Sobre não ter desfile das escolas de samba em 2016 – Por @LemosTica

fotoElton

Pode rolar bloquinhos fazendo zoada aqui e acolá, festinhas na varanda dos amigos, encontros nas praças, no salão decorado do shopping, mas a falta que faz o desfile das escolas de samba, é monstruosa, égua.

Esse carnaval da massa, do povo, do liso, dos trabalhadores e que a burguesia adooora, é que balança, movimenta, agita, enlouquece e faz ferver o fevereiro, dia e noite. Cidade tá morta, fôlego.

Enganaram a gente direitinho !!!

Tica Lemos – Jornalista

Meu comentário: Sobre isso, concordo com a Tica Lemos. Disse isso AQUI. Aí dizem: “mas as escolas deveriam ser independentes”. Também estou de acordo. Penso que as escolas deveriam se preparar há tempos. Mas não é assim. Deveria, mas não é. E o Governo do Estado, independente de quem esteja lá, sabe que tem que arcar. Senão, já educaria desde este episódio, mas não. A promessa é bancar 2017. Assim como todos os outros anos que não houve Carnaval e a promessa foi a mesma para o ano seguinte. Que mandem todo mundo se coçar desde agora, então.

Elton Tavares

Presidente da Confraria Tucuju lamenta, mas novamente não irá realizar o Aniversário de Macapá

Distribuição do bolo

Pelo segundo ano consecutivo, a Confraria Tucuju não realizará a tradicional festa de aniversário de Macapá, que neste ano completa 258 anos. Foram 18 anos seguidos de festejos e homenagens, onde pioneiros, costumes, fé e a história de Macapá ganhavam destaque no centro histórico da cidade, atrás da Igreja São José. A presidente da instituição, Telma Duarte, explica que o motivo da não realização da programação é a falta de recursos próprios e de investimento de setores públicos e privado, em função da crise nacional.

Desde 1997, a Confraria realiza a programação, que começou com um bolo e parabéns, na frente da igreja, primeira edificação de Macapá. Com o passar dos anos, a população começou a participar mais, e se tornou uma grande festa com a missa especial de aniversário, encontro das bandeiras de marabaixo, que marca o encontro das famílias que morava no centro, corte e distribuição do bolo, hasteamento das bandeiras, almoço dos pioneiros, distribuição de feijoada para a população e apresentações culturais.Encontro de Pioneiros1

Sempre nos empenhamos para fazer uma festa para todos, com programação diversificada para todas as idades, as famílias pioneiras eram homenageadas, a missa emocionava os presentes, com shows artísticos, samba e muito marabaixo e batuque. A programação tem custos, nenhum profissional trabalha de graça, temos a missa, as refeições, bolo, fogos e toda estrutura de palco e segurança. Estes trabalhadores esperam a festa para ganhar um pagamento extra. Sem recursos é inviável realizar a programação”, disse Telma Duarte.

A presidente lamenta que Macapá e seus moradores fiquem novamente sem a programação. “No ano passado fizemos somente a missa e o Encontro das Bandeiras, com recursos particulares, meu e de amigos. Tentamos viabilizar recursos, enviamos documentos pedindo apoio, mas infelizmente não tivemos respostas positivas. A PMM conseguiu aportar recursos somente para apoiar a Batalha de Confetes, que será neste domingo (31)”.

Ela ressalta que a Confraria continua trabalhando em prol de seus objetivos, de resgatar e valorizar a memória e história de Macapá e dos pioneiros. “Continuamos em ação, mas os eventos culturais foram interrompidas, porque a única receita da instituição é o pagamento de mensalidades pelos sócios, os projetos eram fomentados via Governo Federal, Estadual e Municipal, mas vamos esperar um novo momento de um Brasil com menos crises, para voltarmos com os projetos de cultura no Largo dos Inocentes”.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação – Confraria Tucuju

A “Síndrome de Hardy Har Har” (meu texto sobre reclamões e pessimistas)

 
Lembram-se do Hardy Har Har? A hiena que era puxa saco do Lippy, o leão. Pois então, tem muita gente que sofre de “Síndrome de Hardy Har Har”. O personagem, ao contrário de todo o resto de sua raça, que vive rindo de tudo, é infeliz, uma figura negativa em todos os sentidos. Hardy ficou famoso pela frase: “Oh dia! Oh azar!”
 
