Televisão: o reflexo da ilusão – Por @Adnoelp

images (2)

Por Adnoel pinheiro

Estar bem informado não é e nunca foi sinônimo de conhecimento, existe uma distância gigantesca entre uma coisa e outra. Temos centenas de sites, jornais impressos, blogs e vários outros veículos de comunicação a fim de lhe informar. Tudo muito factual, muito perene e efêmero, nada que lhe agregará visão e conhecimento de mundo. Isso sem sobra de duvidas é uma problema muito sério, reflexo de uma sociedade alienada, vazia, apática e que não discute seus problemas. As minorias se anestesiam assistindo as programações de tv e as telenovelas onde muitas projetam essas mesmas minorias, que garantem boa parte de sua audiência, de forma pejorativa e preconceituosa e as que se passam na favela nunca discutem os reais problemas vividos ali, enfim, tudo muito ilusório e superficial assim como as disputas entre várias mulheres por um único homem, todas as vezes de corpo “sarado” e com cara de modelo.

midia tvOs telejornais, por exemplo, tiram grande parte de seu tempo para abordar o clima e o trânsito como se não houvesse vida, além disso, sem nunca dar a chance de questionar “porque temos essa quantidade de carros”? “porque os carros são tão caros no Brasil”? E mesmo assim as pessoas compram. A grande verdade que se tornaram obsoletos e não é difícil identificar porque a televisão está vivendo uma crise quando olhamos através dessas perspectivas citadas acima. Trabalhar com comunicação sempre foi uma grande responsabilidade e os veículos tem essa responsabilidade redobrada de ética, compromisso e responsabilidade social que muitas vezes não vemos.

images (1)Segundo texto publicado no Uol Noticias, escrito pela jornalista Vanessa Barbara, há dois anos a rede globo fez um pedido de desculpas, afirmando ter apoiado a ditadura militar entre os períodos de 1964 e 1985. Pensando nisso podemos imaginar como um conglomerado de comunicação pode exercer influência sobre questões politicas importantes para o país e como as pessoas estão condicionadas a isso, se iludindo com programações vagas. Querendo ou não atitudes manipuladoras geram problemas em países com nível de educação baixíssimo onde as minorias são mais atingidas e absorvem de forma tão apática quanto um personagem de novela.

10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo divulga filmes selecionados

12111966_1624061844512213_8908608383802279046_n

A 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo acaba de divulgar os filmes selecionados. Serão exibidas 40 obras, entre curtas, médias e longas-metragens, divididos em três mostras: Homenagem, Panorama e Temática. O evento acontecerá nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal, entre os dias 16 de novembro e 20 de dezembro. Todas as sessões serão gratuitas.

A Mostra Homenagem faz uma retrospectiva representativa das 9ª edições anteriores e exibe filmes premiados em cada edição, a Mostra Temática terá como foco Criança e Adolescente, e a Mostra Panorama reunirá 24 filmes produzidos a partir de 2011 no Brasil, França, Estados Unidos e Singapura, selecionados por meio de chamada pública.

A 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo é uma edição comemorativa, que celebra esta iniciativa de fortalecimento e disseminação da cultura e da educação em Direitos Humanos. Ela foi lançada para celebrar o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 10 de dezembro de 1948.

Realizada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), com produção do ICEM – Instituto Cultura Em Movimento, a Mostra dedica-se a apresentar filmes que discutem temas atuais de Direitos Humanos, como: direitos das pessoas com deficiência; população LGBT/enfrentamento da homofobia; memória e verdade; crianças, adolescentes e juventude; pessoas idosas; população negra; população em situação de rua; mulheres; Direitos Humanos e segurança pública; proteção aos defensores de Direitos Humanos; direito à participação política; combate à tortura; situação prisional; democracia e Direitos Humanos; saúde mental; cultura e educação em Direitos Humanos.

MOSTRA PANORAMA:

Longas:

Betinho – A Esperança Equilibrista, de Victor Lopes (Doc / Brasil / 2015 / 89 min.)
À Queima Roupa, de Theresa Jessouroun (Doc / Brasil / 2014 / 90 min.)
Félix, o herói da Barra, de Edson Fogaça (Doc / Brasil / 2015 / 72 min.)
Encantados, de Tizuka Yamasaki (Ficção / Brasil / 2014 / 78 min.)
Colegas, de Marcelo Galvão (Ficção / Brasil / 2013 / 103 min.)
Branco sai – Preto fica, de Adirley Queirós (Doc.-Ficção / Brasil / 2015 / 93 min.)
Quando Meus Pais não estão em casa, de Anthony Chen (Ficção / Singapura / 2013 / 99min.)
Porque temos esperança, de Susanna Lira (Doc./ Brasil / 2014 / 71 min.)

Médias:

Quem matou Eloá, de Lívia Perez (Doc. / Brasil / 2015 / 24 min.)
Sobre coragem, de Guilherme Xavier (Doc. / Brasil / 2014 / 23 min.)
Habita-me se em ti transito, de Claudia Rangel (Doc. / Brasil / 2014 / 22min.)
Ninguém nasce no paraíso, de Alan Schvarsberg (Doc. / Brasil / 2015 / 25min.)
Do outro lado da cozinha, de Jeanne Dosse (Doc. / França-Brasil / 2013 /40min.)

