Amanajás)

Foto fantástica da Marcinha. 

Hallelujah

Existe uma força,
uma verdade bem maior
do que aquela que resistimos acreditar
ser o sentido da vida.

É um fenômeno divino
esse fascínio
que nos persuade
e nos inclina
ao bem-querer.

É um magnetismo
que subjuga a vontade.

É o amor absoluto
e desprovido de limite.

Ivan Daniel Amanajás

Hoje tem Poesia na Boca da Noite no bairro Marco Zero


O Movimento Poesia na Boca da Noite vai hoje ao bairro Marzo Zero. A partir das 17h, poetas e amantes da poesia estarão reunidos na Rua Marola Gato (aquela que passa atrás do escritório da Unimed), falando e declamando poesias e autografando livros.

Será na calçada da casa do escritor César Bernardo. Vai ser uma grande festa literária,uma verdadeira confraternização entre poetas, escritores e amantes da literatura. Um belo varal está sendo montado, arranjos natalinos com poesias serão distribuídos e vários livros estarão à venda por preço popular para que o maior número de pessoas tenha acesso à literatura produzida no Amapá.

Então está combinado: 17h a gente se encontra lá na rua Marola Gato, 621. Leve seu livro, seu fanzine, sua poesia, sua ternura e seu lirismo e vamos viver juntos momentos mágicos e inesquecíveis.

Esta é a segunda vez que o Movimento reúne na calçada da casa do César Bernardo. A primeira foi em janeiro de 2011, três semanas após o movimento ter sido criado.

X encontro do grupo poético Pena e Pergaminho


E o Pena & Pergaminho volta, antes do Fim do Mundo, para o seu último encontro do ano!

Teremos leitura de poesias, “Pergaminoso do Mês”, discussões poéticas, Fluxo de Pensamento e o “Amigo Invisível Poético”, onde trocaremos poemas entre os nossos amigos.

Além disso, o grupo resolveu se engajar no social e promover uma ação solidária. Quem for ao encontro pedimos, encarecidamente, que leve um quilo de alimento, brinquedos ou livros para doarmos para alguma instituição da nossa cidade.

Esperamos todos por lá!

Rodrigo Ferreira.

Poema de hoje: Doce lembrança (Ivan Daniel Amanajás)


Doce lembrança

Ainda guardo na memória
a primeira imagem
da tua pintura,
uma tela cheia de vida
que me fez reinventar
luz pro meu olhar,
porque antes disso
o claro não se traduzia mais,
e eu havia esquecido
o que era enxergar.

Guardo na memória
a lembrança mais doce
de tempos amargos,
porque só eu sei
como foi difícil vencer
a barreira do meu querer,
aquela falsa auto-defesa
que só me fez embrutecer.

Por isso guardo na memória
minha discreta contemplação
em fascinação subliminar,
que percebia teus olhos endereçados
insistindo em me desviar,
e sendo traídos pela tua pele
que sempre me exibia
um suave corar.

Ivan Daniel Amanajás 

Poema de hoje: Poesia (Paulo Tarso Barros)


Poesia

Na dúvida,
esqueça a poesia.
Poesia é obsessão
incessante,
incêndio aparentemente trivial
que vira fogo contumaz.

Na dúvida,
não leia:
ou pelo menos não desencante
o sonho, a música, a alma
intangível dos poemas universais
que dão sentido ao fugaz existir.

Na dúvida, esqueça a poesia.
Poesia é sangue
eternamente puro,
eternamente efervescente,
o sentir que sente e permanece:
poesia.

Paulo Tarso Barros

Poema de hoje: Subterfúgio (Ivan Daniel Amanajás)


Subterfúgio

Abro os olhos
Estou cego
Posso ver a angústia
Refletindo escombros
Do que um dia foi
Meu castelo.

Fecho os olhos
Continuo vendo
Aflição imaginária
Sobras de sonhos
Desmoronados.

Rendo-me à química
Amiga desleal
Dissimula o desespero
Com astúcia eficiente
Traz o descanso do corpo
E o repouso da mente
Uma vã tentativa
De enxergar diferente.

Ivan Daniel Amanajás

Hoje rola Poesia na Boca da Noite


Poetas e amantes da poesia estarão reunidos hoje (23), à beira do mais belo rio do mundo – o Amazonas – para dizer, recitar, falar poesia. É o Movimento Poesia na Boca da Noite que mais uma vez vai pintar de lirismo e ternura o entorno da Fortaleza de São José defronte do Banco do Brasil.

Lá será estendido o Pano da Poesia e um varal com os mais belos poemas de autores locais e nacionais. Haverá também sessão de autógrafos dos escritores Cléo Araújo (Dicionário de Amapês), Alcinéa Cavalcante (Paisagem Antiga e Estrela Azul), Rostan Martins (Alô alô Amazonia) e os poetas mirins do Movimento Poesia na Boca da Noite estarão autografando a coletânea Poesia na Boca da Noite. Todos os livros que serão autografados amanhã estão com preços populares para permitir que mais e mais pessoas tenham acesso a leitura. Estarão à venda também as coletâneas “Cronistas do Meio do Mundo”, “Poetas do Meio do Mundo” e “Contistas do Meio do Mundo”. Cada livro será vendido por apenas 10 reais. E cá pra nós, livro  é um excelente presente de Natal. Né não?

Você, leitor do blog, é nosso convidado especial. Vá lá, a partir das 17h, leve uma poesia sua ou de seu poeta preferido para ler, declamar ou enfeitar o varal. Deite e role no Pano da Poesia, recebendo a brisa do nosso majestoso rio, vendo a lua surgir linda como nunca, curtindo o brilho das estrelas e lendo e ouvindo poesias que iluminam a alma e alegram o coração.

Ah, e se você tiver livros e fanzines pode levar para expor ou vender.