Conheço muitos Hardy Har Hars, alguns são invejosos, outros fofoqueiros e ardilosos, mas todos têm algo em comum, são insatisfeitos. Essas pessoas acham que suas felicidades sempre dependem de outra ou de outro lugar. Nunca estão 100% com a vida, vivem doentes ou acham que merecem muito mais do que suas pífias existências lhe oferecem.
 
Sempre se acham a vítima, suas histórias parecem novelas mexicanas regadas a lágrimas por tudo. Não satisfeitos, ventilam sua infelicidade aos quatro cantos, se queixam para amigos, colegas de trabalho e família. Haja saco para aturar os Hardy Har Hars.
 
Eles sempre foram mais felizes no passado, “antes é que era legal, pois eu era isso, eu fazia aquilo”. Pôtaqueparéu!
 
Ah, os Hardy Har Hars são sempre coadjuvantes ou figurantes da história. Alguns tem até talento, mas se escondem, com a desculpa de descrição. São aqueles que sempre dizem amém. São abestados, pois derrotam a si mesmos. Ah, são ótimas escadas para os mais espertos. “Eu prefiro ser tipo o Lippy, o leão que sempre dizia:”Hardy, sorria! A esperança é a última que morre!” E a hiena: “É, mas morre”.
 
Tanta gente passando por dificuldades reais, com muita dignidade e você, Hardy Har Hars, enchendo o saco de todo mundo com suas pequenezas. Portanto, se tens saúde, emprego e família, por gentileza, se toque. 
 
Tenho um conselho para os Hardy Har Hars, saibam separar tiros de festim dos de metralhadora. Voltem a serem hienas (no bom sentido, claro) e a sorrir. Parem com as lamúrias e vivam suas vidas. Os supostos algozes podem não ser os verdadeiros vilões que foram pintados. Pensem nisso. 
 
*Texto escrito há cinco anos e continuo pensando isso dos que exageram na auto-piedade, pessimismo e rabugem.
 
Elton Tavares            

Égua-moleque-tu-é-doido: Macapá é a capital com a média de internet mais lenta do país, diz Anatel

Por John Pacheco

Um mapeamento feito pelo G1 com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), divulgado na quarta-feira (13), apontou que Macapá é a capital brasileira que oferece a menor média de velocidade de internet banda larga do país, onde a maioria dos 16.418 pontos de acesso operam entre 512 Kbps e 2 Mbps, uma taxa considerada baixa em relação à média do país, que gira em torno de 3 Mbps.

As outras seis capitais do Norte do país apresentam navegação entre 2 e 12 Mbps, números tidos como medianos pela Anatel, que considera como nível de excelência no país velocidade maior que 34 Mbps. No estado do Amapá, apenas o município de Oiapoque, na divisa com a Guiana Francesa, apresenta a velocidade mediana de até 12 Mbps, ficando entre as 46,3% das cidades brasileiras que estão nesta faixa.

No outro lado dos números, o estudo informa que duas cidades, Laranjal do Jari e Vitória do Jari, ambas ao Sul do estado, apresentam o menor índice considerado pela pesquisa, com internet entre 0 e 512 Kbps. Os municípios de Amapá, Calçoene, Cutias, Ferreira Gomes, Itaubal, Mazagão, Pedra Branca do Amapari, Porto Grande, Pracuúba, Santana, Serra do Navio e Tartarugalzinho têm os mesmos números de Macapá.

Quanto aos pontos de acesso, Macapá tem quatro vezes mais locais do que os outros 15 municípios somados. A segunda colocada é a cidade de Santana, com 2.762 pontos, seguida por Oiapoque (257), Amapá (192) e Tartarugalzinho (161). Os municípios com as menores quantidades de pontos de acesso são Pracuúba (12) e Vitória do Jari (11).

Como foi feito o mapeamento?

Com base na faixa predominante de velocidade de cada cidade, o G1 elaborou um mapa. Ele mostra que em 406 cidades o maior percentual das conexões está na faixa que vai até 512 Kbps. Estes municípios estão localizados na região Norte e no interior dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Como base de comparação, a Líbia, lanterna do ranking mundial, tem uma taxa média de 700 Kbps.