Curtas:

Abraço de Maré, de Victor Ciriaco (Doc. / Brasil / 2013 / 16min.)
Sandrine, de Elen Linth e Leandro Rodrigues (Ficção / Brasil / 2015 / 12min)
Submarino, de Rafael Aidar (Ficção / Brasil / 2014 / 20 min)
Nau insensata, de Cristiano Sidoti (Doc. / Brasil / 2014 / 15min.)
Do meu lado, de Tarcisio Lara Puiati (Ficção / Brasil / 2014 / 14 min.)
O muro é meio, de Eudaldo Monção Jr (Doc. / Brasil / 2014 / 15min.)
Gigantes da Alegria, de Ricardo Rodrigues e Vitor Gracciano (Doc. / Brasil / 2012 / 12min.)
Léo, de Mariani Ferreira (Ficção / Brasil / 2015 / 15min.)
Na direção do Som, de Jonathan Gentil e Pedro Prado (Doc. / Brasil / 2013 / 15min.)
Cartas do desterro, de Coraci Ruiz e Julio Matos (Doc. / Brasil / 2014 / 15min.)

MOSTRA HOMENAGEM

Correntes, de Caio Cavechini, Ivan Paganotti e Evelyn Kuriki (Doc/Brasil/2006/58min)
Memória para o uso diário, de Beth Fromaggni (Doc. / Brasil / 2007 / 1h20)
Procura-se Janaína, de Miriam Chnaiderman (Doc. / Brasil / 2007 / 54min.)
Nunca Mais! Cochabamba, 11 de Janeiro de 2007, de Roberto Alem (Doc. / Bolívia / 2007 / 52min.)
Silêncio das inocentes, de Ique Gazzola (Doc. / Brasil / 2010 / 52min.)
Quando a casa é a rua, de Theresa Jessouroun (Doc. / Brasil / 2012 / 35min.)
O Plantador de quiabos, de Coletivo Santa Madeira (Ficção / Brasil / 2010 / 15min.)
Meu amigo Nietzche, de Fáuston da Silva (Ficção / Brasil / 2012 / 15min.)

MOSTRA TEMÁTICA – CRIANÇA E ADOLESCENTE

Curtas:

Pele um real, de Aline Guimarães (Ficção / Brasil / 2015 / 15min.)
A visita, de Leandro Corinto (Ficção / Brasil / 2014 / 8min.)

Longas:

Muito Além do Peso, de Estela Renner (Doc. / Brasil / 2012 / 90min.)
Numa Escola em Havana, de Ernesto Daranas (Ficção / Cuba / 2014 / 108min.)
500 – Os Bebês Roubados pela Ditadura Argentina, de Alexandre Valenti (Doc. / Argentina – Brasil / 2013 / 100min.)
Alma da Gente, de Helena Solbertg e David Meyer (Doc. / Brasil / 2013 / 83min.)
O Contador de Histórias, de Luiz Villaça (Ficção / Brasil / 2009 / 110min.)

Fonte: Canal Lado B

Música de agora: Só Por Uma Noite – Charlie Brown Jr.

Só Por Uma Noite – Charlie Brown Jr.

Eu procurei em outros corpos encontrar você
Eu procurei um bom motivo pra não, pra não falar
Procurei me manter afastado
Mas você me conhece eu faço tudo errado, tudo errado

Fim de semana, eu sei lá, vou viajar
Vou me embalar, vou dar uma festa
Eu vou tocar um puteiro
Eu vou te esquecer, nem que for

Só por uma noite
Só por uma noite
Só por uma noite
Só por uma noite

Mas só de ouvir a sua voz
Eu já me sinto bem
Mas se é difícil pra você tudo bem
Muita gente se diverte com o que tem

Só de ouvir a sua voz
Eu já me sinto bem
Mas se é difícil pra você tudo bem
Quando a gente se diverte com o que tem

Se diverte com o que tem
Só por uma noite

Eu procurei abrir os olhos e enxergar você
Eu procurei um bom motivo pra não, pra não estar lá
Eu procurei me manter afastado
Mas você me conhece eu faço tudo errado, tudo errado

Fim de semana, eu sei lá vou viajar
Vou me embalar, vou dar uma festa
Eu vou tocar um puteiro
Eu vou te esquecer, nem que for

Só por uma noite
Só por uma noite
Só por uma noite
Só por uma noite

Mas só de ouvir a sua voz
Já me sinto bem
Mas se é difícil pra você tudo bem
Muita gente se diverte com o que tem

Só de ouvir a sua voz
Eu já me sinto bem
Mas se é difícil pra você tudo bem
Quando a gente se diverte com o que tem

Se diverte com o que tem
Só por uma noite

MÚSICA NA ESTRADA 2015: Macapá recebe pela primeira vez a edição do festival

12186312_1046544515398218_8519478868733607618_o

O “Música na Estrada” é um dos maiores projetos culturais da Região Norte. Depois de quatro edições dedicadas à música de concerto e oficinas instrumentais nas principais capitais do norte e centro-oeste do país, amplia sua proposta artística abrindo espaço para a música instrumental e artes cênicas. Em paralelo às atividades artísticas, o projeto realiza ainda palestras sobre Gestão Cultural e as já tradicionais oficinas de aprimoramento musical.

