Poema de hoje: Everybody Is Free To Wear Sunscreen (Todos devem usar filtro solar)

Filtro solar!
Nunca deixem de usar o filtro solar
Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro
seria esta: usem o filtro solar!
Os benefícios a longo prazo do uso de Filtro Solar estão provados e comprovados pela ciência,
Já o resto de meus conselhos não tem outra base confiável além de minha própria experiência errante.
Mas agora eu vou compartilhar esses conselhos com vocês…

Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da
juventude.
Ou, então, esquece… Você nunca vai entender mesmo o poder e a beleza da juventude
até que tenham se apagado.
Mas pode crer que daqui a vinte anos você vai evocar as suas fotos,
E perceber de um jeito que você nem desconfia hoje em dia,
Quantas, tantas alternativas se escancaravam a sua frente.
E como você realmente estava com tudo em cima,
Você não está gordo ou gorda…

Não se preocupe com o futuro.
Ou então preocupe-se, se quiser, mas saiba que
pré-ocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete para tentar
resolver uma
equação de álgebra.
As encrencas de verdade em sua vida tendem a vir de coisas que nunca passaram pela sua cabeça preocupada,
E te pegam no ponto fraco às 4 da tarde de uma terça-feira modorrenta.

Todo dia, enfrente pelo menos uma coisa que te meta medo de verdade.

Cante.

Não seja leviano com o coração dos outros.
Não ature gente de coração leviano.
Use fio dental.

Não perca tempo com inveja.
Às vezes se está por cima,
às vezes por baixo.
A peleja é longa e, no fim,
é só você contra você mesmo.

Não esqueça os elogios que receber.
Esqueça as ofensas.
Se conseguir isso, me ensine.
Guarde as antigas cartas de amor.
Jogue fora os extratos bancários velhos.

Estique-se.

Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida
As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam, aos
vinte e dois
o que queriam fazer da vida.
Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda
não sabem.

Tome bastante cálcio.
Seja cuidadoso com os joelhos.
Você vai sentir falta deles.

Talvez você case, talvez não.
Talvez tenha filhos, talvez não.
Talvez se divorcie aos quarenta, talvez dance ciranda em suas
bodas de diamante.

Faça o que fizer não se auto congratule demais, nem seja severo demais com você,
As suas escolhas tem sempre metade das chances de dar certo,
É assim para todo mundo.
Desfrute de seu corpo use-o de toda maneira que puder, mesmo!!
Não tenha medo de seu corpo ou do que as outras pessoas possam achar dele,
É o mais incrível instrumento que você jamais vai possuir.

Dance.
Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto.
Leia as instruções mesmo que não vá segui-las depois.
Não leia revistas de beleza, elas só vão fazer você se achar feio

Dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever quando eles
terão ido embora, de vez.
Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu
passado e
possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.

Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns
poucos e bons.
Esforce-se de verdade para diminuir as distâncias geográficas e de estilos de vida, porque quanto mais velho você ficar,
Mais você vai precisar das pessoas que você conheceu quando jovem.

More uma vez em Nova York, mas vá embora antes de endurecer.
More uma vez no Havaí, mas se mande antes de amolecer.

Viaje.

Aceite certas verdades inescapáveis:
Os preços vão subir, os políticos vão saracotear, você também vai envelhecer.
E quando isso acontecer você vai fantasiar que quando era jovem os preços eram razoáveis, os políticos eram decentes,
E as crianças respeitavam os mais velhos.
Respeite os mais velhos!!
E não espere que ninguém segure a sua barra.
Talvez você arrume uma boa aposentadoria privada.
Talvez você case com um bom partido, mas não esqueça que um dos dois de repente pode acabar.
Não mexa demais nos cabelos se não quando você chegar aos 40 vai aparentar 85.

Cuidado com os conselhos que comprar,
mas seja paciente com aqueles que os oferecem.
Conselho é uma forma de nostalgia.
Compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado do lixo,
esfregá-lo,
repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do que vale.

Mas, no filtro solar, acredite.



                                                                       Autor desconhecido.

Poema de hoje: Que deslize


Que deslize

Onde seus olhos estão
as lupas desistem.
O túnel corre, interminável
pouco negro sem quebra
de estações.
Os passageiros nada adivinham.
Deixam correr
Não ficam negros
Deslizam na borracha
carinho discreto
pelo cansaço
que apenas se recosta
contra a transparente
escuridão.

Ana C.

Poetas amapaenses são classificados em concurso nacional


                                                                 Foto: Diogo Rodrigo

Poetas Amapaenses foram classificados no “Concurso Nacional, Novos Poetas, Prêmio Sarau Brasil 2012”. As poesias serão publicadas em uma edição de 5.000 (cinco mil) exemplares da obra homônima ao título do pleito literário, que será distribuído por todo Brasil.
A mesa julgadora da competição poética é composta por professores de Literatura da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com apoio da Empresa Brasil de Comunicação e TV Brasil.