Banda Larga para Todos

O Brasil tem atualmente 24,3 milhões de pontos de acesso de banda larga fixa. Destes, 46,3% estão na faixa de 2Mbps a 12 Mbps. O diretor da Sinditelebrasil, Alexander Castro, traça um cenário otimista para os próximos anos.

“As operadoras começaram a investir em novas tecnologias. No caso do móvel, a solução é o 4G. Na banda larga, as operadoras usaram soluções para otimizar o tráfego. Começaram a usar anéis metropolitanos de fibra ótica. Até 2019, vai ter acesso em todos os municípios do Brasil, e o país todo vai ter internet no patamar próximo de 20 Mbps”.

Fonte: G1 Amapá

Você Telecom: um exemplo de incompetência e desrespeito com o cliente

11113901_935994319756113_8284533500449188133_n

Parte do sábado e hoje, durante quase todo o dia, o serviço da Você Telecom não funcionou. E a empresa não faz caridade não. Nós pagamos pela  “tecnologia” que consiste em transmissão de internet.

Se já não bastasse, a empresa, que deve achar que somos moleques ou idiotas, não deu uma explicação. Ah, vão dizer que foi a chuva? Já basta a CEA com esse papo.

Ainda por cima, a Você Telecom deixou milhares de consumidores sem internet e o telefone do suporte desligado. Claro, afinal, nós poderíamos reivindicar nosso direito por pagarmos esse serviço de merda.

No final das contas, larga mesmo é a paciência dos clientes da prestadora de serviço incompetente. Aliás, a Você Telecom não possui o mínimo de respeito pela clientela.

Não à toa, muitos apelidaram essa firma mequetrefe de “Você Telecu”. Concordo. E amanhã iremos atrás de outra empresa que disponibilize internet Banda Larga no Amapá sempre e não “devesenquantoária”. É isso.

Elton Tavares

A precária Unimed Macapá

unimed_macapa

Aumenta a indignação com o atendimento da Unimed em Macapá. Além da redução de médicos, laboratórios e clínicas conveniadas, a crise também pode ser percebida nas próprias instalações do prédio da cooperativa. Há duas semanas os setores de observação e a recepção do hospital não tinham sequer ar condicionado.

Que a Unimed está em crise há muito tempo, isso todo mundo sabe. Nos bastidores há uma negociação com a Unimed do Amazonas. A cooperativa amazonense estaria interessada assumir o passivo e a carteira de clientes da cooperativa do Amapá. No ano passado, a Unimed Macapá levou pressão da Agência Nacional de Saúde para arrumar a casa, mas parece que está difícil.

Meu comentário: que o serviço da Unimed Macapá sempre foi uma merda, todo mundo sabe, mas de uns tempos pra cá, eles tem caprichado. Mesmo assim, eu e minha família temos o plano de lá, pois é ainda pior depender do serviço público, mas a coisa na cooperativa tá feia mesmo.

Fonte: Blog do Seles

A irresponsabilidade da “Céia” (texto de protesto sobre o apagão, sem aviso, dessa madrugada)

Nesta madrugada (02h05 as 06h52), houve um apagão em vários bairros de Macapá. A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) não avisou que isso aconteceria. O apagão atingiu os bairros Zerão, Universidade, Conjunto da Embrapa, Congós, Muca, Novo Buritizal, Buritizal, Cuba de Asfalto, Vale Verde, Polo Hortifrutigranjeiro, Fazendinha, Jardim Equatoriral, Conjunto da Ego, Beirol, Pedrinhas, Araxá e Santa Inês.

Foram quase CINCO HORAS sem energia elétrica e sem qualquer justificativa da “Céia”.

Um amigo me disse, há cerca de 3h, que a CEA está interligando a subestação da Isolux (empresa contratada para realizar o serviço na linha de transmissão do Linhão de Tucuruí) às subestações da Eletronorte/ CEA. Segundo ele, a interrupção é necessária.