De 4 a 7 de novembro Macapá receberá oficinas musicais e de dança, a apresentação da Cia. Moderno de Dança de Belém, além da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Pará com a participação do gaitista americano Robert Bonfiglio. A temporada conta ainda com uma participação especial: a Orquestra Equinócio das Águas.

Uma parceria entre o Festival Musica Na Estrada em Macapá e a Escola de Dança Agesandro Rêgo vai incentivar a doação de alimentos não perecíveis para duas instituições na cidade: A Casa da Hospitalidade e os Carapirás. A Casa da Hospitalidade ainda receberá um recital de Clarinete (Herson Amorim) e Violoncelo (Cristian Brandão) ao longo da semana. Será uma semana cheia de atividades.

O “Festival Música na Estrada” é uma conexão das artes que visa interligar seis estados da Amazônia Brasileira. O projeto nasceu em 2011, idealizado pela Kommitment Produções Artísticas.

“Através desse intercâmbio a região pode crescer culturalmente, e a longo prazo podeorquestra-sinfonica-ufpa-10mos criar um novo mercado que contemple conteúdos daqui da região e outros, de outras regiões do Brasil e até de outros países. Objetivamos sensibilizar a iniciativa privada, os governos municipais e estaduais a investirem no projeto. A região tem um grande potencial”, declarou o diretor da Kommitment, Fernando Ramos.

A quinta edição do festival começou em outubro e já passou por Rio Branco (AC) com apresentações da Camerata Sinfônica do Pará, do Corpo de Dança do Amazonas, do artista acriano André Dantas, da MAPO Big Band, de Porto Velho. Em Manaus (AM) foi realizado o “Amplitude Cultural”, um debate com o tema “Circulação Musical e Remuneração – perspectivas e soluções para os músicos no novo milênio”, além dos shows dos artistas Cris Dellano e Roberto Menescal e ainda a cantora Leila Pinheiro, acompanhada da Amazonas Jazz Band. O músico acriano André Dantas também se apresentocia-moderno-danca-via-facebooku na capital amazonense. Já os roraimenses receberam oficinas musicais, apresentações de Leila Pinheiro com Amazonas Jazz Band e pela primeira vez viram de perto o espetáculo da Orquestra Filarmônica do Amazonas.

Depois de Macapá, o projeto segue para a cidade de Belém (PA), no período de 10 a 19 de novembro e finalizará o festival em Porto Velho (RO), com apresentações de 16 a 19 de novembro.

O “Música na Estrada” é uma realização do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Caixa Seguradora, da instituição de ensino superior Estácio e Kommitment Produções. A mídia oficial é da Rede Amazônica e G1.

Música na Estrada virtualCópia-de-Novos-INstrumentos

O site http://musicanaestrada.art.br/ é o passo virtual para a contagem regressiva até o início da 5ª edição do Festival Música na Estrada. A página possui conteúdo dinâmico, expondo as informações de forma rápida e direta sobre o trabalho promovido pelo Festival e a preparação para este ano. Uma importante ferramenta de auxílio para os internautas e fãs, que poderão se atualizar, trocar ideias e esclarecer dúvidas sobre o evento.

Na página, o visitante também poderá se inscrever para as oficinas instrumentais. Este ano no Música na Estrada serão ministradas oficinas de violino, viola, violoncelo/contrabaixo, trompete, trombone, clarinete, flauta, regência e percussão. Antes de fazer a inscrição, é importante verificar com atenção as oficinas que ocorrerão em cada cidade.

Sobre a Ko12195940_10207901727720728_8577288529222383426_nmmitment – www.kommitment.com.br

Dança, música, teatro, balé e conteúdos educacionais compõem o leque de projetos da agência cultural de Fernando Ramos e Marcia Ximenez fundada em 2011. São com estes proj
etos que a Kommitment Produções Artísticas atende as estratégias de posicionamento de importantes marcas do mercado nacional e reforça a visão da empresa: incentivar a cultura como forma de contribuir para o enriquecimento educacional de uma sociedade.

Fernando Ramos, músico e produtor, atuou em empresas de ponta como Time For Fun e Dell´Arte Soluções Culturais durante 15 anos, conquistando grande experiência em projetos de âmbito nacional e internacional. Atualmente está à frente da Direção de Negócios, capitaneando também a área de Planejamento Estratégico da agência.

Marcia Ximenez, jornalista e produtora com 20 anos de atuação no mercado cultural, colaborou com empresas como Orquestra Sinfônica Brasileira, Viva Música, Dell´Arte Soluções Culturais e Sarau Agência de Cultura Brasileira. Com a Kommitment vem se dedicando a projetos de amplitude nacional que privilegiam música, teatro e dança. Recentemente, passou a desenvolver projetos de cunho socio-educativo.