O endereço do site do concurso é : http://www.concursonovospoetas.com.br . Na página está a lista dos classificados, mas sem a classificação geral de todos, somente os nomes dos 10 primeiros colocados, o restante está em ordem alfabética. Os poetas amapaenses classificados são:

 AURIDAN PADILHA PEREIRA JÚNIOR: “Sem Titulo”

INGRID LARA DE ARAÚJO UTZIG: Poema “A Moça e o Vento”

GENNIFFER DE LIMA MOREIRA: Poema “Espaço Figurativo”

MARIA JANETE COSTA LACERDA: Poema “Titubear”

TIAGO DE OLIVEIRA QUINGOSTA DE SOUSA: Poema “La douce Omission”

WEVERTON ELISON OLIVEIRA REIS : Poema “ Cordialidades da Vida”
No ano passado, o WEVERTON se classificou no concurso em 8° lugar e foi o único Amapaense na primeira edição. O resultado mostra o avanço da poesia amapaense. Parabéns aos jovens poetas!

Poema de hoje: Casablanca


Casablanca

Te acalma, minha loucura!
Veste galochas nos teus cílios tontos e habitados!
Este som de serra de afiar facas
não chegará nem perto do teu canteiro de taquicardias…

Estas molas a gemer no quarto ao lado
Roberto Carlos a gemer nas curvas da Bahia
O cheiro inebriante dos cabelos na fila em frente no cinema…

As chaminés espumam pros meus olhos
As hélices do adeus despertam pros meus olhos
Os tamancos e os sinos me acordam depressa na
madrugada feita de binóculos de gávea
e chuveirinhos de bidê que escuto rígida nos lençóis de pano

Ana Cristina César (Ana C.)

Poema de hoje: DECEPÇÃO


DECEPÇÃO

       No caminho ao desespero,
    Na casa do POVO, ferve o caldeirão
  E o amor da educação ao mosteiro
Acaba-se no gesto do bolso e da mão.
      O silêncio quebra a monotonia,
    O amor abate-se com o acórdão,
  A mira atinge o alvo da melancolia
E a luva de película mancha a mão.
       Mancha a mão de negligência,
    De dólar na meia e cueca carregado,
  Ao POVO, desrespeito a sua inteligência.
E ao pobre, o gosto do voto amargo.
              Perda da vara de condão, só violência,
                      Mensalinho, mensalão, mesadão,  
                    Filhotismo, verba indenizatória, excelência,
                  Fraco, covarde, falso e zangão.
      Vida, morte, mãos sujas, contramão,
    Mundo, IMUNDO, comunhão,
  Negativo? Não!
Crença, consciência, com o voto, a PUNIÇÃO.

               JOÃO BARBOSA

Fonte: http://escritoresap.blogspot.com.br/

Poema de hoje: Incumbência


Incumbência

Dois corpos, dois corações
Separados e distantes
Existências combinadas
Indispensável expiação
Encontros e desencontros
Limitando a missão.

Duas vidas, duas afeições
Unidas por desígnio
Intuito de evolução
Oportuna incumbência
Deu-lhes a Criação
Uma nova existência
Amplifica a provação.

Três essências, uma inquietação
Um ser, dois em atenção
Doce encargo
Edificante obrigação.

Ivan Daniel

II poema de hoje: E se foi em uma noite chuvosa…


E se foi em uma noite chuvosa… 

Passou o dia em um inferno sem fim…
Trabalhou pouco, escreveu mal…
Pensou em brincar na neve… lembrou o Natal…
Viu sua filha virar puta… Ufa! Não era ela, afinal…

Fez o rancho da feijoada, esqueceu a tintura…
Foi pintar o cabelo, a grana num dava para unha …
Saiu para voltar para casa… e voltou para a sua…
A mulher não estava lá… e sim na rua…

Publicou em um blog… fez sua parte…
Redefiniu sua vida… escreveu uma carta…
Resumiu o que não sentia… E perdeu sua arte…

A chuva lá fora emana umidade,
A vida é pequena, querida…
E ela fica triste e tem saudades…

Darth J. Vader

POESIA-POEMA


POESIA-POEMA

Qualquer revelia consome
um dolo ou eventual deslumbramento.

Qualquer sentimento de tolo
promessa, vaga luz, que seja fome.

Um dia esse tudo vai ter nome,
ou seja lá algo que mereça um puro momento.

Nem que tudo pare por um tempo todo
nessa espera doida que vivos assim nos consome.

Toda mensagem vaga será justa
ideia trocada num novelo de vento.

Luciano Magnus de Araújo