Ok, mas porque diabos não informaram sobre o desligamento que causa prejuízo e desconforto à população? Pra piorar a irresponsabilidade, a CEA não atende aos telefones (0800 096 0196/0800 096 0196) sequer pra dar uma satisfação. Essa empresa deve ser a pior concessionária de energia do Brasil (deve não, tenho certeza que é).

Que a CEA realiza uma sofrível prestação do serviço de energia elétrica à população amapaense, não é nenhuma novidade. Mas já passou de todos os limites da tolerância. Essa foi só mais uma demonstração de falta de respeito com o consumidor e com os direitos do cidadão.

O problema é a falta de planejamento. Pois já que sabem do cronograma dos serviços, porque motivo não avisar o cidadão que paga pelo serviço? Se avisada, a população poderia se preparar.

Será que, com o perdão dos amigos que trabalham lá, a “Céia” não se preocupa com o que o cidadão que paga suas contas de energia vai pensar? Isso é irresponsabilidade em estado bruto. Alguém tem que ser responsabilizado e a empresa precisa avisar quando isso for ocorrer novamente. Afinal, não somos moleques. E mesmo que fôssemos, ainda assim era pra ter respeito. E fim de papo!

*Quando eu finalizei este texto, chegou e-mail da assessoria de comunicação da Eletronorte explicando que o apagão foi “devido ao desligamento geral da Subestação Equatorial, que atende a zona sul de Macapá/AP” (isso é explicação?). E ainda finaliza com “Agradecemos a compreensão”. Ahan, então tá. Só que não!

Elton Tavares

Eu odeio papo furado

papo-furado

Quem me conhece, sabe: tenho palavra. E odeio papo furado. Tento manter uma boa relação com todos, mas não gosto de blá, blá, blá. Porrada dada e palavra dita não tem volta. Pois ao contrário de Cazuza, “mentiras sinceras” NÃO me interessam.

Só que tem gente que retrocede e no ápice do papo furado, lhe elegem como “Pateta” e a si próprios como Mickey. É um tal de migué pra cá e blau errado pra lá. Ou seja, lhe tiram pra otário. Ledo engano. Comigo a coisa é valendo. E muito!

Fica a dica.

Elton Tavares

Babaquice: Escócia diz ‘não’ à independência e permanece no Reino Unido


A Escócia negou a proposta de se tornar independente do Reino Unido nesta quinta-feira, 18, em plebiscito histórico realizado no país. Foram 55% dos votos contra a separação da Escócia da união que dura mais de três séculos e 45% favoráveis à proposta, de acordo com agências internacionais.

Lembrei do Mark Renton (interpretado por Ewan McGregor), personagem do filme Trainspotting , quando ele (que é escocês) fala sobre os desconforto perante uma sociedade escocesa estagnada, chata, sem muito o que fazer e totalmente dependente dos colonizadores ingleses: 

Odeio ser escocês. Somos os mais merdas dos merdas, a escória da Terra, o lixo mais desgraçado, servil, miserável, patético que já cagou na civilização. Algumas pessoas odeiam os ingleses, mas eu não. Eles são apenas punheteiros. Nós, por outro lado, somos colonizados por masturbadores. Não somos capazes nem de escolher uma cultura decente para nos colonizar. Somos governados por bundões afetados. É uma situação de merda e nem todo o ar fresco do mundo pode fazer a menor diferença” – Mark Renton. 

Exageros e brincadeiras à parte, mesmo com tudo envolvido como economia e etecétera, viver numa eterna colônia, mesmo no primeiro mundo, é algo no mínimo patético. 

Apagão e pisca-pisca (via blog da Alcilene)


A federalização da CEA parece que conseguiu o impossível. Piorar a prestação de serviço da empresa aos amapaenses.E olha que a conta de energia é bem cara” – Alcilene Cavalcante. 

Meu comentário: Como eu já disse aqui várias vezes: o serviço da CEA é uma merda! Causa prejuízos e desconforto para a população.  Égua-moleque-tu-é-doido! 

Foi só crítica construtiva…


“Não vai ter estádio”. “Não vai ter aeroporto”. “Não vai ter acesso”. “Caso tenha, isso era apenas uma crítica construtiva”. Charge do cartunista Laerte, publicada hoje na Folha de S. Paulo, é uma obra-prima que resume a canoa furada na qual os principais grupos de mídia do País embarcaram antes da Copa. Sondagem realizada ontem com jornalistas do mundo inteiro confirmou: esta é a #copadascopas”.