Para mais informações, além do site (www.musicanaestrada.art.br), o Festival Música na Estrada também está nas redes sociais: www.facebook.com/projetomusicanaestrada

Programação artística em Macapá:banner02

Duo Clarinete e Cello

04/11, Apresentação Social na Casa da Hospitalidade; 18h00, (Av. José de Anchieta, 384 – Comercial, Santana)

Oficinas Musicais de Viola, Violoncelo, Clarinete e Trompete

Faculdade Estácio do Amapá (Rodovia Juscelino Kubitscheck – Jardim Equatorial);

Salas: 109, 110, 111 e 112.Cópia-2-de-Novos-instrumentos-3-912x500

04/11, 9h às 12h;

05/11, 9h às 12h;

06/11, 9h às 12h;

14h30 às 16h30

07/11, 9h às 12h, Encerramento das oficinas.

Oficinas Musicais de Viola, Violoncelo, Clarinete e Trompete

Escola de Música (Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima)

Avenida Feliciano Coelho, 1959 – Santa Rita, Macapá – AP, 68901-285

Telefone:(96) 3212-5122

04/11, 14h30 às 17h;12191594_1045695935483076_4514915619622436863_n

05/11, 14h30 às 17h.

Masterclass Violino com Miguel Campos Neto

Escola de Música (Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima)

Avenida Feliciano Coelho, 1959 – Santa Rita, Macapá – AP, 68901-285

Telefone:(96) 3212-5122

06/11, 9h às 12h;

07/11, 9h às 12h.

Oficinas de Dança

04/11, 16h às 17h, 17h às 18h, 18h às 19h e 19h as 20h30, na Escola de Dança Agesandro Rêgo (Avenida Acelino de Leão, 926 – Bairro Trem, Macapá);

Companhia Moderno de Dança (Belém)

05/11, ensaio aberto, às 17h e as 20h, apresentação, no Teatro das Bacabeiras (R. Cândido Mendes, 1087 – Central – Tel: 96 3212-5121);

Orquestra Sinfônica da UFPA com o gaitista Robert Bonfiglio (Belém e Nova Iorque)

6/11, às 20h, no Teatro das Bacabeiras (R. Cândido Mendes, 1087 – Central – Tel: 96 3212-5121);

Orquestra Sinfônica da UFPA & Orquestra Equinócio das Águas

7/11, às 20h, no Teatro das Bacabeiras (R. Cândido Mendes, 1087 – Central – Tel: 96 3212-5121)

Programação Artística 2015 (sujeita a alterações)

 Diani Correa – Comunicação Estácio – Núcleo Amapá

Judiciário elabora edital para o concurso público nos Cartórios de Registros de Imóveis de Macapá

edital_1

O Corregedor-Geral do Tribunal de Justiça do Amapá, Desembargador Carmo Antônio de Souza, informou que as providências iniciais para a realização do concurso público nos novos Cartórios de Registros de Imóveis na Capital Macapá já estão sendo tomadas com a elaboração do seu edital.

Para a conclusão do edital do concurso público, ainda faltam indicações dos membros do Ministério Público e da Ordem dos Advogado do Brasil-OAB/AP que passarão a integrar a comissão do concurso. Essas ações já estão sendo tomadas pela Corregedoria do TJAP.edital_5

O Pleno Administrativo do Tribunal de Justiça do Amapá decidiu pela realização de concurso público em cumprimento ao Decreto Estadual nº 266/91. A proposição foi lançada pela presidente do TJAP, Desembargadora Sueli Pini, em Sessão Ordinária do Pleno Administrativo, em resposta a inúmeras solicitações da sociedade, inclusive órgãos e empresariado.

“O clamor da sociedade e dos usuários deste importante serviço registral chama a atenção para aedital_4 expansão da demanda e para a necessidade de melhor atender o crescente número de usuários. Com apenas um Cartório de registro de imóveis na Capital, a prestação já se mostra insuficiente para absorver a demanda”, disse a presidente do TJAP.

A realização do III Concurso Público de Provas e Títulos será também para novas outorgas e remoção das serventias de notas e de registros que se encontram vagas no Estado do Amapá, a saber: Cartórios de Amapá; Pedra Branca do Amapari; Cutias do Araguari; Vitória do Jari; Pracuúba; Serra do Navio; Itaubal do Piririm; Calçoene; além do Cartório do Bailique.

Texto: Hugo Reis
Fotos: Adson Rodrigues
Asscom do Tribunal de Justiça do Amapá

Confira as vagas de emprego do Sine Macapá para 5 de novembro

carteira_de_trabalho_3011

O Serviço Nacional de Empregos no Amapá (Sine/AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine/AP, localizado na Rua General Rondon, nº 2350, na praça Floriano Peixoto, ou pedir informações pelo telefone: (96) 3212-9161. Toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja o número de vagas de acordo com a solicitação das empresas:

Assistente administrativo – 1 vaga
Critérios: pessoas com deficiência; sexo feminino

Auxiliar de limpeza – 2 vagas
Critérios: seis meses de experiência; do sexo feminino, com idade entre 25 e 35 anos

Confeiteiro – 1 vaga
Critérios: seis meses de experiência; idade entre 25 e 40 anos

Costureira de máquinas industriais – 2 vagas
Critérios: seis meses de experiência na carteira; idade entre 25 e 45 anos; ensino fundamental completo

Gesseiro de revestimento – 3 vagas
Critérios: seis meses de experiência; sexo masculino; ensino médio completo

Manicure – 3 vagas
Critérios: seis meses de experiência; com idade entre 18 e 37 anos; sexo feminino; ensino médio completo

Operador de caixa – 1 vaga
Critérios: pessoas com deficiência; sexo feminino

Operador de motoserra – 1 vaga
Critérios: seis meses de experiência; sexo masculino; com motosserra própria e disponibilidade para trabalhar em Pedra Branca do Amapari

Pedreiro – 2 vagas
Critérios: seis meses de experiência na carteira; sexo masculino; ensino médio completo

Pedreiro de forno – 1 vaga
Critérios: seis meses de experiência na carteira; sexo masculino; que saiba fazer forno de carvão de alvenaria; disponibilidade para trabalhar em Pedra Branca

Salgadeiro – 1 vaga
Critérios: seis meses de experiência na carteira; com idade entre 25 e 35 anos; sexo feminino.

Pintor – 2 vagas
Critérios: seis meses de experiência; sexo masculino; ensino médio completo

Vendedor pracista – 1 vaga
Critérios: habilitação A com moto própria

Fonte: G1 Amapá

Szac número um – Crônica de Ronaldo Rodrigues

images (3)

Crônica de Ronaldo Rodrigues

Estou só no deserto.

Nu, com fome, sede e frio.

Mas sei que, se levantar os braços e invocar a santidade dos caminhos escuros, a luz virá ao mdownloadeu encontro.

Estive em todos os momentos difíceis da história e nenhum conseguiu me aniquilar.

Vou medindo meus passos, conferindo-os um a um.

Sei que, se pisar no chão com a força que tenho, posso causar um terremoto.

Um sopro meu pomendigo usando Laptop.de desencadear um furacão.

Estou na noite, no cais, e o navio que vem me livrar do naufrágio está a caminho.

A manhã virá. O sol virá. E depois a lua e todos os sonhos e todas as fantasias e todas as realidades.

A esperança é um sentimento bonito, um tanto deturpado, distorcido por quem acha que esperança é simplesmente… esperar.

Vim para mudar o mundo ao meu redor.images (6)

Vim para libertar um povo.

Vim para ouvir música e cantar, enquanto pedalo minha bicicleta pelo labirinto da cidade.

download (5)A cidade que me acolhe e, de repente, me vira a cara.

Eu não nasci para ser triste, me disse o horóscopo, e não vou contrariar isso.

Podem contar comigo.

A grande revolução está em marcha.

‘Música na Estrada’ traz espetáculos de orquestra e dança do PA ao Amapá

12195752_849964658455896_2026350956555210093_n

Por Fabiana Figueiredo

Macapá vai receber uma programação com apresentações e oficinas instrumentais voltadas para a área musical. Entre os dias 5 e 7 de novembro, haverá shows da Companhia Moderno de Dança (PA) e da Orquestra Sinfônica Altino Pimenta (PA), com participação do gaiatista Robert Bonfiglio (Nova Iorque). A 5ª edição do Música na Estrada chega pela primeira vez à capital do Amapá.

Oficinas

O projeto oferece de forma gratuita oficinas de violino, viola, violoncelo/contrabaixo, clarinete e trompete. As inscrições acontecem através do site do projeto, até segunda-feira (2).

Os interessados devem saber ler partitura e ter, no mínimo, 1 ano de estudo. Cada aluno deve levar o próprio instrumento e estante. Os encontros vão acontecer de 4 a 7 de novembro, das 9h às 12h, em uma faculdade de Macapá.

As oficinas serão ministradas por professores de música da Universidade Federal do Pará (UFPA): Joziely Brito (violino), Antônio de Pádua Batista (viola), Cristian Brandão (violoncelo/contrabaixo), Herson Amorim (clarinete), e Elielson Gomes (trompete).

Espetáculos

A Cia Moderno de Dança (PA) vai se apresentar em Macapá no dia 5 de novembro. O espetáculo apresentado s12107040_1101830976495598_7470216912671923495_nerá “Um”, premiado pela Funarte, mostrando trabalho artístico que envolve práticas corporais de matriz africana e afro-brasileira, tais como elementos da capoeira, do samba, das danças e da música.

O Teatro das Bacabeiras também será palco de um concerto apresentado pela Orquestra Sinfônica Altino Pimenta, nos dias 6 e 7 de novembro. Em um dos dias, o grupo terá participação especial do gaiatista nova iorquino Robert Bonfiglio.

O espetáculo interpreta canções que vão desde a música clássica universal até sucessos da produção musical paraense.

Música na Estradafestival-musica

O projeto nortista surgiu em 2011 com a proposta de interligar os trabalhos artísticos culturais dos estados da Amazônia Brasileira com apresentações gratuitas. O Música na Estrada já teve edições em Rio Branco, Manaus e Boa Vista, em 2015, agora segue em Macapá, Porto Velho e Belém.