Sobre a desculpa esfarrapada da Você Telecom

Como muitos, assisti na TV a nota da empresa Você Telecom sobre o problema que deixou (e ainda deixa, à exemplo da oscilação) muitos consumidores sem internet. Ao conversar com meu tio, entendi que a desculpa é esfarrapada. 

Vamos por partes. A Você Telecom diz na nota que as chuvas e a alta do rio “histórica” fizeram pifar ou dar problema nas torres de transmissão. Ahan. Acontece que todo ano chove muito nesta época e eles deveriam ter feito um estudo minucioso da tábua de maré, já que a “tecnologia” da empresa consiste em transmissão de internet por meio de cabos vindos do Pará, via Ilha do Marajó. 

E a respeito de nas “localidades por onde passam as torres e não existe energia elétrica, as quais a alimentação das baterias é feita por meio de energia solar”, segundo a empresa, porque não dizem isso no ato da venda ou nos comerciais que possuem “gente feliz” exaltando o serviço?

Pagamos por internet Banda Larga no Amapá. Às vezes, a net é até boa, noutras o serviço é deficitário e em muitas simplesmente não funciona. O certo é que não queremos uma net “devesenquantoária” e sim sempre. 

No final das contas, larga mesmo é a paciência dos clientes da prestadora de serviço incompetente. Para estes, como eu, dois conselhos: exijam que os dias sem internet sejam descontados da fatura, não podemos pagar pelo que não foi usufruído.  E procurem seus direitos no Procon (se é que o órgão fará algo, pois já devia ter agido contra a Você Telecom), está tudo no Código de Defesa do Consumidor

Depois, ficam mordidos quando chama de “Você Telecu”.

Égua! É isso.

Elton Tavares

O “Mó Sabido” e o papo furado

Tem gente que conhecemos há tempos, não possuímos nenhuma afinidade e tratamos bem por conta de amigos em comum. É o caso de “Mó Sabido” (na verdade o cara é um completo imbecil, mas se acha sabidão, por isso o rotulei assim). 
Mó Sabido é um bom guitarrista. Eu o conheço desde que ele era um adolescente. Sou amigo de sua irmã mais velha, que aliás é uma excelente cantora. Mas o pobre Mó não, ele é instrumentista e passa longe de ser um cantor.
Mó Sabido sempre foi um bom músico de apoio. Mas ofuscado pelo talento de sua irmã Dolores Morissette (Bel, arrumei esse apelido por gostar quando você canta as duas) e Mandela (o caçula dos três músicos, canta bem e toca pra caramba). Eu até falei do Mó Sabido aqui, quando ele tocou com os Brothers, mas só por isso. 
Um tanto ridículo, Mó Sabido resolveu tocar em “shows acústicos”, uma mistura de cover dos los patetas e execução de canções pop rock bem batidas. Nem preciso dizer que, por conta de sua voz ‘slow-motion’, tais apresentações monótonas são  uma verdadeira tortura sonora. 
Sem falar que Mó Sabido é um tonto xarope, pois possui papinhos furados e conversas inúteis, que agradam somente as “roqueiras” de final de semana. Sei disso por já ter tentado bater papo com o figura. Mas ele é demais coquinho. 
Eu poderia ignorar a mediocridade e a falta de senso do ridículo do projeto de cantor. Mas descobri que ele possui um talento descomunal em distorcer o que outros falam, pois o figura inventou que EU afirmei que músicos são vagabundos. Logo eu, que sempre divulgo todo tipo de arte, principalmente bandas e tocadores em geral. 
Sobre a mentira de Mó, leiam essa postagem do mês passado e tirem suas conclusões: http://eltonvaletavares.blogspot.com.br/2013/11/hoje-e-o-dia-do-musico-post-em.html
Já sobre o tal “Sabido”, ele tem sorte de eu gostar muito de sua família, senão o cara ia pegar uns tapas pra aprender a não falar merda. É isso!
Elton Tavares