Serviço

Música na Estrada em Macapá
Oficinas
Dias: de 4 a 7 de novembro de 2015
Hora: das 9h às 12h
Local: Estácio Famap (Rodovia JK)

Cia Moderno de Dança
Dia: 5 de novembro
Hora: 20h
Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, número 1087 – Centro)

Orquestra Sinfônica da UFPA com o gaitista Robert Bonfiglio
Dia: 6 de novembro
Hora: 20h
Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, número 1087 – Centro)

Orquestra Sinfônica da UFPA
Dia: 7 de novembro
Hora: 20h
Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, número 1087 – Centro)

Fonte: G1 Amapá

Ontem encontrei o Black Sabbá, o velho maluco roqueiro de Macapá

black2

Ontem (30), ao chegar no Underground Rock Bar, reencontrei o roqueiro e brother das antigas, José Sebastião, o Black Sabbá ou Sabá da Barra. O brother esteve aqui em fevereiro deste ano e agora veio para o aniversário de sua mãe. Foi legal pra caramba rever essa figuraça e outros amigos, como o querido Sandro Callins.

Com toda sua conhecida performance de rock-star-maluco-do-gueto, Black cantou malandramente algums músicas clássicas dos anos 80. Jogou charme para as meninas, dançou de forma gaita e arrancou aplausos dos presentes no bar. Também tomou umas com a gente.

Conheci o Black na primeira metade dos anos 90. Ele tá com 43 e eu 39 anos, na época era mais um doidão porreta dos muitos que conheci na vida, um cara rock n’ roll demais. Sabbá ficará por alguns dias na terrinha, antes de voltar pra Icoaracy (PA) , onde reside.

O Black

O figura é conhecido na capital amapaense com Black Sabbá, uma alusão a banda inglesa Black Sabbath (tanto que ele também usas dois “Bs”). Nos anos 80, 90 e primeira metade dos anos 2000, ele agitou e muito, em Macapá.

Vascaíno fervoroso, um dia Black me disse que sua opção por torcer pelo clube cruzmaltino se deu depois que ele levou um cascudo de um cidadão que vestia a camisa do rival, Flamengo, na época que ele era garoto e trabalhava como engraxate.

Junto com Jony, Guri e Jessi, Black fundou banda “Prisioneiros do Lar”, nos anos 80. O grupo se apresentava em todo lugar da antiga Macapá. Era uma banda com muita atitude e energia, canalizada através de seu vocalista. Black era um cantor estiloso, performático e carismático. Sempre com um sorriso no rosto e bom humor invejável.

black1

Foi mesmo porreta rever o cara!

Elton Tavares

Feliz aniversário, mestre Tãgaha [email protected]

1969384_791360554227464_355338529_n

Hoje é aniversário do pai e filho amoroso, humanista, escritor, poeta, músico e excelente jornalista e assessor de comunicação, Tãgaha Soares. Meio índio, meio caboclo, natural do Pará e amapaense de coração, Tãgaha é um homem simples, mas sábio. Profissionalmente, um exemplo para mim. Além de querido amigo. Nesta sexta-feira, o cara completa 50 verões muito bem vividos.

No início de 2011, em meio a um turbilhão de acontecimentos, comecei a trabalhar com várias figuras porretas. Algumas me ajudaram a melhorar como profissional (e fazem isso até hoje). Um deles é o Tãgaha Soares. Aliás, ele é senhor deste nobre ofício.

A amizade com o cara surgiu de repente, por meio trampo. Suas atitudes, integridade e honradez logo me chamaram a atenção. O homem é justo e tem um coração maior que ele.EueTagaha (2)

Além disso, Tãga também apreciador de belas mulheres, papos firmezas regados a cerveja ou bebidas fortes. Não tinha como não nos tornarmos brothers. Parece que conheço o cara há muitos anos, de tanto respeito, admiração e consideração que tenho por ele. Talvez pelo motivo de dizerem que não fazemos amigos, os reconhecemos. É o caso deste grande sacana.

Nunca vi o Tãgaha sacanear alguém. O velho índio louco é feito de talento e amor. Amor pelos filhos, pelos amigos, pelos colegas de trabalho (sim, ele trata todo mundo bem) e profissão de jornalista.

Tãgaha é um amigo com quem gosto de dividir cervejas enevoadas e molhar a palavra. Mas ele também é uma espécie de rede de segurança, de tão providencial que é. Todas as vezes que precisei, Tãga me auxiliou. Além de amizade, sinto gratidão pela sua força de sempre.

11990509_881909791862053_2545196860783666586_nCom toda a certeza, Tãgaha Soares, que também é Luz (seu outro sobrenome) não ilumina somente o meu caminho, mas o de todos com quem convive. Ele é um dos grandes amigos que fiz nessa profissão.

Tãgaha, seu índio sacana, que tu tenhas sempre saúde, pois talento, força, e atitude não lhe faltam. Que essa data se repita por pelo menos mais 50 anos. Sucesso e felicidades é o lhe desejo, querido amigo. Não somente hoje, mas sempre. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

Embrapa expõe tecnologias atrativas para negócios agropecuários na 41ª Expofeira

Semente de andiroba_foto Marcelino Guedes

A Embrapa preparou uma exposição de tecnologias, produtos e serviços voltados para oportunidades de negócios nas áreas de produção de alimentos, recursos florestais e cultivo de peixes, especialmente para os visitantes da 51ª Expofeira do Amapá. O evento é realizado pelo Governo do Estado e Sebrae, de 30 de outubro a 8 de novembro, no Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá (AP). Divididos em vários temas e ambientes da Expofeira, os atrativos da Embrapa vão desde a demonstração de cultivares de feijão-caupi, milho, soja, sorgo; tecnologia do sistema de aquaponia (produção de peixes associado à produção de verduras e legumes), máquinas usadas na mecanização do cultivo da mandioca, exposição de conhecimentos e tecnologias sobre produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, até uma minivitrine de Sistema de Produção Agroflorestal (SAFs) com cultivos de fruteiras e hortaliças.

Também serão expostas diversas publicações da Embrapa que abordam temas das ciências agrárias e haverá lançamentos de livros de pesquisadores da Embrapa. No dia 2 de novembro, a partir das 20 horas, no longue da Embrapa, no Pavilhão de Oportunidades, o pesquisador Marcos Tavares Dias estará autografando a obra “Aquicultura no Brasil: novas perspectivas”; e o pesquisador Gilberto Yokomizo a publicação intitulada “Potencialidades do Amapá para o desenvolvimento regional”.

O chefe-geral da Embrapa Amapá, Jorge Yared, ressaltou a importância da Expofeira para o compartilhamento do conhecimento e das tecnologias resultantes do trabalho dos pesquisadores, técnicos, analistas e assistentes da empresa do centro de pesquisa. A Embrapa é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Agricultura. A sede fica em Brasília e no Brasil há 46 centros de pesquisas, um deles é a Embrapa Amapá com sede em Macapá e campos experimentais instados em Macapá e Mazagão.sistema-agroflorestal

“Este evento também gera a oportunidade de negócios para os empreendedores de diversos portes e interesses dentro do segmento da agropecuária. Um exemplo é a carência de produção de alevinos para os produtores usarem nos sistemas de produção de peixes, a Embrapa dispõe do conhecimento técnico para atender esta demanda e estaremos à disposição dos interessados”, acrescentou Yared.

Para o público infanto-juvenil haverá uma programação do Programa Embrapa & Escola, que tem como objetivo compartilhar, em linguagem simples e acessível, conhecimentos sobre a pesquisa agropecuária brasileira para estudantes do ensino fundamental e médio de todo o Brasil. Por meio de uma parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seed), a equipe técnica da Embrapa Amapá vai receber estudantes de quatro escolas estaduais em uma visita monitorada aos experimentos agrícolas, nos dias 3, 5 e 6 de novembro.

Capacitações também fazem parte da programação da Embrapa na 51ª Expofeira. Os temas são diversos e procuram atender as demandas de produtores interessados em incrementar seus negócios com tecnologia e inovação. Abaixo, as opões de cursos a serem ministrados durante a Expofeira:

Oficina participativa de mapeamento da cadeia de valor do camarão regional (Projeto Pesca Sustentável na Costa Amazônica)
Data: 3 e 4 de novembro. 8h – 12h / 14h – 18h
Local: Sala 2 de capacitação (Pavilhão de Negócios)17

Panificação a partir da mandioca e tapioca colorida
Data: 4 de novembro. 8h – 12h
Local: Cozinha Experimental (Pavilhão de Negócios)

Manejo da água na irrigação de hortaliças
Data: 6 de novembro. 8h – 12h / 14h – 18h
Local: Sala 1 de capacitação (Pavilhão de Negócios)

Pós-colheita e processamento mínimo de hortaliças
Data: 6 de novembro. 8h – 12h / 14h – 18h
Local: Sala 2 de capacitação (Pavilhão de Negócios)

Manejo do solo em cultivos orgânicos
Data: 5 de novembro. 8h – 12h / 14h – 18h
Local: Sala 2 de capacitação (Pavilhão de Negócios)

O cultivo da mandioca
Data: 4 de novembro. 15h – 17h
Local: Sala 1 de capacitação (Pavilhão de Negócios)

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96
Embrapa Amapá
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Macapá/AP

Meus parabéns Mary Paes e Thomaz Brito! (@marypaess & @TomDeBrito)

mary

Hoje (26), os meus parabéns vão para dois queridos. Ambos são militantes culturais, frequentadores dos espaços alternativos, personagens da cena artística da capital amapaense e adeptos do “deboísmo” (sim, a dupla é cabeça fria).

Uma é poeta, jornalista, fotógra e blogueira. O outro é baterista da banda Sistema Feudal, membro do Movimento Ficha Verde Amapá e acadêmico de Direito. São eles: Mary Paes e Thomaz Brito.

Nenhum deles anda comigo. Eu os encontro por aí e sempre nos tratamos muito bem, pois existe uma brodagem recíproca entre mim e os aniversariantes. Além disso, são leitores e colaboradores deste site.

Enfim, meus parabéns e feliz aniversário, amigos!

Elton Tavares

*Thomaz, precisamos fazer uma foto juntos, porra!

Os 20 anos do álbum “Mellon Collie And The Infinite Sadness”, do Smashing Pumpkins

maxresdefault (1)

Parece que foi ontem, mas já faz 20 anos e dois dias, que a banda de rock alternativo norte-americana The Smashing Pumpkins, lançou o magnífico álbum “Mellon Collie and the Infinite Sadness” (lançado em 24 de outubro de 1995 pela Virgin Records).

Este é o terceiro disco da carreira do grupo liderado por Billy Corgan O careca antipático do rock que sabe fazer canções que tocam a alma e o coração).

Mellon Collie foi o álbum que definiu a cara do rock há 20 anos. Um clássico instantâneo que provou que a musica alternativa poderia ser complexa e ambiciosa.

Billy Corgan se encontrava no auge da sua megalomania criativa e lapidou todas as musicas com muita astúcia, desde sua introdução instrumental até a ultima musica, o disco é arrebatador.

Ele contém muitas canções sensacionais, como a beleza da instrumental Mellon Collie And The Infinite Sadness, A visceralidade de “Zero” e “Bullet with Butterfly Wings”, a saudade dramática de “Thirty-Three”, a inocência de “1979” e a aula de vivência em “Tonight, Tonight”. Isso para citar somente as que gostamos mais.

O disco recebeu, com a canção “Bullet with Butterfly Wings”, o Grammy de 1997. A obra foi eleita como 29º maior álbum de todos os tempos, em 1998, pela Revista Q. Em 2003, a revista Rolling Stone o colocou como um dos 500 melhores discos de todos os tempos, no 487ª lugar.

A Revista Time elegeu Mellon Collie and the Infinite Sadness o melhor álbum de 1995. Não à toa, ele está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

O disco é eclético dentro do rock, já que possui desde canções bem melodiosas até rock pesado com guitarras sujas e gritos de FUCK YOUUU. É realmente um álbum memorável, com um apelo artístico fantástico (sem falar naquele encarte sensacional).

Em 1995, Kurt Cobain já tinha ido para as estrelas e tudo que surgia de genial era mais uma esperança. No final, sabemos que o Rock nunca morre. Ele adoece, mas sempre volta com tudo.

Até hoje, as músicas de Mellon Collie emocionam e transportam no tempo quem tem mais de 30 anos. Sim, nostálgico. Agora é só escutar Tonight, Tonight, onde o velho Corgan canta “acredite em mim” ou 1979 e viajar no tempo.

Elton Tavares e André Mont’Alverne

Espetáculo ‘O Pássaro do sol’ encerra temporada de 2015 do Palco Giratório em Macapá

pg1

Por Alessandra Leite

O Sistema Fecomércio por meio do Sesc Amapá encerram a temporada 2015 do projeto Palco Giratório com o espetáculo “Pássaro do Sol”, do Grupo A Roda, de Salvador (BA). A apresentação ocorre no dia 31 de outubro às 18h, no salão de eventos do Sesc Araxá. A entrada é gratuita e a classificação é livre.

Como parte da programação acontece no dia 29 de outubro, no horário de 15h às 20h, no teatro Porão a oficina “A Sombra da Ideia”, que vai abordar concepções filosóficas sobre a sombra.

O objetivo é sensibilizar os sentidos, provocar distorções na imagem e expressar emoções por meio do objeto intermediário que é a figura da sombra. Para a oficina estão sendo disponibilizadas 20 vagas gratuitas com inscrições no setor cultura do Sesc Araxá.

Já no dia 30 de outubro, o projeto Palco Giratório ainda trás em sua programação o espetáculo amapaense “Magia de Brincar” às 16h30 no salão de eventos dos Sesc Araxá, com entrada franca.

Espetáculo – “Pássaro do Sol” Grupo – A Roda (Salvador /BA)passaro (2)

Adaptado da mitologia indígena brasileira pela escritora Myriam Fraga, o texto narra a história de um jovem que é transformado em pássaro para ir ao céu roubar as chamas do palácio do sol. A encenação utiliza o teatro de sombras, antigo gênero de animação que tem na China uma das mais antigas tradições.

Selecionado como o melhor espetáculo infanto-juvenil de 2010 pelo premio Braskem de teatro, o espetáculo conta com a trilha escrita para montagem pelo compositor Uibitu Smetak. A história ganha vida pelas mãos dos atores animadores que fazem da grande tela o palco para as aventuras do índio Japú.

As silhuetas são recortadas em couro pela artista plástica Olga Gomez, que também é responsável pela direção e adaptação do texto.

Ficha Técnica
Texto – Myriam Fraga
Direção e bonecos – Olga Gomez
Direção de produção – Marcus Sampaio
Direção musical – Uibitu Smetak
Direção de cenas e narração – Osvaldo Rosa
Cenários – Fabio Pinheiro
Manipulação – Naiara Gramacho, Bernardo Oliveira, Ana Luiza Reis e Elinaldo Nascimento
Fotos – Márcio Limasesc1

Espetáculo Magia de Brincar/AP

O espetáculo é de muita diversão e brincadeiras, onde os fantoches interagem com o público através das histórias e fantasias que acontecem ao decorrer do espetáculo, tendo como foco o prazer da leitura, uma viagem a diferentes momentos na infância onde evidencia para o público infantil que ler é brincar ao mesmo tempo.

Elenco:
Missilene Cabral (manipulação de bonecos)
Sandro Brito (palhaço chumbinho)
DJ: Thiago Freitas (sonoplastia)
Duração: 40 mim

Serviço
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96)3241-4440 (ramal 235)